ACELERAÇÃO DO TEMPO IMPULSIONA A HUMANIDADE A ENTRAR NA QUINTA DIMENSÃO

509

Meus amados:

Vocês estão vivendo um momento único em seu planeta e como devem ter notado, a questão do tempo está se tornando um problema para muitos de vocês.

O tempo em seu planeta está acelerado e isto está gerando cansaço em seus corpos físicos, além de uma imensa quantidade de sensações emocionais, pois se sentem mal quando se percebem com “falta de tempo” para executarem as tarefas do dia-a-dia.

A expansão da consciência é fundamental para a ascensão

Tenho dito que o fator tempo é o elemento fundamental que vai impulsionar a Humanidade a sair da terceira dimensão.

O fator aceleração do tempo está mostrando que começa a tornar-se impossível viverem a tridimensionalidade e a sua realidade tal como estavam acostumados.

Vocês estão muito próximos do momento em que não mais conseguirão manter-se na tridimensionalidade e Nós acreditamos que estas sensações lhes impulsionarão para vibrações superiores.

Tenho dito que a parte de vocês que vai comandar o processo de ascensão é a mente, pois com a expansão de suas consciências vocês compreenderão e entenderão sobre as Leis de Tempo do Universo local e sobre o seu potencial criador. Isso os levará a vivenciar os patamares superiores da existência.

Melqusiedeque diz que podemos comandar o tempo.
Mas como?

Eu estou aqui para lhes dizer que o tempo pode ser manipulado conforme você o comanda com a sua mente. Estou aqui para lhes dizer que é o momento de aprenderem a comandar o tempo.

Há que compreender que o conceito de tempo é muito diferente daquilo que aprenderam nas escolas. O tempo linear só existe na terceira dimensão e esta percepção agora deve ser deixada de lado a fim de que vocês se concentrem em entrar numa percepção de tempo espiralado, aprendendo formas diferentes de estar e de existir na realidade física.

As consequências da aceleração do tempo

A aceleração do tempo está gerando muito cansaço em seus corpos físicos porque estão ainda resistindo a assumirem as condições do não-tempo/não espaço.

Vocês estão querendo fazer as mesmas coisas que faziam na velha Terra, baseando-se ainda nos relógios lineares da sua realidade. Há que sair do tempo linear e Eu sugiro que deixem os seus relógios em casa.

Eu os estimulo a encontrar outra forma de “medir” os quadrantes do seu dia, e uma boa forma de fazer isso é configurar o seu dia em sequências de ações e não mais em sequências de horas.

Para que vocês Me compreendam, Eu explico melhor: sigam o dia computando ações, metas, objetivos, tarefas e atividades.

Concentrem-se nas funções e deixem de seguir das horas do relógio.

Eu digo que vocês devem modificar todos os segmentos da sua organização social a fim de que se estabeleça na nova percepção de tempo.

A Humanidade precisa modificar as relações com o trabalho. Vocês estão aptos para transformarem as relações em todos os níveis e poderiam começar com as suas relações de trabalho.

A forma de contratação profissional já há muito deveria se basear nas funções e tarefas. Porém, vejo que ainda baseiam-se no relógio! Quando vocês assumem o compromisso de trabalharem por 8 horas, por exemplo, estão priorizando o relógio e não as tarefas que devem executar.

Vemos que isso acaba por gerar tempo ocioso, sem produtividade, uma vez que devem cumprir uma tabela de horas e não uma tabela de funções.

A fim de cumprir uma tabela de horas, vocês também buscaram preencher as horas do relógio com mais e mais ações, sobrecarregando-se de tarefas e funções, levando a Humanidade a permanecer nos locais de trabalho mais “tempo” do que o necessário.

E vemos que isto parece não ter fim. Vemos que se sobrecarregam mais e mais e nos preocupamos com a falta de limite, pois não sabemos onde vão parar se acaso não se abrirem para modificar este aspecto. Ações, tarefas, funções e objetivos deveriam estar à frente do relógio.

Vocês deveriam ir para casa quando tivessem terminado a demanda daquele dia. Vocês deveriam ser comandados por metas e objetivos, não mais pelo relógio!

O tema “carga horária” deveria sair de seus contratos empresariais, assim como dos seus contratos escolares e/ou afins! Vocês já podem priorizar funções, metas e objetivos, e Eu sugiro que comecem a computar o seu dia por aquilo que se propuseram a fazer, saindo do relógio mecânico e digital.

Você tem coragem de deixar o relógio em casa?

Experimentem ousar e fazer diferente. Experimentem deixar o relógio em casa e olhem para as sequencias de ações. Deixem que o biorritmo do seu corpo lhes diga a hora de comer, a hora de dormir, a hora de passear, a hora de trabalhar.

Sei o quanto é difícil começar, especialmente quando todos ao redor estão ainda na velha consciência de tempo. Porém, alguém deve começar!

Se cada qual começar a vivenciar o tempo de forma diferente, haverá um momento em que toda a Humanidade absorverá essa nova percepção.

Quero que deixem de ser comandados pelo relógio, pois ele mede um tempo que está deixando de existir para vocês!

Transição Planetária de forma suave:
Um compromisso com o Plano Espiritual

Nós lhes dissemos que a Transição Planetária seria suave. Suaves serão os seus aprendizados e suavemente vocês se moverão. Mas para isso, devem deixar de resistir, pois tendem a se apegar ao velho. Sugiro que se abram para que possam encontrar novas formas de estar no seu mundo!

Tenho dito que a aceleração do tempo os direcionará para a quinta dimensão. E aqui está o grande momento e o grande desafio.

Como é o tempo na quinta dimensão?

Quero que saibam que na quinta dimensão o tempo está a nosso favor!

Nós somos os Senhores do Tempo e vocês estão aprendendo a ser como Nós.

Ser o Senhor do Tempo nos dá a liberdade de determinarmos se o tempo pára ou se o tempo anda, se o tempo corre ou se o tempo volta.

Nós esticamos ou encurtamos o tempo e se vocês quiserem aprender, verão como isso pode ser tão simples!

Um período de transição:
Duas dimensões ao mesmo tempo

Vocês estão vivendo em duas dimensões ao mesmo tempo!
Tarefa não muito simples, porém estimulante e desafiadora.

E viver em duas dimensões ao mesmo tempo significa que estão absorvendo os recursos das dimensões superiores, e esses mesmos recursos devem ser utilizados na tridimensionalidade.

Posturas, atitudes, sentimentos e pensamentos típicos da quinta dimensão precisam se manifestar exatamente onde estão, pois só assim se preparam para instalarem-se definitivamente na quinta dimensão.

Deixem adiar as suas ações para quando estiverem nos níveis superiores, pois o caminho não é esse.

O momento é agora.

Melqusiedeque recomenda:

1. Coloque sua consciência no agora.

2. Desligue a sua mente do passado e deixe de sentir a ansiedade do futuro.

3. Baseie-se no relógio biológico, ele vai te ditar o momento de agir, o momento de descansar.

4. Comande o tempo, esticando-o, encurtando-o, parando-o. Experimente.

5. Intencione viver o seu dia na quinta dimensão.

Melquisedeque propõe um exercício:

1. Antes de começar o seu dia, invoque a Espiral Dourada de Melquisedeque.

2. Visualize-se entrando nela.

3. Comande: “Eleva-me para a quinta dimensão”!

4. Intencione viver o seu dia na quinta dimensão.

E então, comande o tempo conforme necessite:

1ª. Sugestão: Você pensa que tem muitas coisas para fazer em pouco tempo?

1. Faça uma lista de ações.

2. Olhe para o tempo tridimensional e pense quando precisa terminá-las.

3. E comande: “Eu executo todas essas ações e tarefas na quinta dimensão, onde o tempo não existe conforme eu entendo. E quando terminá-las serão (diga a hora tridimensional) na terceira dimensão”

2ª. Sugestão: Você pensa que está atrasado?

Comande: “Eu estico o tempo agora e determino que na terceira dimensão serão (diga a hora) quando eu chegar onde preciso, ou quando eu terminar esta tarefa, ou… (o que mais necessitar)”

3ª. Sugestão: Você peque está nsa muito atrasado?

