AS ENERGIAS DE SETEMBRO 2018 E A ASCENSÃO PLANETÁRIA

imagemlili

O vórtice da varredura planetária está cada vez mais intenso! A Terra, se comparada à uma máquina de lavar, está no seu enxague final. Tudo está se direcionando para a reta final da grande chegada ao Clube dos Mundos Ascensionados.

As ressonância magnética medida pela Escala Schumann, que desde a sua implantação a quase 100 anos, sempre esteve estabilizada em 7.83 Hz, começou a subir em 2012. Entre 2015 e 2016, estabilizou em média na faixa dos 14 Hz. Houve picos de até 35 Hz em 2017, mas agora em 2018, está se mantendo quase sempre na faixa dos 40 Hz. Há momentos que ultrapassa o nível de 100 Hz. Foi o que aconteceu agora no início de setembro. Essa vibração exagerada é provocada pelas emissões eletromagnéticas dos ventos solares. Uma vez que aumentou também a intensidade da Luz Cristalina de Fótons, tudo por aqui na Terra está sendo modificado.

As energias dos diversos mundos sofrem sempre a interferência dos demais, não somente do seu Sistema Solar local, mas também de todos os Astros do quadrante da sua Galáxia e também de toda a Galáxia a qual pertence. A além disso ainda. Por isso, Gaia está se adequando às energias mais elevadas e equiparando-se aos demais Orbes.

A Terra, nossa casa planetária, está atingindo a sua maioridade agora. Novos Tempos estão chegando e vai transformar tudo o que há nela, inclusive a humanidade. Deixará de ser um Planeta de escola primária onde o aprendizado era a formação da consciência criadora, para experienciar, daqui em diante, os resultados dessa consciência expandida que tudo cria apenas com a intenção.

É por isso que uma parte da humanidade não poderá mais habitar este Planeta, pois a sua consciência perversa não terá mais afinidade com as energias de Quinta Dimensão.

Tivemos a partir de maio, a Segunda Grande Onda de energia transformadora por aqui. Essa onda gigantesca teve seu ápice agora na primeira metade de setembro. É como se fosse uma frota de caminhões de lixo descarregando todos ao mesmo tempo e no mesmo lugar.

Quem se encarregou de dissolver essa sujeira toda, foi o Portal da Lua Nova de 09-09. Coincidindo a Nova neste dia 09, tivemos então um impressionante Vórtice energético de um triplo 9. (9.9.9 ou seja, 9-9-18 [1+8 =9])

Muitos de vocês sentiram algo diferente por esses dias. Cada um liberou aquilo que ainda tinha dentro de si e que não ressoava mais com as novas energias. Desta forma, os sintomas não foram necessariamente iguais para todos.

De um modo geral, toda a Terra está sendo beneficiada com isso. O número 9 é sempre sinal de CONCLUSÃO. Basicamente, o programa para 2018 está concluído. Agora podemos sentir um certo alívio até o final do ano. Mesmo assim, muitas coisas estão acontecendo e irão acontecer neste mês de setembro. Pena que a Grande Mídia se presta ao serviço das Trevas e esconde tudo aquilo que está servindo à Luz. Mas não poderão ir muito longe com isso. As revelações estão na porta do túnel para entrar em campo muito em breve. Há novidades incríveis chegando!

A limpeza referente ao Portal 9.9.9, é muito abrangente. Podemos aproveitar para limpar também as coisas materiais, como o nosso quintal, o nosso armário, a nossa casa, enfim, tudo aquilo que não ressoa mais com as novas energias, começam a perder o sentido de ali estar.

Também nos relacionamentos, muitas pessoas se afastarão, e outras se aproximarão. O momento é de introspecção, pois o espaço liberado ficará maior e precisamos reorganizar o nosso mundo interno.

Muitas emoções velhas, principalmente feridas ainda não curadas, virão à tona para sangrar e nos mostrar que ainda estão ali. Por isso as crises de ansiedade, depressão, pânico, medo, raiva, intolerância, etc.