Comande: “Eu determino que o tempo páre agora. Quando estiver pronto com (descreva a tarefa), na Terra tridimensional serão (diga a hora)”

4ª. Sugestão: Você pensa que “perdeu o tempo” e pensa que não dá mais tempo?

Comande: “Eu determino que o tempo volte para (diga a hora)”.

Dica de Melquisedeque:

Após determinarem o que desejam com o tempo, não olhem mais para o relógio, por mais que fiquem tentados a isso, pois a sua mente ainda não acredita que possa comandar o tempo e ao olhar para o relógio vocês perdem o comando que deram, retornando ao ponto inicial.

Mas se acaso isso aconteça, comandem de novo.

Com a prática, vocês terão outras ideias e saberão o que fazer em cada situação.

Eu espero ter ajudado e incentivo a Humanidade a experimentar a nova percepção!

Desejo que se tornem os Senhores do Tempo!

Eu Sou Melquisedeque em Ação!

 

Uma Mensagem de Melquisedec
Através de Tania Resende

Via: http://www.decoracaoacoracao.blog.br/

 

COMO AS PESSOAS QUE ESTÃO ENTRANDO NA QUINTA DIMENSÃO ESTÃO AGINDO?

527261_4172893116114_549019221_n

1 — Querem questionar suas existências. Querem buscar o autoconhecimento e têm coragem de acessar suas verdades e descobrir que realmente são.

2 — Não têm medo do autoenfrentamento e preferem sair da zona de conforto ao invés de continuarem presas aos velhos condicionamentos doentios como o medo, o sofrimento e a desesperança.

3 — Não aceitam mais a esperança como padrão para as suas vidas. Estão trocando os sentimentos de esperança pelos sentimentos de confiança. Pois já descobriram que a esperança é somente um maneira bonita de continuar esperando sempre por amanhãs, eternos amanhãs que nunca chegam.

4 — Querem agir ao invés de apenas aguardar que outras pessoas façam o que somente elas podem fazer para mudar as suas vidas.

5 — Não esperam mais que os milagres caiam do céu pela força do acaso, como se fosse possível o Universo dar algo sem querer nada em troca.

6 — Não pedem nada de graça, querem retribuir e não apenas receber.

7 — Já descobriram que não têm controle sobre as outras pessoas e não querem mais mudá-las. Mas lutam para dar o máximo de si para que seus exemplos mudem as outras pessoas.

8 — Não querem mais tudo na hora que desejam. Estão compreendendo que a paciência no fundo é uma prática da paz com a consciência. Têm plena certeza que tudo virá no momento certo e mais adequado. Trabalham insistentemente e com convicção para aquilo que desejam, mas não tentam mais controlar o tempo, pois sabem que não têm esse poder.

9 — Não brigam mais, preferem conversar e dialogar. É impossível entrar na quinta dimensão por exemplo um casal que discute constantemente por motivos futeis como ciúmes ou medo. Sabem que a traição não é um problema do traído, mas sim de quem traí, pois este sim está com um sério problema para ser resolvido em sua vida.

10 — Se posicionam perante as dificuldades e não potencializam mais o problemas. Potencializam sim as soluções. Sempre as soluções.

1 1— Trocaram os sentimentos de inveja pelos sentimentos de admiração.

12 — Têm certeza que tudo o que for para ser, já é. Estão começando a acessar seus propósitos de vida, decretados antes dos seus nascimentos. Sendo assim sabem que há vida após a morte, há vida antes do nascimento e há vida o tempo todo. A vida não cessa jamais.

13 — Já descobriram que as pessoas não mudam, elas apenas vão se transformando naquilo que realmente são e sempre quiseram ser.

14 — Não querem mais perder tempo reclamando. Seus pontos de vistas estão mudando gradativamente e estão começando a enxergar que este mundo é repleto de coisas possíveis de agradecimento diário.

15 — Não querem apenas sobreviver, querem viver intensamente as suas vidas, pois sabem exatamente o valor espiritual que elas possuem.

16 — Estão começando a compreender que a gratidão é o sentimento mais poderoso que existe, e que este sentimento possui uma vibração altíssima capaz de transmutar todos os sofrimentos em cura, todos as mazelas em concórdias e elevações.

17 — Já entendem que a felicidade não está no futuro como disseram para elas desde que nasceram. Sabem que a felicidade verdadeira está no agora e se chama gratidão. Não buscam mais a felicidade, pois sabem que quem está em busca da felicidade no fundo está decretando para si mesmo que é uma pessoa infeliz. Sentem-se felizes porque sabem que é dentro do presente dinâmico e eterno onde tudo acontece.

18 — Sabem que podem criar suas realidades a partir da imaginação e do poder das suas intenções. Não desejam coisas a esmo, desejam com potência e intensidade, pois somente assim conseguirão dialogar com a natureza e manifestar os milagres sobre a Terra.

19 — Não querem perder tempo com fofocas e conversas que não levam a lugar algum. Sabem inverter as vibrações dos ambientes e neutralizar as energias negativas de forma consciente e eficaz.

20 — Estão optando por valorizar mais as pessoas do que as coisas. Sabem que as coisas materias têm preço e a coisas imaterias como as amizades verdadeiras e o amor são coisas preciosas, que por sinal serão somente essas que levarão para além desta vida.

21 — Não querem mais viver num mundo de acúmulos de coisas e consumo doentio. Querem compreender o que é o compartilhamento mútuo e desejam viver em harmonia. Querem dividir para somar e não acumular para juntar.

22 — Não querem mais perder tanta energia tentando se equilibibrar. Preferem a harmonização, pois sabem que todos aqueles que tentam se equilibrar uma hora caem, pois estão vivendo o tempo todo numa espécie de corda bamba.

23 — Querem resolver os problemas o mais rápido possível e só atraem pessoas que pensam da mesma forma. Detestam conviver e trabalhar com pessoas enroladas que não gostam de decidir e estão sempre tentando controlar mental e psiquicamente as outras pessoas.

24 — Estão completamente salvas das mazelas da procastinação. Querem ir adiante e agir.

25 — Estão se sentindo diferentes das outras pessoas, mas sabem que não são melhores que ninguém. Sabem que não são pessoas especiais, mas ao mesmo tempo terão mais responsabilidades perante a sociedade.

26 — Estão isentas de qualquer tipo de preconceito justamente por saberem que um dia já foram em vidas passadas ou poderão ser em vidas futuras aquela pessoa a qual a sociedade pede para julgar. Há somente respeito. Não há discórdia.

27 — As religiões estão ficando em segundo plano. O que importa é a sua ligação direta com Deus. Sem intermediários.

28-Estão tendo sonhos lúcidos e projeções fora do corpo que elucidam suas vidas passadas e futuras.

29 — Estão tendo acesso aos seus mentores espirituais através da intuição e da clarividência.

30 — Querem e crêem no mundo melhor. Não aceitam a ideia das catástrofes e da falta de amor na humanidade. Têm absoluta certeza que a luz vencerá a escuridão como sempre fez.

31 — Não estão mais conseguindo assistir televisão.

32 — Sabem que a quinta dimensão não é um lugar, mas sim uma frequência.

33 — Não têm mais medo do desconhecido. Sabem que o mundo extrafísico faz parte da Natureza dos homens e a paranormalidade deve ser encarada como algo natural e não como algo amedrontador.

34 — Sabem que o demônio não existe. Existe somente orgulho, egoísmo, ganância, medo e ilusão.

Por: Carlos Torres – Escritor e mensageiro, editor, palestrante, pai e pacifista.
Via: http://www.osegredo.com.br

A MAGIA DO CAOS

A Estrela do Caos (também chamada ‘caosfera’ por alguns praticantes) é o simbolo mais popular na Magia do Caos, outras variantes também existem.

Possui oito pontas equidistantes que partem de um ponto central, e pode representar o vazio do cosmos, o universo ou ainda, as oito direções (oito portas), tal qual a rosa dos ventos, composta dos quatro elementos (terra, água, ar e fogo) e os quatro estados intermediários da matéria (o seco, o úmido, o frio e o quente).

Foi criada originalmente pelo escritor britânico Michael Moorcock com o intuito de representar o “Símbolo do Caos” e, posteriormente, foi adotada como símbolo da “Magia do Caos”, portanto, sendo utilizada por magos e ocultistas

Magia do Caos ou Caoísmo (dentre tantos outros nomes adotados pelos praticantes) é uma forma de ritual e magia relativamente nova, utilizando-se de quebras de paradigmas e alterações do estado de consciência (ora de formas excitativas, ora de formas inibitórias), como técnicas gnósticas, meditativas, sufis, orgásticas, ou com uso desubstâncias psicoativas.[1]

Princípios gerais

Mesmo que poucas técnicas sejam exclusivas da Magia do Caos, ela é frequentemente altamente individual e toma emprestado deliberadamente de outros sistemas de crenças, devido à crença central de que a crença é um instrumento. Algumas fontes comuns de inspiração incluem diversas áreas como ficção científica, teorias científicas, magia cerimonial tradicional,neoxamanismo, filosofia oriental, religiões e experimentações individuais. Não obstante a tremenda variação individual, os magos do caos frequentemente trabalham com paradigmas caóticos e humorísticos, como Hundun do taoísmo e Éris do discordianismo.

Magos do caos frequentemente são vistos por outros ocultistas como perigosos ou preocupantes revolucionários.

História

Austin Osman Spare era inicialmente envolvido com a Ordem da Golden Dawn, e por fora também com ordens como a O.T.O e a Astrum Argentum de Aleister Crowley; porém, mais tarde se afastou delas para trabalhar independentemente.

Dali em diante ele iria desenvolver práticas e teorias que iriam, após a sua morte, influenciar profundamente a I.O.T.. Especificamente, Spare desenvolveu o uso de sigilos, e técnicas envolvendo estados de êxtase para dar poder a estes sigilos. Spare também foi pioneiro no desenvolvimento de um “alfabeto sagrado pessoal”, e, sendo um artista plástico talentoso, usou imagens como parte de sua técnica de magia. A maior parte dos trabalhos recentes em sigilos remete ao trabalho de Spare: a construção de uma frase detalhando o intento mágico, seguida da eliminação de letras repetidas e a recombinação artística (normalmente simétrica) das letras restantes em uma só imagem formando o sigilo.

Embora ele não tenha originado o termo, e talvez não aprovasse o mesmo, hoje ele é visto como o primeiro Magista do Caos.

Após a morte de Aleister Crowley (e a do então obscuro Spare), a magia praticada pelos ocultistas remanescentes no Reino Unido tendeu a se tornar cada vez mais experimentalista, pessoal, e bem menos ligada às tradições mágicas estabelecidas pelas ordens. Reações a isso incluem a disponibilidade pública de informações secretas antes do século XX (especialmente nos trabalhos publicados por Crowley e Israel Regardie), o Zos Kia Cultus (nome do estilo de magia radicalmente inortodoxa de Austin Osman Spare), a influência do Discordianismo e seu popularizador Robert Anton Wilson, o Dadaísmo, e a grande popularização da magia causada por cultos folcloristas embasados em sistemas mágicos de Crowley, como a Wicca, e o uso de drogas psicodélicas.

O termo Magia do Caos apareceu pela primeira vez no Liber 0 (também chamado “Liber Null”) de Peter Carroll, publicado pela primeira vez em 1978. Nele, Carrol formulou vários conceitos de magia radicalmente diferentes daqueles considerados “mistérios mágicos” na época de Crowley. Este livro, junto ao “Psychonaut” (1981) do mesmo autor, mantém importantes fontes. magistas que se alinham a estas ideias costumam se chamar de várias formas, evitando repetir a mesma. Algumas destas formas de nomenclatura são: “Caoísta”, “Caota”, “Magista do Caos”, “Caoticista”, “Eriano”, “Discordista”, “Caoseiro”, dentre outros tantos nomes – por vezes muito bem humorados e/ou pouco polidos.

Carroll também co-fundou com Ray Sherwin O Pacto Mágico dos Illuminates of Thanateros, ou, na abreviatura mais conhecida, I.O.T., uma organização que continua a pesquisa e desenvolvimento da Magia do Caos hoje em dia. A maior parte dos autores e praticantes renomados de Magia do Caos mencionam afiliação ou algum grau de influência a esta. Porém, a Magia do Caos tem como característica marcante ser uma das vertentes de magia menos organizadas do mundo, fazendo isso propositalmente.

Quebra de Paradigma Mágico – ou “Quebrar o Ego”

Uma das mais curiosas questões da Magia do Caos é o conceito de Quebra (ou Troca) de Paradígma Mágico, ou “Quebra do Ego”. Usando o termo de Thomas Kuhn, Carroll criou a técnica de arbitrariamente modificar o modelo (ou paradigma) de magia das pessoas, uma questão principal na Magia do Caos. Através desta, o magista busca por trocar constantemente a crença em um paradigma, não apenas de forma linear como é visto nas outras pessoas, mas de forma objetiva e proposital, ziguezagueando entre crenças diferentes (e geralmente contraditórias) e “se aproveitando” dos resultados que elas geram sem ficar preso a nenhuma.

Esta quebra é encontrada não apenas em ritos, mas também no dia a dia, através da chamada “quebra do ego”.

Muitos caoístas uniram a Magia do Caos ao uso de diversas ciências modernas, entre elas a Psicologia e a Psicanálise.

Como a base de trabalho dos ritos caoístas consiste na total desconstrução de tudo rumo ao Caos (daí o nome Caoísmo), uma técnica muito utilizada no treinamento pessoal dos caoístas é a chamada “quebra do ego”, que consiste em negar e trocar gostos pessoais como uma forma de banimento pessoal, indo contra tudo aquilo que o ego acredita como pessoa, gerando em si mesmo a desconstrução buscada pela Magia do Caos. Um exemplo de quebra do ego é por exemplo, um vegetariano comer carne. Aqui cabe imaginação ao magista, para aplicar estes exercícios em âmbitos profissionais, sexuais, familiares, gregários, entre outros, e conseguir permanecer são – podendo ser até este conceito questionado.

O principal mote da Magia do Caos é: Nada é verdadeiro, tudo é permitido – atribuído a Hassan i Sabbah – O Velho da Montanha, líder da Ordem dos Hashishins que impôs seu poderio no Oriente Médio medieval, influenciando os Templários, e consequentemente as ordens de magia contemporâneas que neles se inspiraram.

Como o “Faze o que tu queres há de ser toda a Lei” de Crowley, essa frase é por vezes mal compreendida e interpretada de forma literal como “Não há verdade, então faça o que você quiser”, quando “Nada é verdadeiro, tudo é permitido” significa algo como “Não existe uma verdade objetiva fora da percepção pessoal; assim sendo, qualquer coisa pode ser verdadeira e possível”.

A ideia é que a crença é uma ferramenta que pode ser aplicada à vontade de formas conscientes. Alguns magistas do caos creem que ter crenças inusuais e por vezes bizarras é interessante como uma forma de considerar a flexibilidade de crenças e utilizá-las a seu dispor.

Magia do Caos no Brasil

A cada ano, novos magistas se tornam adeptos deste meta-sistema mágicko, especialmente no Brasil.

Encontra-se em plena atividade a sede sul-americana da I.O.T. com reuniões no Rio de Janeiro, e magistas independentes trabalham na divulgação da Magia do Caos, mesmo não pertencendo à I.O.T.

Fonte: Wikipédia – https://pt.wikipedia.org/wiki/Magia_do_Caos

A ERA DA ENERGIA FEMININA – A ERA DE AQUÁRIO

1601235_774878269222315_3381197774444274944_n

Com o Raio Sincronizador emanado do Centro da Galáxia, às 14h17min (horário de Brasília), do dia 21 de dezembro de 2012, que atingiu o planeta Terra sete minutos depois (tempo que levou para chegar a este Sistema Solar), começou definitivamente a Era da Energia Feminina – a Era de Aquário.

Com este Impulso Cósmico começou uma nova disposição mental e vibratória predispondo a humanidade a um novo pensar e agir, para que possa readquirir sentimentos outrora possuídos, quando foram distorcidos por falsos valores e por conceitos impostos, que desde então estavam inseridos no proceder dos seres humanos – e, muitos deles associados à sua sexualidade.