Tudo está sendo potencializado. Exatamente para que possamos identificar o que é preciso expurgar e curar.

É também um momento de posicionamento. Como estamos na bifurcação da estrada da vida, cada um está se posicionando para o lado do trigo ou do joio. Na medida que as escolhas procedem, irá aumentar ainda mais o distanciamento entre uns e outros, pois as duas estradas seguirão rumos opostos. Desta forma, de nada adianta querer que o outro venha pela mesma estrada. E tampouco você poderá ir com ele. São as energias distintas que, pelo magnetismo, atrai cada um para a estrada correspondente.

Os sinais do Universo já se mostram desde 2012. Irão se intensificar muito daqui em diante. Coisas impressionantes acontecerão nos próximos anos. Mesmo ainda neste mês de setembro, podemos ter algo extraordinário, que fará as pessoas se posicionarem. Embora quase todos já estejam decididos em referência aos caminhos a seguir, ainda existe uma pequena parcela da humanidade que permanece “em cima do muro”. As oportunidades surgirão para que se definam.

Estamos aqui nesta atual encarnação à serviço. Essa é a missão de alma de cada um. SERVIR! Ninguém veio para ser servido. É esse serviço que definirá o joio e o trigo. Porém, “não se deve servir à dois Senhores ao mesmo tempo”. O tempo de aprendizado já foi concluído. Agora, é entregar os últimos trabalhos, limpar as gavetas, pegar o canudo e seguir para uma Escola de nível mais alto. Ou então, se reprovado, voltar para um mundo muito primitivo, novamente de Provas e Expiações, e reiniciar o aprendizado mais uma vez. Lembre-se que as escolhas são individuais. “A cada um segundo suas obras”.

 

Eu sou Vital Frosi e minha missão é o esclarecimento.

Via: Eu Sem Fronteiras – www.eusemfronteiras.com.br

Anúncios

Os 5 Estágios da Nossa Consciência segundo a Filosofia dos Vedas

48015_10151632691239783_1137384415_n

De acordo com a filosofia dos Vedas, a consciência humana passa por 5 estágios distintos durante o seu processo de evolução. Passando pelo estágio inicial de materialista à criadora.

Algumas pessoas podem considerar essas informações um pouco mística, no entanto, trata-se de uma tradição filosófica antiga. Segundo a maioria dos historiadores ocidentais, a civilização védica começou a elaborar seu pensamento filosófico no primeiro milênio a.C.

A  civilização védica desenvolveu suas concepções filosóficas na região do subcontinente indiano e tinha como base de sua cultura, tanto a materialidade quanto a espiritualidade. A dualidade já estava presente na forma como a sociedade se organizava.

Conheça agora os 5 estágios da nossa consciência segundo a filosofia dos vedas.

Estágio Obscuro

Obscuro aqui não tem o mesmo significado do que “mau”, mas sim, sem “luz”.

Nesse estágio o homem não consegue enxergar além do mundo físico. Para ele nada existe além da criação material. Por isso, forma seus conceitos com base naquilo que vê. O que para os vedas é o motivo para causar dor e sofrimento existencial, mas como o todo é perfeito, nada permanece igual para sempre, nem mesmo o homem que se diz convicto de um conhecimento em relação ao mundo.

A pessoa no estágio obscuro é levada naturalmente a ter vislumbres de uma consciência mais ampla. Sua ideia de mundo material vai sendo aos poucos colocada em questão, mesmo contra a sua vontade.

O filósofo pré-socrático, Heraclítico, dizia que tudo muda, não existe nada fixo, exceto a certeza da mudança. Os nossos pensamentos mudam conforme nossas relações com o mundo. Nunca permanece imutável.

Estágio Motivado

Esse estágio é alcançado quando a pessoa assume que deve haver algo a mais,  isto é, além daquilo que consegue compreender em relação a sua existência na sociedade. Ele luta para descobrir a verdadeira natureza do universo e persiste na busca da compreensão de tudo aquilo que existe ao seu redor. Dessa forma, ele concentra-se sua mente e descobre o seu interior.

Estágio Firme

O homem chega a esse estágio quando a compreensão dessa existência interior se torna natural e há percepção de que os fenômenos externos nada mais são do que criações mentais. Nesse estágio a pessoa submerge-se nos mais profundos dos seus pensamentos, o que os vedas chamam de “rio sagrado”.  Ele chega gradualmente a postura espontânea de gratidão ao universo simplesmente por existir.

Estágio Devotado

Nesse estágio a devoção aos pensamentos do “rio sagrado” torna-se o estado natural de sua consciência.  Nesse estágio de consciência o homem consegue compreender a totalidade de ilusão  do mundo da qual ele mesmo é parte, bem como toda a criação.

Estágio Puro

O último estágio é alcançado quando o homem está completamente ciente das ilusões do mundo, e compreende  a espiritualidade na plenitude de sua existência, no todo do universo. Aqui ele não se sente inferior ou superior a ninguém, ele se sente parte de todo o universo. Sente-se conectado em tudo o que existe. Portanto, o falso ego não tem mais poder em sua consciência. Nesse estágio a sua luz é percebida por qualquer pessoa que se aproxime. A lucidez espiritual  é perceptível.

Dessa maneira, ele abandona a ideia de indivíduo, eu, sujeito, singularidade, etc..  Passa a sentir como um ser plural conectado ao universo.

Indicação de leitura complementar: Veda: Segredo do Oriente, uma Antologia de Artigos e Ensaios.

Gostou? Compartilhe e deixe seu comentário.

Por: O Martelo de Nietzsche

https://omartelodenietzsche.com

EVOLUIR É SER CADA VEZ MAIS SI MESMO

childs-progress-1

Gastamos muita energia tentando ser o que não somos ou tentando ser o que os outros esperam. Em ambos os casos saímos da nossa frequência de origem e, com isso, criamos uma série de desequilíbrios desnecessários em nossas vidas.

Perdemos o poder natural de realização, pois ficamos sempre sem energia. A partir disso começamos a experimentar dificuldades e a falta do dinamismo que fazem as coisas acontecerem.

Qualquer dificuldade seja em que nível for é um aviso do universo tentando mostrar que você está indo contra você, logo, contra o fluxo natural do universo. O único caminho que lhe conduz a uma vida bem sucedida é sempre o caminho que lhe conduz a si mesmo.

Você já conhece esse caminho, pois quando era criança estava em sua frequência e a vida tinha vibração. O poder quântico de colapsar novas realidades requer que volte a ser uma criança aos “olhos” do universo, ou seja, solte a tensão, deixe de se preocupar e faça tudo com boa vontade e não se preocupe com os resultados ou como será avaliado. Isso é tudo.

Para lhe ajudar nisso, pare todos os dias em algum momento, relaxe e afirme sem a pretensão de ter que acreditar: “Eu sou um ser ilimitado e me abro para experimentar as possibilidades que sintonizam o meu propósito.” Direcione a sua energia e atenção para isso todos os dias e verá o resultado.

#PAZeLUZ

CONSCIENCIOLOGIA E PROJECIOLOGIA – A CIÊNCIA DA NOVA ERA

estudio-experiencia-fuera-del-cuerpo

CONSCIENCIOLOGIA

A Conscienciologia é a ciência que estuda a consciência – ser, ego, alma, self, princípio inteligente – e suas diversas formas de manifestação. A consciência é você, um ser vivo autoconsciente que se manifesta em outras dimensões fora da vida humana. O termo conscienciologia vem do Latim: conscientia – com conhecimento e do Grego: logos – estudo.