Estes Sentimentos de uma época mais remota expressos como uma Energia Pura e que começam agora ser resgatados, as Amazonas Matriciais já os tinham em outro período da historia da humanidade. O seu campo vibratório especial não tinha energeticamente nenhuma mistura, porque ele não misturava com o campo vibratório de outras pessoas. Elas conseguiam neutralizar qualquer energia em desarmonia que por acaso tentasse aderir no campo eletromagnético de seu corpo (aura).

A presença neste planeta das Amazonas Matriciais em outra época sempre foi do conhecimento de alguns (“iniciados”). Entretanto, para o publico em geral esta presença é tida como uma lenda na forma de mulheres guerreiras. Estas Sumo-Sacerdotisas viveram em comunidades sem a presença de homens, que só eram aceitos quando demonstravam capacidade mental e vibracional associada à paranormalidade (“sacerdotes”), mas mesmo assim suas presenças eram aceitas apenas durante o tempo necessário para gerar filhos, que eram criados por elas se fossem do sexo feminino.

Durante muito tempo a lenda das Amazonas já povoava o imaginário dos gregos e dos romanos, sendo citada no poema épico Eneida de Virgilio e também na Ilíada de Homero. Ela está também presente em todos os continentes, com exceção da Oceania. E, todas as mulheres citadas na Bíblia são da linhagem das Amazonas Matriciais, que contribuíram para a presença física de Cristo na Terra. Atualmente as mulheres que herdaram a genética das amazonas são as caucasianas, mas, no Brasil existem também tanto mulheres com a sua descendência na vibração de “sacerdotisas” quanto os homens com a sua descendência na vibração de “sacerdotes” – pessoas diferenciadas geneticamente pela sua sensibilidade, criatividade e  habilidades paranormais.

O motivo verdadeiro da presença das Amazonas no planeta Terra não esteve relacionado “à arte de guerrear”, mas o de trazer Harmonia à humanidade através da estabilização da Freqüência Schumman, com o auxilio das vibrações sonoras que produziam através de suas cordas vocais. Emitiam um som melódico que ressoava como vibrações celestiais, para que sincronizassem as moléculas da água no formato tetraédrico e influenciassem com esta vibração todos os corpos vivos (vegetais, animais e seres humanos), que são constituídos em grande parte de água. Portanto, elas tiveram uma missão muito especial, que só elas poderiam realizar, ajudando harmonizar a maneira de pensar e de agir das pessoas daquela época, quando já as preparava vibratoriamente para a vinda de Jesus Cristo. Portanto, elas vieram em função da paz e não em função da guerra, como diz a lenda.

As Amazonas Matriciais eram “Sumo-Sacerdotisas” com diversos dons extrasensoriais, que as permitiam manipular com facilidade as Leis Universais para a terceira dimensão. Elas traziam também em seu olhar o poder da magia, que através desta sua força extraordinária também as possibilitava apenas mentalmente serem compreendidas, sem se expressarem oralmente.

A energia que elas irradiavam era de muita pureza, porque não tinham bloqueios emocionais ou de julgamento em relação ao que faziam. Logo após o ato sexual que tinham com os “sacerdotes” apenas por necessidade de procriação, elas neutralizavam através do seu campo energético a energia do homem (inserido no “sacerdote”), conservando-se com a sua pureza vibratória inicial, como se não o tivesse feito e sem o sentido de pecado como muitas vezes a sexualidade ainda é vista hoje.

As Amazonas Matriciais tiveram a missão de reciclar a energia sexual, que naquele tempo como hoje era muito má utilizada, para uma vibração mais pura através de vibrações sonoras provenientes de suas cordas vocais na forma de canções e de “mantras” ultra-sônicos. A entonação por elas criada vibrando na freqüência semelhante à da harpa, gerava uma sincronia com tudo e com todos.

Estas Matriciais pertencem a uma raça de um mundo em uma galáxia em espiral, que está distante da Terra 2,2 milhões de anos-luz. É uma galáxia que em um ciclo de 144 mil anos tem uma aparência como estivesse esticada, para depois em mais 144 mil anos ter a aparência de uma espiral ou de uma cobra enrolada. A energia da kundalini é representada na forma de uma serpente enrolada por este motivo.

A 13ª. Constelação (Ophiuchus, Ofiúco – Caçador de Serpentes) tem como signo do zodíaco a cobra. Ela está relacionada à “13ª Tribo” ou às Amazonas, que superaram todas as outras doze tribos pelo seu alto grau de evolução e iluminação.

Entretanto, os indícios mais autênticos desta “13ª. Tribo” foram apagados ou removidos propositalmente com o sentido de eliminar tanto os ensinamentos destes seres quanto a prova de suas presenças!… Por quê?… Porque removeram da face da Terra qualquer lembrança mais precisa do poder mágico destas Sumo-Sacerdotisas, que eram seres iluminados com o poder alquímico da transformação e que irradiavam através do seu olhar, do seu sorriso e da sua voz grande magnetismo e magia?…

As atividades vibracionais (do Projeto Portal) estão voltadas para este Novo Ciclo, portanto estão também em sintonia vibracional com a Freqüência das Amazonas. E estas atividades resumindo agora tudo o que já foi feito em relação à energia da kundalini – à energia sexual já transformada em Freqüências Multivibracionais, elas finalizam nesta freqüência as demais atividades que ali já foram feitas anteriormente.

Estas “sacerdotisas e os sacerdotes” de hoje descendentes das Amazonas Matriciais possuem qualidades extrassensoriais ativas. Possuem também informações conseguidas através das linhas de reencarnação. Com informações e treinamentos, despertam-se para a percepção de altas freqüências vibratórias, que são posteriormente convertidas em Energia Taquiônica (Energia do Pensamento), acelerando o seu padrão evolutivo.

Estas mulheres e homens pesquisadores do Projeto Portal que possuem a genética destas Matriciais e que agora ainda interagindo com seus parceiros de outras realidades estão mais informados, já sabem transformar a Energia da Kundalini – energia sexual, em Energia Vibracional. Sabem também que esta Energia já transformada em Freqüências Multivibracionais, só acontece através da Energia Taquiônica, que já é a soma de todas as formas de energia (sexual e emocional) por eles geradas em sintonia com o Cosmo. Sabem ainda que agora podem se expressar de fato na Vibração do Amor Universal, que não é mais apenas aquele amor limitado por sensações humanas pregado por religiosos, filósofos e poetas. Sabem que esta Vibração é mais ampla, permitindo-os que equilibrem totalmente as três linhas básicas do destino pré-programado de suas Três Linhas da Vida.

O Novo Ciclo que agora se inicia com a Era de Aquário, identificando-se com a presença mais consistente da Energia Feminina, ele é também o momento que se inicia “O Retorno”, para que principalmente as mulheres (as “sacerdotisas modernas”) possam a partir de agora direcionar com muito mais sensibilidade, mas também comandar com a firmeza de “guerreiras” a humanidade, para que ela volte aos verdadeiros valores e objetivos do Cristo Cósmico, em obediência ao Quinto Princípio Universal – em obediência ao movimento de retorno entre dois pólos que sempre se manifesta nos planos físico, mental e espiritual.

Chegou o momento para que com a liderança destas mulheres (auxiliadas pelos homens) usem de fato sua Vontade, para que possam finalmente em um grau de Equilíbrio e Firmeza Mentais, não mais deixarem a humanidade mover à direita e à esquerda pelo pendulo mental das condições e das emoções coletivas, que sempre a jogaram para lá e para cá em varias ocasiões de sua historia. Estas “sacerdotisas” modernas já possuem capacidade de mudar a vibração de tudo através do seu direcionamento mental, quando já são vistas cada vez mais em todas as atividades humanas comandando-as. Elas podem!… E podem muito mais!… Já tem condições de se tornarem “senhoras de todas as Leis”, por agirem em sintonia com elas, por agirem com mais acuidade de acordo com os Princípios que as regem.

__________________________

Neste Novo Tempo com a sensibilidade feminina mais presente e que é mais própria da mulher, serão desmitificados certos paradigmas e dogmas que pontuam doutrinas religiosas e mesmo esotéricas (herméticas). Serão paulatinamente derrubadas teorias que versam sobre liturgias, cerimoniais e a criação da raça humana, para que se reescreva a história da humanidade, já extirpada de versões que ainda nos dias de hoje correm como verdades imutáveis.

Neste reinicio para a humanidade com a Era de Aquário se mostrando cada vez mais, a presença da mulher de maneira gradativa e silenciosa começa conquistar com a sua versatilidade espaços de trabalho praticamente em todas as atividades humanas, usufruindo do seu poder – do poder mais criativo de seus trinta e sete canais mentais, que o homem apenas os possui em numero de dezoito.

A mulher possuindo mais do dobro de canais mentais que o homem, ela é mais intuitiva e mais criativa do que ele. É mais capacitada para se inserir nesta nova etapa do conhecimento e de realizações humanos, fazendo-se mais presente, quando não é mais necessária a força bruta masculina anexadora de novos espaços físicos, como acontecia comumente como conquistas territoriais na era anterior, na Era de Peixes – hoje a força bruta é utilizada empregando-se a tecnologia das maquinas, que podem facilmente ser comandadas tanto por homens quanto por mulheres.

Na Era de Aquário com novas descobertas tecnológicas e de transformações profundas no comportamento humano, “vícios” milenares serão a partir de agora mais firmemente removidos, mas talvez aqueles mais difíceis de serem removido estejam na forma de informações acumuladas como aparente cultura, que para ser removidas vai exigir uma esforçada “faxina mental” – principalmente àquelas fundamentadas em culturas religiosas.

A verdadeira transmutação é uma Arte Mental. A palavra transmutar significa mudar de uma natureza (substancia) em outra e da mesma forma. Então, a Transmutação Mental é a arte de transformar e de mudar os estados, as formas e as condições mentais em outras – é a Arte da Química Mental.

O “universo humano” é criação mental de uma mente finita (humana), enquanto o Universo d’O Todo é criação de uma Mente Infinita (Deus). Ambos são semelhantes em natureza, mas infinitamente diferentes em grau.

A Mente Infinita d’O Todo é a matriz dos Universos. O Universo como a humanidade o conhece não é substancial e nem duradouro – é uma coisa de tempo, espaço e mobilidade. A Verdade Absoluta pode ser definida como sendo as Coisas como a Mente de Deus as conhece, ao passo que a verdade relativa está relacionada às coisas como a mais elevada razão da mulher e do homem as compreendem.

Sabedores dos Princípios Universais as “sacerdotisas” e os “sacerdotes” de hoje (no Projeto Portal) valendo-se, sobretudo, da Primeira Lei Universal, que estabelece ser o Universo Mental em sua natureza, aceleram a sua freqüência mental e “chamam” as “Naves” (GNA, Gemus e outras de freqüências diferentes) para que se mostrem fisicamente como se aparecessem “do nada” e depois se sumissem “no nada” e, quando então, deduzem que é através da Infinita Mente Vivente (Deus), que mentes finitas (humanas) podem mesmo em realidades diferentes se comunicar e interagir.

Neste Novo Ciclo de especial abertura mental o ser humano precisa sair de uma realidade estática e obscurantista que já faz tempo nele foi incutida pelo GO (Governo Oculto) e começar a vivenciar outra realidade mais dinâmica – mais vibrante e eterna. Vida é conhecer, é vivenciar o eterno conhecimento e, sobretudo, é cada um se conhecer cada vez mais, buscando no mais profundo de seu ser o Cristo interno.

Aquela ou aquele que busca o Cristo Cósmico deve ter a alma transbordando de aventura, certo de que se jogou destemido no mundo do nada das coisas materiais, mas tendo a certeza de que neste mundo visível como ponto mais baixo, encontrará o ponto mais alto alem mesmo do Universo físico, ao ser conduzido através de seu Cristo interno pelos mundos mental-invisíveis, pelos mundos multidimensionais.

O “novo ser” desta Nova Era que realmente esta em busca de si mesmo, ele deve “ser mental”, mas ao mesmo tempo deve também “ser espiritual” dentro de uma “alquimia” necessária para que se descubra em relação à realidade em sua volta, tanto aquela que ele vê, quanto àquela que ele normalmente não vê, “experimentando-se como “o observador” alem mesmo dos processos quânticos de “entrelaçamento”.

A Física Quântica desmitificou a dicotomia matéria-onda. O Universo em constante vibração é composto de ondas. Nele o pensamento esparge ondas que se propagam na veiculação da energia empregada. O direcionamento do pensamento submetido à Vontade de forma concentrada realiza “milagres”, pela interação ondulatória do pensamento na estrutura ondulatória da própria matéria.

As “novas” mulheres e os “novos” homens deste Novo Tempo ao se concentrarem já são capazes de utilizarem da força de sua Vontade para dominarem Leis Universais como Co-Criadores, para então manipularem Freqüências Multivibracionais no mundo da matéria, materializando-a ou transformando-a.

O Universo pode ser dividido em três grandes classes conhecidas de fenômenos, que como Três Grandes Planos são denominados: Grande Plano Físico, Grande Plano Mental e Grande Plano Espiritual. Estes três Planos penetram uns nos outros, assim esta divisão que não é solida e nem exata pode ser colocada entre os mais elevados fenômenos do Plano Físico e o mais inferior do Plano Mental. A vida antes de emergir em um nível de complexidade da matéria, já existia potencialmente nela. A mente que também emerge com certo nível de complexidade da vida com o auxilio do cérebro,  também já existia potencialmente nela. O “mundo Terra” já existia na Infinita Mente Vivente, projetado para que através dos elementos fogo, água, terra e ar servissem ao reino mineral, vegetal e animal coexistindo em equilíbrio.

As “sacerdotisas e os sacerdotes” de hoje estão em busca do Verdadeiro Conhecimento perdido no tempo, muitos deles associados distorcidamente a lendas e mitos.   Com informações que agora estão recuperando procuram tornar as “Senhoras” e os “Senhores” que dominam Leis Universais, porque é através delas que podem ser também os donos de suas próprias leis em seu “mundo interior”.

Buscar informações para adquirir novos conhecimentos é “vibrar” em outro nível de consciência e almejar também, ir alem do “laboratório” de experiências espaço-tempo.

Estas buscadoras e estes buscadores de si mesmos que procuram se conhecer através do Real Conhecimento, eles estão em permanente o estado de auto-referência, olhando para si mesmos conscientes de seu Eu Verdadeiro.

Elas e eles que buscam desenvolver a sua Potencialidade de Co-criadores estão em intenso processo de criatividade interior para melhor perceber o “Mecanismo” da Causalidade Descendente – a Consciência Cósmica ou Deus fazendo presente em sua vida de “observadores”.

A Nova Ciência traduzida pelos conceitos da Física Quântica exige das sacerdotisas e dos sacerdotes de hoje que pesquisam neste novo campo, um estado de percepção (intuição) mais apurado que os permite também mais interiorizados, “se ligarem” mais à Consciência Cósmica – o Ser Quântico que é o Verdadeiro Portador da Criatividade.

Tudo no Universo é Energia. Os seres humanos são partículas conscientes no Universo. Partículas divinas constituídas de memória e vibrando através de Freqüências de Onda. Mas, aqueles que ficam flutuando entre a atração e a repulsão (quase sempre perdidos em seu mundo interior), o seu direcionamento a nível eletromagnético através de seu campo energético utilizando-se de seus olhos ou de sua fala, ele acaba por interferir em seu padrão evolutivo. Portanto, é necessário que todos os caminhantes destes novos tempos (mulheres e homens) abram para novos conhecimentos, abram a mente para uma maior compreensão em relação às Energias, mas não só aquelas de campos eletromagnéticos.

Por: Antônio Carlos Tanure

Via: pegasus.portal.com.br

CRIANÇAS DA NOVA ERA – CRIANÇAS ÍNDIGO? CRIANÇAS CRISTAL? – DIFERENTES

1087

Nos dias de hoje, constatamos e confrontamo-nos com novos problemas educacionais, ocasionados por um número crescente de crianças e jovens que parece não conseguir adaptar-se às características, regras, valores, necessidades e exigências das sociedades atuais.