A Conscienciologia estuda a consciência “inteira”, considerando todos os seus corpos, dimensões e existências, em um enfoque integrado. A consciência é a nossa realidade maior, mais do que a energia e a matéria, outras de nossas realidades. Nossa consciência não é o corpo físico nem um subproduto do cérebro humano. Na realidade, podemos nos manifestar além do corpo humano e, portanto, do cérebro. Esse fato pode ser verificado através das experiências fora do corpo.

A consciência pode se manifestar a partir de 4 estados básicos:

  1. Estado consciencial intrafísico. Corresponde ao estado de consciência na dimensão física, imersa na matéria vitalizada do corpo físico.
  2. Estado consciencial extrafísico. Corresponde ao estado de consciência na dimensão extrafísica, após ter desativado o corpo físico (morte biológica) ou antes do renascimento.
  3. Estado consciencial projetivo. Corresponde ao estado de consciência projetado para fora do corpo físico, aquele em que o indivíduo se encontra temporariamente com seus veículos de manifestação em descoincidência.
  4. Estado de consciência contínua. Corresponde ao estado de consciência completamente lúcido, no qual a pessoa percebe todo o processo de separação dos corpos, a soltura do energossoma, do psicossoma, podendo chegar à soltura do mentalsoma ou à projeção mental.

Para se manifestar a partir desses 4 estados conscienciais básicos, a consciência utiliza seu conjunto de corpos, ou seja, o holossoma:

  1. Soma: corpo humano.
  2. Energossoma: corpo energético.
  3. Psicossoma: corpo emocional.
  4. Mentalsoma: corpo mental.

Na vigília física, esses veículos estão coincididos. Na vida não-física (extrafísica), quando estamos projetados ou no estado extrafísico, ocorre a descoincidência entre esses veículos de manifestação consciencial, levando-nos a nos manifestar em múltiplas dimensões, além da dimensão física.

A consciência é multiexistencial. A vida humana atual é apenas uma dentre as várias existências da consciência. Já vivemos muitas vidas no passado e viveremos muitas outras no futuro. Em Conscienciologia, essa série de existências da consciência recebe o nome de seriéxis.

A base de manifestação de todas as consciências é constituída por 3 componentes indissociáveis, a que denominados de PENSENE: a idéia ou pensamento (PEN), a emoção ou sentimento (SEN) e a energia (ENE).

A consciência penseniza o tempo todo, ou seja, elabora pensamentos e emite energias sadias ou patológicas, conforme seu estado consciencial. Assim, interage emitindo e recebendo pensenes, em qualquer dimensão (física ou extrafísica) em que se encontre. Tal fato reforça a importância de conhecer mais a fundo seu padrão de pensamento, para identificar padrões externos e ser capaz de perceber quais os seus pensenes e quais os dos outros com os quais está interagindo. Daí a importância de promover a higienização ou a profilaxia dos próprios pensenes, para manifestar-se de modo mais sadio e maduro no local ou ambiente onde atua.

A partir dessas abordagens de estudo da consciência, a Conscienciologia oportuniza a potencialização de várias posturas prioritárias à evolução:

  1. Entendimento da indestrutibilidade da consciência.
  2. Vivência de emoções e sentimentos racionalizados.
  3. Melhoria da capacidade de discernimento.
  4. Reconhecimento de si próprio como agente catalisador da evolução de todos.
  5. Organização racional das próprias idéias.
  6. Ampliação do nível de originalidade do seu trabalho pessoal.
  7. Obtenção de um nível máximo de desrepressão.

Especialidades

A Conscienciologia, ciência multidisciplinar e multidimensional, exige análise acurada de suas especialidades e sub-especialidades. O quadro sinóptico a seguir, mostra as interrelações dessas especialidades, considerando como critério de ordenação, a abrangência espacial em 6 Ordens Lógicas. A elaboração do quadro sinóptico constitui-se de maneira análoga a um estudo anatômico, através do qual vamos situando espacialmente cada elemento (especialidade) em relação aos outros (partes) e ao todo (Conscienciologia).