A origem, ou causas, do constante aumento de crianças com estes tipos comportamentais ainda se encontra envolta num mistério, muito embora as diferentes áreas da ciência e da pseudociência tenham vindo a tentar identificar e compreender estas situações.

Se abordarmos o problema de uma forma, mais ou menos, simplista, poderemos concluir que as principais causas destes comportamentos problemáticos se devem, acima de tudo, à alteração de valores e a diversos fatores específicos das sociedades atuais, nos quais se incluem as alterações da estrutura da família nuclear, a falta de tempo, por condicionalismos profissionais, alienação e desresponsabilização dos pais na educação das crianças; a evolução científica e tecnológica que, através de diferentes meios e equipamentos (TV, computadores, consolas, telemóveis) e atividades associadas aos mesmos, os quais facilitaram enormemente a comunicação à distância, o acesso à informação, ou as deslocações, mas que, paradoxalmente, contribuíram, de forma decisiva, para a alteração de diversos comportamentos sociais e relações interpessoais, nomeadamente ao nível comunicação verbal ou da leitura, propiciando um cada vez maior isolamento real das crianças, dos jovens e das famílias, particularmente daquelas que, pelas suas características pessoais ou ambiente familiar desfavorável, já reúnem determinadas condições que propiciam o isolamento e desenquadramento na sociedade.
Contudo, notoriamente, estas ilações são manifestamente insuficientes para explicar a complexidade da situação.
Todos nós conhecemos, pelo menos, uma família que enfrenta este tipo de problemas, com um ou mais filhos.
Nas salas de aula, os Professores sentem-se absolutamente impreparados para trabalhar com este género de alunos e, diariamente, veem-se em sérias dificuldades para manter um ambiente, minimamente, aceitável para a aprendizagem de todos.
É incontestável que os “Diferentes”, como habitualmente costumo identificá-los, são cada vez mais. E, neste momento, já não é razoável pensar que antigamente também existiam, tantos como agora, apenas não estavam sinalizados, por que nos últimos 100 ou 80 anos a evolução da medicina e, particularmente, da neurologia tem sido enorme, tendo estes casos apenas começado a ser identificados a partir dos anos 40, do século XX, e vindo a aumentar progressivamente, especialmente a partir da década de 70.
Reduzir a origem dos seus comportamentos, apenas, a uma educação familiar deficiente, também não parece minimamente credível, pois não só existem centenas de famílias, com dois ou mais filhos, em que apenas um deles apresenta este tipo de comportamento, como, ainda que uma educação deficiente e/ou um ambiente pouco equilibrado possam originar comportamentos desadequados, por parte das crianças, não parece razoável que esses comportamentos se encaixassem em padrões tão constantes, nem que a percentagem dos afetados fosse tão significativa.
Psiquiatras e Psicólogos “rotulam-nos”, quase arbitrariamente, como portadores da Síndrome de Asperger ou de TDAH – Transtorno de Deficit de Atenção, a qual tem duas vertentes, com e sem hiperatividade, mas que normalmente é mais associada à Hiperatividade, ou, indo mais longe, como Autistas.
Já a pseudociência, associada, de alguma forma, à New Age / Nova Era e encabeçada por algumas correntes místicas encontrou explicações diferentes.

“A partir da década de 80, elas começaram a chegar, mais e mais. São crianças espetaculares, que chegam para ajudar a Humanidade na transformação social, educacional, familiar e espiritual de todo o planeta, independente das fronteiras e das classes sociais. Estas crianças são como catalisadores da nova consciência e vêm desencadear as reações necessárias para as transformações.”

“As crianças CRISTAL são recém-chegadas ao planeta (cada vez em maior número). No entanto, sempre existiram, ainda que em pouca quantidade (Jesus Cristo foi uma delas). As crianças cristal são os chamados pacificadores, pois trazem atributos de paz e equilíbrio para poder continuar o trabalho começado pelas crianças índigo. Ambas as crianças representam um desafio para a sociedade, especialmente para os pais. A forma de tratá-las vai ter de mudar, os pais e os educadores têm de adotar novas formas de ser, para lidar corretamente com as crianças da nova vibração.
(…) “Que sabemos das crianças da vibração de cristal? Por um lado, sabemos bastante. Por outro, nada sabemos de muito concreto. Como as próprias crianças, a informação, neste momento, é muito etérica, muito sutil e pouca óbvia. A diferença dos seus irmãos e irmãs ‘confrontadores’ Índigo, as crianças cristal não modificaram as coisas … ainda. O 11 de setembro de 2001 foi um ponto decisivo, um sinal e uma porta de acesso para a próxima onda de crianças. A era das crianças cristal já chegou.”

Por outro lado, outros referem-se às crianças índigo e cristal da seguinte forma:

“Muito se tem falado sobre crianças Índigos e Cristais, mas quem são elas? Onde vivem? Como surgiram estas denominações?

A denominação Criança Índigo se originou com a parapsicóloga, sinesteta e psíquica Nancy Ann Tappe, por volta dos anos 70. Em 1982 Tappe publicou o livro “ Entendendo Sua Vida Através da Cor”, onde ela descreveu este conceito, afirmando que por volta dos anos 60 ela começou a perceber que muitas crianças nasciam com suas auras “índigas”(aura com predominância da cor azul índigo). Em 1998, a ideia foi popularizada e foi lançado o livro “ As Crianças índigo: As novas crianças chegaram”, escrito por Lee Carroll e Jan Tober. Em 2002, no Havaí, ocorreu uma conferência internacional sobre crianças índigos, com 600 participantes. Nos anos subsequentes, estas conferências ocorreram na Flórida e em Oregon. Os anos passaram e vários filmes e documentários foram produzidos sobre o assunto.

Contrapondo-se a isso, Sarah Whedon W., em 2009 escreve um artigo onde alega que os pais rotulam seus filhos como ‘índigo” para fornecer uma explicação alternativa para o comportamento indevido de seus filhos, decorrentes do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH).

Russell Barkley, psicólogo, comenta que essas terminologias “Índigo e Cristal, que surgiram no movimento Nova Era, ainda não produziram evidências empíricas da existência de tais crianças, pois para ele, as características descritas são muito vagas. Especialistas em saúde mental estão preocupados por rotular uma criança como “índigo ou Cristal”, pois muitas vezes, pode se retardar o diagnóstico e tratamento adequado que poderia ajudar a criança. Nick Colangelo, professor especialização na educação de crianças com altas habilidades, faz questionamentos de quem está lucrando com estas terminologias, uma vez que muitos livros, apresentações e vídeos estão sendo comercializados com esse assunto.

Dentro desta mesma linha, Lorie Anderson, em seu artigo “Índigo: A cor do dinheiro”, argumenta que a crença em crianças índigos tem um valor comercial significativo, devido às vendas de livro,(…) “

CARACTERÍSTICAS DAS CRIANÇAS ÍNDIGO

Chegam ao mundo com sentimento de realeza e a curto tempo se comportam como tal;
Têm a sensação de ter uma tarefa específica no mundo, e se surpreendem quando os outros não a partilham;
Custa-lhes aceitar a autoridade que não oferece explicação nem alternativa;
Sentem-se frustrados com os sistemas ritualistas que não requerem um pensamento criativo;
As curto-prazo encontram formas melhores de fazer as coisas, tanto em casa como na escola;
Não reagem pela disciplina da culpa;
Não são tímidos para manifestar as suas necessidades

Características comuns (mais evidentes) entre as Crianças Índigo e Cristal.

ÍNDIGO e CRISTAL

São extremamente sensíveis (à energia dos outros, ao meio ambiente, etc.);
São muito preceptivas, até mesmo psíquicas (em vários graus);
Têm uma noção clara da importância do seu propósito de vida global;
São congruentes entre: coração, mente, palavras e ações;
Percebem facilmente a FALTA DE INTEGRIDADE e de honestidade;
Têm muita paixão: pela vida, pelo amor, pela justiça;
De jovens a adultos, têm um sentido agudo de serviço e ajuda humanitária;
Por natureza, não julgam;
Em geral, têm um elevado sentido de humor;
Necessitam de: água, natureza, arte, roupa de fibra natural, exercício físico e um ambiente seguro tanto física como emocional, psíquica e espiritualmente;
Requerem a presença à sua volta de adultos emocionalmente estáveis.