 

QUADRO DE ESPECIALIDADES DA CONSCIENCIOLOGIA
1ª Ordem Lógica 2ª Ordem Lógica 3ª Ordem Lógica 4ª Ordem Lógica 5ª Ordem Lógica 6ª Ordem Lógica
Pensenologia Evoluciologia Experimentologia Parabiologia Parabotânica
Parazoologia
Comunicologia Conviviologia Assistenciologia
Projeciologia Projeciografia
Projeciocrítica
Cosmo-análise
Parapedagogia Infocomunicologia
Holorresomática Intrafisicologia Ressomática
Proexologia
Invexologia
Recexologia
Dessomática
Extrafisicologia Intermissiologia
Parageografia
Paratecnologia
Parassociologia Conscienciocentrologia
Paracronologia Para-história
Consciencioterapia Paraclínica Paraprofilaxia
Parassemiologia
Paraterapêutica
Projecioterapia
Paracirurgia Paranestesia
Parassepsia
Para-hemostasia
Paracicratrização
Holocarmalogia Egocarmalogia
Grupocarmalogia
Policarmalogia
Holomaturologia Conscienciometria Despertologia
Serenologia
Cosmoética
Holossomática Somática Sexossomática Androssomática
Ginossomática
Macrossomática
Holochacralogia
Psicossomática Paragenética
Paraneurologia
Mentalsomática Mnemossomática
Paranatomia
Parafisiologia Parafenomenologia Parapercepciologia Cosmoconscienciologia
Para-regeneração
Parapatologia
Homeostática

PROJECIOLOGIA

A Projeciologia é um subcampo ou especialidade da ciência Conscienciologia, que estuda as projeções da consciência para fora do corpo físico, ou seja, as ações da consciência (ego, self ou personalidade humana) em dimensões não físicas, livre do restringimento do corpo biológico. A ciência Projeciologia também investiga outros fenômenos projeciológicos, tais como: bilocação, clarividência, experiência de quase-morte (EQM), intuição, precognição, retrocognição, telepatia, entre outros. O termo projeciologia vem do Latim, projectio, projeção e do Grego, logos, tratado.

O fenômeno projetivo é relatado desde a Antiguidade nas mais variadas culturas. Vem desde as chamadas iniciações no período Antigo, o culto ao kha do antigo Egito, o homo duplex descrito pelo escritor francês Honoré de Balzac, até a recente denominação, ainda mísitica, conhecida por desdobramento ou projeção astral.

Hoje, denominado de projeção da consciência ou experiência fora do corpo (out of-the-body experience – OBE), por cientistas e pesquisadores, o fenômeno passou a ser estudado de modo científico, propiciando a autopercepção de que é natural e fisiológico, e de que ocorre com todas as pessoas independente de seu conjunto de valores, credo, raça, sexo, idade, classe social e nível cultural, classificando-se como fenômeno universal.

A ciência Projeciologia foi proposta em 1981, a partir da publicação do livro Projeções da Consciência, de autoria do médico e pesquisador Waldo Vieira, projetor consciente desde os 9 anos de idade. Em 1986, Waldo Vieira publica o tratado Projeciologia – Panorama das Experiências da Consciência Fora do Corpo Humano, hoje (2010), em sua 4ª edição, com 1232 páginas e 2040 referências bibliográficas, sendo considerado uma referência internacional sobre o estudo da projeção consciente.

Pesquisas internacionais indicam que a projeção de modo consciente é alcançada e vivida por milhões de pessoas em todo planeta. Todos nós saímos do corpo, normalmente quando dormimos. No entanto, para a maioria da humanidade, falta lucidez durante a experiência extracorpórea e rememoração do fenômeno projetivo vivenciado. Por essa razão, muitos pensam que a projeção não existe. E por não trazerem dela uma lembrança clara, confundem-na com sonhos.

Sair do corpo humano, com lucidez, é a mais preciosa e prática fonte de esclarecimentos e informações prioritárias acerca dos mais importantes problemas da vida, elucidando-nos sobre quem somos, de onde viemos e para onde vamos.

(Waldo Vieira, Nossa Evolução, 1997)

Diferenças entre sonho e projeção

Nos sonhos, assim como no devaneio, imaginação, alucinação, desequilíbrio mental ou distúrbios psicofisiológicos, não temos controle sobre nossas ações. Entretanto, na projeção consciente, atuamos por nossa própria vontade e determinação. Há várias pesquisas evidenciando as diferenças entre a projeção e esses estados alterados de consciência.

Veículos de manifestação

A consciência utiliza vários corpos ou veículos para se manifestar. O corpo humano ou soma é o veículo mais denso, percebido pelos sentidos físicos, quando estamos acordados, durante a vigília, momento em que todos os veículos de manifestação encontram-se em coincidência, encaixados uns nos outros. Durante o sono ou através de relaxamento físico, por exemplo, estes corpos se desencaixam ou entram em descoincidência, possibilitando à consciência, projetar-se para fora do corpo físico e atuar a partir de outro corpo, mais sutil ou menos denso, o corpo emocional ou psicossoma. O corpo físico permanece dormindo, inanimado, vazio de consciência, sendo mantido apenas pelas funções autônomas biológicas. Enquanto isso, a sede da nossa consciência que se encontra no psicossoma, pode atuar livremente, em outras dimensões. Há ainda a manifestação através do corpo mental ou mentalsoma, sinalizando maior nível de lucidez e racionalidade e menos emotividade. A manifestação da consciência é também bioenergética, quando utiliza o corpo energético ou energossoma, responsável pela saúde e vitalidade. Ao conjunto de todos esses corpos (soma, psicossoma, mentalsoma e energossoma) denominamos holossoma.

Durante uma projeção consciente, é comum a pessoa sentir-se flutuando acima de seu corpo físico. Outras vezes, ela é capaz de ver o próprio corpo adormecido no leito. O projetor também pode sentir vibrações agradáveis em todo corpo, sons ou ruídos dentro da cabeça, sensação de queda-livre, incapacidade temporária de mover o corpo físico, sensação de inchar ou inflar como balão e vários outros sinais correlacionados ao fenômeno projetivo.

Tipos de projeções

Quase sempre nossas projeções ocorrem de modo involuntário ou espontâneo, durante o sono natural ou até mesmo durante um simples cochilo. Em outros casos, a projeção consciente ocorre em situações críticas, como é o caso das Experiências de Quase-Morte (EQMs), tipo de projeção forçada, compulsória ou patológica, causada por traumas orgânicos, acidentes físicos e comum a pacientes terminais ou sobreviventes da morte clínica.

A Projeciologia propõe técnicas projetivas para que o interessado obtenha projeções conscientes voluntárias, sadias e planejadas. Esse tipo de projeção oferece maiores índices de lucidez e rememoração, auxilia o indivíduo a desenvolver o autodomínio emocional, a perder o medo da morte, a repensar seus valores, a dinamizar o autoconhecimento e a entender sua real procedência.

 

 

IIPC – Instituto Internacional de Projeciologia e Conscienciologia – Educação e Pesquisa

http://www.iipc.org

AS “OVELHAS NEGRAS” DA FAMÍLIA

vantagens-de-ser-ovelha-negra-da-familia

As chamadas “ovelhas negras” da família são, na verdade, caçadores natos de caminhos de libertação para a árvore genealógica.
Os membros de uma árvore que não se adaptam às normas ou tradições do sistema familiar, aqueles que desde pequenos procuravam constantemente revolucionar as crenças, indo em contravía dos caminhos marcados pelas tradições familiares, aqueles criticados, julgados e mesmo rejeitados, esses, geralmente são os chamados a libertar a árvore de histórias repetitivas que frustram gerações inteiras.