CARACTERÍSTICAS DO SÍNDROME DE ASPERGER

Interesses específicos e restritos ou preocupações com um tema em detrimento de outras atividades;
Rituais ou comportamentos repetitivos;
Peculiaridades na fala e na linguagem; Padrões de pensamento lógico/técnico extensivo;
Comportamento social e emocionalmente impróprio e problemas de interação interpessoal;
Problemas com comunicação (não há comprometimento da linguagem, estritamente falando);
Transtornos motores, movimentos desajeitados e descoordenados;
Frequentemente, por um Q.I. verbal significativamente mais elevado que o não-verbal18
Às vezes pessoas com SA podem ser consideradas rudes, frias nos seus comportamentos, mas na verdade é só seu modo de tentar reagir ou entender ações;
Nem sempre pessoas com SA são compreendidas; por isso, devem ser tratadas com mais calma em alguns aspetos.

CARACTERÍSTICAS DA TDAH – Transtorno de Deficit de Atenção com, ou sem, Hiperatividade

Dificuldade em prestar atenção nos detalhes;
Errar por descuido nas atividades escolares pela dificuldade em manter a atenção;
Não seguir instruções;
Não terminar as tarefas;
Às vezes parece não escutar ou se faz de surdo;
Dificuldade em organizar tarefas e atividades;
Distrai-se facilmente com estímulos externos;
Evitar ou relutar em “realizar” esforço mental;
Perder coisas necessárias para as tarefas e ser facilmente distraído por qualquer estímulo externo.
Muitas vezes a falta de atenção pode vir acompanhada do sintoma de impulsividade, e pode até ter um aspeto positivo quando este comportamento leva a uma ação, pode no entanto, tornar-se patológico;
Falta de planeamento em função da busca intensa e constante da gratificação imediata e das novidades.
A impulsividade é um dos sintomas muito persistentes, impulsivamente interrompe o que está fazendo para iniciar outra atividade e vai acumulando várias tarefas sem finalizá-las.

CARACTERÍSTICAS DO AUTISMO

Dificuldade de relacionamento com outras pessoas;
Riso inapropriado;
Pouco ou nenhum contato visual – não olha nos olhos;
Aparente insensibilidade à dor – não responde adequadamente a uma situação de dor;
Preferência pela solidão; modos arredios – busca o isolamento e não procura outras crianças;
Rotação de objetos – brinca de forma inadequada ou bizarra com os mais variados objetos;
Inapropriada fixação em objetos;
Percetível hiperatividade ou extrema inatividade – muitos têm problemas de sono ou excesso de passividade;
Ausência de resposta aos métodos normais de ensino – muitos precisam de material adaptado;
Insistência em repetição desnecessária de assuntos, resistência à mudança de rotina;
Não tem real medo do perigo (consciência de situações que envolvam perigo);
Procedimento com poses bizarras (fixar objeto ficando de cócoras; colocar-se de pé numa perna só; impedir a passagem por uma porta, somente liberando-a após tocar de uma determinada maneira os alisares);
Ecolalia (repete palavras ou frases em lugar da linguagem normal);
Recusa colo ou afagos – bebés preferem ficar no chão que no colo;
Age como se estivesse surdo – não responde pelo nome;
Dificuldade em expressar necessidades – sem ou limitada linguagem oral e/ou corporal (gestos);
Acessos de raiva – demonstra extrema aflição sem razão aparente;
Irregular habilidade motora – pode não querer chutar uma bola, mas pode arrumar blocos;
Desorganização sensorial – hipo ou hipersensibilidade, por exemplo, auditiva;
Não faz referência social – entra num lugar desconhecido sem antes olhar para o adulto (pai/mãe) para fazer referência antes e saber se é seguro.

Mas, afinal, quem, ou o quê, são estas crianças, ditas, índigo e cristal?

Estamos a falar de crianças com problemas ao nível do comportamento emocional e social, dificuldades de integração social, concentração e desempenho escolar, sem que, no entanto, estas especificidades se encontrem relacionadas, na maior parte dos casos, com atrasos, deficiências mentais ou demências, nem mesmo com um Q.I. (quociente de inteligência) inferior ao das crianças, ditas, “normais”. Pelo contrário, muitas destas crianças têm capacidades especiais e únicas.
O conjunto destas características tornam-nas desconcertantes, provocando a incompreensão, rejeição ou dificuldades nas relações familiares, escolares e sociais.
Enquanto a ciência procurou rotulá-las, a pseudociência pretende divinizá-las.
Na maior parte das situações, aquilo que nos parece mais lógico, mais coerente ou mais sensato, é efetivamente, o que mais perto se encontra da verdade.
E, na verdade, com estas crianças, encontramo-nos perante o desconhecido, pelo que serão provavelmente esses critérios que nos conduzirão mais próximo da verdade.
Ao analisarmos a evolução da humanidade, desde os primeiros homens, ou humanoides, realizamos que, ao longo dos tempos, estes sofreram diversas mudanças, ou mutações, as quais parecem encontrar-se relacionadas com o desenvolvimento da inteligência, embora que essas alterações também se tenham vindo a fazer ao nível anatómico e orgânico.
Se entendermos o Universo e a Natureza como um todo inteligente, compreendemos que a sua evolução, alterações e mutações não acontecem aleatoriamente, mas, sim, com um propósito determinado.
Partindo deste princípio, poderemos, então, analisar estas crianças de uma nova perspetiva e tentar encontrar diferentes respostas, para as nossas questões.
Imaginemos que o processo de evolução da humanidade ainda não terminou. Nesse caso, as mudanças e mutações, mais lenta, ou mais rapidamente, continuarão a acontecer.
À semelhança do que aconteceu na pré-história, onde neanderthais robustos e com um cérebro grande, viveram na Europa e oeste da Ásia, sobrevivendo até 24 mil anos atrás, coexistindo com os modernos Homo sapiens sapiens, apesar de estudos de ADN provarem que não podiam reproduzir-se entre si, também, agora, essa evolução pode não estar a realizar-se em toda a humanidade em simultâneo. E, mais do que isso, essa evolução pode ser feita em várias etapas, sendo que é provável que a mesma seja sujeita a erros e falhas.
Júlio Verne, nascido na segunda década do século XIX, era um visionário e, através dos seus livros de aventuras, descreveu uma realidade que, à época, só poderia ser entendida como ficção científica. No entanto, a maioria das suas descrições encontram-se extraordinariamente próximas de uma realidade que só viria a acontecer muitos anos depois e para a qual ainda não existiam dados científicos suficientes que a pudessem prever. São exemplos disso os seus livros “Da terra à Lua” e “Vinte mil léguas submarinas” ou, ainda, “Viagem ao Centro da Terra”, aventura para a qual os homens ainda não conseguiram criar as condições de realização.
Já no séc. XX, Robert A. Heinlein ou Aldous Huxley transportaram-nos para uma nova realidade e um novo mundo com os seus livros “Um estranho numa terra estranha” e “Admirável mundo novo”.
Mais do que da evolução da ciência e de novas tecnologias, estes livros falam-nos de seres inteligentes, diferentes dos humanos, até mesmo vindos de outros mundos, e de sociedades tão diferentes das da época que as histórias narradas nessas obras só poderiam ser consideradas como histórias ficcionais, provenientes de cérebros extraordinariamente imaginativos, quando não, algo alucinados.
Contudo, ainda que até hoje não nos tenhamos deparado com seres vindos de outros planetas, muitas das realidades descritas nesses livros, encontram-se cada vez mais próximas da nossa realidade atual.
Não creio que as nossas crianças “Diferentes” sejam extraterrestres que têm vindo a “aparecer” por aqui. Não porque ponha em causa o facto de poder existir vida inteligente noutros sistemas solares ou galáxias, mas por que, ainda que existam, a distância a que nos encontramos, temporal e espacialmente, tornaria esse processo extraordinariamente difícil, se não impossível.
Não creio que Deus, numa espécie de passe de mágica, começasse a enviar para a Terra uns seres estranhos e divinais. Pois o Deus em que acredito, ainda que imenso e poderoso, rege-se pelas mesmas leis com que criou o Universo, todas elas absolutamente explicáveis pela ciência, embora que não as conheçamos todas ainda.
Não creio que as transformações, evolução e características das sociedades, só por si, tivessem dado origem a um aumento exponencial de crianças com padrões emocionais e de comportamento tão similares entre si e tão diferentes dos demais.
Parece-me admissível pensar que estes padrões representam uma fase da evolução da humanidade, que ainda não se encontra finalizada, a qual provoca um desfasamento entre as novas e/ou diferentes capacidades destas crianças e a realidade do mundo em que vivemos. O que, dependendo do grau de evolução, do número ou tipo de características diferentes e da forma como as crianças reagem e gerem o choque com uma realidade que não se lhes adequa, as pode tornar mais “Diferentes” (Autistas; Aspergers), ou menos “Diferentes” (TDA).
No entanto, tudo o que temos, de momento, são suposições, e hipóteses. Pelo que, aquela que me parece ser a atitude mais adequada, deverá ser a de, enquanto aguardamos respostas mais sustentadas cientificamente, tentarmos conviver com estas crianças, educando-as, tentando compreendê-las, apoiando-as e, acima de tudo, não desistindo delas, amando-as e, obrigando-nos a fazer o mais difícil, ACEITANDO-AS.