As “ovelhas negras”, as que não se adaptam, as que gritam rebeldia, cumprem um papel básico dentro de cada sistema familiar, elas reparam, apanham e criam o novo e desabrocham ramos na árvore genealógica.

Graças a estes membros, as nossas árvores renovam as suas raízes.
Sua rebeldia é terra fértil, sua loucura é água que nutre, sua teimosia é novo ar, sua paixão é fogo que volta a acender o coração dos ancestrais.
Incontáveis desejos reprimidos, sonhos não realizados, talentos frustrados de nossos ancestrais se manifestam na rebeldia dessas ovelhas negras procurando realizar-se.
A árvore genealógica, por inércia, quererá continuar a manter o curso castrador e tóxico do seu tronco, o que faz a tarefa das nossas ovelhas um trabalho difícil e conflituoso.

No entanto, quem traria novas flores para a nossa árvore se não fosse por elas?
Quem criaria novos ramos?
Sem elas, os sonhos não realizados daqueles que sustentam a árvore gerações atrás, morreriam enterrados sob as suas próprias raízes.

Que ninguém te faça duvidar, cuida da tua”raridade” como a flor mais preciosa da tua árvore.
Tu és o sonho de todos os teus antepassados.

Bert Hellinger

26 Julho – Dia do Orixá Nanã Buruquê

nanã

NANÃ

Rege sobre a maturidade e seu campo preferencial de atuação é o racional dos seres. Atua decantando os seres emocionados e preparando-os para uma nova “vida”, já mais equilibrada.

A orixá Nanã Buruquê rege uma dimensão formada por dois elementos, que são: terra e água. Ela é de natureza cósmica pois seu campo preferencial de atuação é o emocional dos seres que, quando recebem suas irradiações, aquietam-se, chegando até a terem suas evoluções paralisadas. E assim permanecem até que tenham passado por uma decantação completa de seus vícios e desequilíbrios mentais. Nanã forma com Obaluaiyê a sexta linha de Umbanda, que é a linha da Evolução. E enquanto ele atua na passagem do plano espiritual para o material (encarnação), ela atua na decantação emocional e no adormecimento do espírito que irá encarnar. Saibam que os orixás Obá e Omulu são regidos por magnetismos “terra pura”, enquanto Nanã e Obaluaiyê são regidos por magnetismos mistos “terra-água”. Obaluaiyê absorve essência telúrica e irradia energia elemental telúrica, mas também absorve energia elemental aquática, fraciona-a em essência aquática e a mistura à sua irradiação elemental telúrica, que se torna “úmida”. Já Nanã, atua de forma inversa: seu magnetismo absorve essência aquática e a irradia como energia elemental aquática; absorve o elemento terra e, após fracioná-lo em essência, irradia-o junto com sua energia aquática.

Estes dois orixás são únicos, pois atuam em pólos opostos de uma mesma linha de forças e, com processos inversos, regem a evolução dos seres. Enquanto Nanã decanta e adormece o espírito que irá reencarnar, Obaluaiyê o envolve em uma irradiação especial, que reduz o corpo energético, já adormecido, até o tamanho do feto já formado dentro do útero materno onde está sendo gerado .

Este mistério divino que reduz o espírito ao tamanho do corpo carnal, ao qual já está ligado desde que ocorreu a fecundação do óvulo pelo sêmen, é regido por nosso amado pai Obaluaiyê, que é o “Senhor das Passagens” de um plano para outro.

Já nossa amada mãe Nanã, envolve o espírito que irá reencarnar em uma irradiação única, que dilui todos os acúmulos energéticos, assim como adormece sua memória, preparando-o para uma nova vida na carne, onde não se lembrará de nada do que já vivenciou. É por isso que Nanã é associada à senilidade, à velhice, que é quando a pessoa começa a se esquecer de muitas coisas que vivenciou na sua vida carnal. Portanto, um dos campos de atuação de Nanã é a “memória” dos seres. E, se Oxóssi aguça o raciocínio, ela adormece os conhecimentos do espírito para que eles não interfiram com o destino traçado para toda uma encarnação.