Por: Teresa Varela – via:circulodaforca.blogspot.pt/2014/02/criancas-da-nova-era-criancas-indigo.html

A DÁDIVA DE VIVER

Imagem

Por vezes você caminha pela vida com o olhar voltado para o chão,pensamento em desalinho, como quem perdeu o contato com sua origem divina. Olha, mas não vê…Escuta, mas não ouve…Toca, mas não sente…Perdido na névoa densa que envolve os próprios passos, não percebe que o dia o saúda e convida a seguir com alegria, com disposição, com olhar voltado para o horizonte infinito, que lhe acena com o perfume da esperança.Considere que seu caminhar não é solitário e suas dores e angústias não passam despercebidas diante dos olhos atentos do Criador, que lhe concede a dádiva de viver.Sinta quão delicioso é o aroma do amanhecer, o cheiro da grama, da terra após a chuva, do calor do sol sobre sua a cabeça, ou da chuva a rolar sobre sua face.Detenha-se a apreciar as pequeninas coisas que dão sentido à vida.Aquela flor miúda que, em meio à urze, sobrevive linda, perfumosa, a brilhar como se fosse grande. Sinta-se vivo ao apreciar o voo da borboleta ou do pássaro à sua frente.Escute os barulhos da natureza, a água a escorrer do riacho, ou simplesmente aprecie o céu, com suas nuvens a formar desenhos engraçados, fazendo-se e desfazendo-se sobre seus olhos.Mas se o céu estiver escuro e você não puder olhá-lo, detenha-se no micro universo, olhe o chão.Quanta vida há no chão!Minúsculos seres caminhando na terra, na grama…A formiga na sua luta diária pela sobrevivência, e tantas coisas para ver, ouvir, sentir, cheirar, para fazer você sentir-se vivo.

Observar a natureza é pequeno exercício diário que fará você relaxar, esquecer por instantes as provas, ora rudes, ora amenas, que a vida nos impõe.Somos caminhantes da estrada da vida, somando, a cada dia, virtudes às nossas caminhadas ainda medíocres, mas que se tornarão luminosas e brilhantes.Aprenda a dar valor à dádiva de viver. Isso fará o seu dia se tornar mais leve e, em silêncio, sem palavras, sem pensamento de revolta, você terá tido um momento de louvor a Deus.

Aprenda a silenciar o íntimo agitado e a beneficiar-se das belezas do mundo que Deus lhe oferece.

Aprenda a dar graças pela dádiva da vida.

Por: Vicente romero

Via: Fonte Eterna: https://www.facebook.com/pages/Fonte-Eterna

EQUINÓCIO DE OUTONO – O NOVO ANO ASTROLÓGICO

Imagem

Todo ano, quando o Sol ingressa no Signo de Áries, começa um novo ano astrológico. Na natureza, acontece um equinócio e uma nova estação tem início. Quando o equinócio de março acontece, aparentemente o Sol cruza a linha do equador para o norte e, por isso, no hemisfério norte começa a primavera. Para nós, no hemisfério sul, começa o outono.

A partir desta data, o Sol inicia uma nova volta no zodíaco e temos o início do ano novo astrológico. Este novo ano astral começa com Sol conjunto à Marte e Urano que também estão em Áries. Isso sugere um ano de ação e novidade. Pede mais iniciativa e novas atitudes. Mudanças precisam acontecer.

Mercúrio, Vênus e Netuno estão em Peixes no momento do começo desse novo ciclo, pedindo que sonho, imaginação, intuição e sentimento estejam presentes, guiando nossos passos e norteando nossas escolhas.

Por falar em norte, o nodo que indica o caminho a ser seguido está em Escorpião, preparando um encontro com Saturno, que está no signo das profundezas trazendo nossas sombras para a Luz da aceitação.

A Lua em Câncer no início do ano astrológico reforça a necessidade de mantermos o sentimento sempre presente, respeitando o próximo, cuidando com mais carinho de tudo e de todos que nos são importantes. Isso também inclui nosso planeta.

Ainda este ano, Júpiter ingressa em Câncer (no segundo semestre) formando um triângulo de água: Júpiter em Câncer, Saturno em Escorpião e Netuno em Peixes. As águas do mundo pedem atenção.

Mas voltando ao início do ano, podemos sentir intensificar algo que já está acontecendo. Estamos notando que está tudo caminhando para seus extremos, para os pólos. O que está funcionando está ganhando estrutura e resultados. Estamos assistindo grande quantidade de pessoas se encontrando, seguindo seu verdadeiro caminho. Por outro lado, estamos vendo muita coisa desabar. As falsas verdades e as estruturas sem base estão desmoronando, porque neste momento apenas fica o que é de verdade.

O ano novo astrológico começa oferecendo uma dose extra de energia e coragem para transformarmos aquilo que for necessário. Mas é preciso lutar, fazer um esforço, porque nada cai assim do céu. Mas, com certeza, se agirmos certo teremos bons resultados.

Vale lembrar que Saturno é o regente do ano e que ele está em Escorpião e, no mapa de ingresso, retrógrado, nos levando para o mais profundo de nós mesmos e de nossas vidas. Estamos vivendo uma espécie de “auditoria”, individual e coletivamente. Estamos sendo obrigados a encarar nossos maiores medos e enxergar todas as nossas sombras. Como se ele apontasse sua lanterna para aqueles nossos cantos mais escuros, que precisam de limpeza e transformação.

Mas também estamos resgatando nossos tesouros e conseguindo enxergar nossos recursos para superar o que for preciso e conquistar o que mais desejamos. Porque Saturno dá trabalho, mas recompensa. Saturno oferece resultados na medida de nossos esforços, porque apesar de desafiador, é muito justo.

Saturno também nos ensina que existe um tempo para cada coisa e que temos que respeitar não apenas esse tempo, mas todos os limites que nos são impostos, sejam nossos, dos outros, da vida.

Este também é um ano que permitirá a transformação de sonhos em realidade. Mas para isso é preciso estar sintonizado com a alma, com a essência. É preciso limpar nossos porões, jogar fora nossos lixos. Ou melhor, reciclá-los, transformá-los. E, porque não, é preciso transformarmos a nós mesmos, porque se queremos um mundo melhor, temos que melhorar o que somos, temos que nos transformar em quem somos de verdade, sem máscaras.

Esse é o ano da justiça, da verdade, da coragem e da superação. É verdade que pode também ser um ano de perdas, de transformações e desafios. Mas certamente é um ano de grandes acontecimentos, com possibilidades infinitas de conquistas para quem tiver a coragem de viver a vida por inteiro, com verdade e profundidade.

Feliz ano novo!!

Por: Titi Vidal