Em outra linha da vida, ela é encontrada na menopausa. No inicio desta linha está Oxum estimulando a sexualidade feminina; no meio está Yemanjá, estimulando a maternidade; e no fim está Nanã, paralisando tanto a sexualidade quanto a geração de filhos. Nas “linhas da vida”, encontramos os orixás atuando através dos sentidos e das energias. E cada um rege uma etapa da vida dos seres.

Logo, quem quiser ser categórico sobre um orixá, tome cuidado com o que afirmar, porque onde um de seus aspectos se mostra, outros estão ocultos. E o que está visível nem sempre é o principal aspecto em uma linha da vida. Saibam que Nanã em seus aspectos positivos forma pares com todos os outros treze orixás, mas sem nunca perder suas qualidades “água-terra”. Já em seus aspectos negativos, bem, como a Umbanda não lida com eles, que os comente quem lidar, certo?

Via: http://colegiodeumbanda.com.br

A Dor do Fechamento de uma Era

Spiral of documents

Existe uma forte tendência no coletivo em se agarrar ao sofrimento e não existe lugar mais fértil de sofrimento do que olhar para a desgraça alheia. Quem quer sofrer não tem nenhum trabalho, existem mil ” causas” de aparente injustiça para se engajar.
A razão é muito clara!

Saímos de uma Era de água onde a emocionalidade era o tom dominante. Crime, castigo, culpa e pecado eram o mote de todos os que levantam a bandeira de justiceiros.
Isso deu espaço para que políticos e chantagistas levassem grandes vantagens e posassem de salvadores, a verdade é que eles precisam da miséria e do sofrimento alheio, então criam cada vez mais.

A partir de 2012 fecharam-se os portões de Peixes! Entramos em uma era extremamente racional e seca e não tem jeito de voltar para trás. O medo de perder isso instalou-se nas populações.
Nesse período, mentes racionais despontam como grande inspiração, trazendo lucidez. Mas mentes que tem medo do vazio e não recebem energia de luz se alimentam de sofrimento.
Existe muito grito e muito choro e uma tendência voraz em acabar com quem traz a lucidez.
Basta raciocinar um pouco:
1.- Não existem vítimas. Vítima e agressor estão em conluio. O vitimismo foi altamente exaltado na Era de Peixes.
2.- Não existe uma folha que cai sem que o Criador queira. É uma arrogância humana achar que podemos controlar a Vontade Divina.
3.- Cada um passa exatamente o que precisa passar. Reconhecer isso é uma humildade.
4.- Sem auto responsabilidade cada um sempre fica exatamente no lugar onde está.
5.- Em algum nível inconsciente o ajudado jamais vai lhe perdoar, isso já foi dito aqui.

Claro que devemos lutar contra quem nos oprime. Mas evitamos isso e vamos correndo ajudar quem achamos que precisa de ajuda. E ainda por cima, sequer ajudamos, simplesmente gritamos nas mídias coletivas, como se os outros tivessem que escolher nossas causas entre as milhares causas criadas, ou pudesse fazer alguma coisa.
Isso pode ser visto claramente ante a impossibilidade de diálogo racional. O resultado é a briga, separação e conflito.

Posts de indignação e revolta são abundantes e tem o poder de baixar a vibração coletiva, fique atento/a!

Nós mesmos, estamos pagando caro o tópico da corrupção e cada um tem o dever de cuidar de si. Nesse caso a primeira providência é encontrar a corrupção em si mesmo, então lutar contra ela lá fora se está nos vitimizando, já que o lugar da vítima é um lugar nada confortável de se estar, além de ser um lugar de fraqueza.

Se lhe fosse oferecido 50 mil reais mensais para entrar no seleto grupo dos corruptos, quantos de nós negaria?
Olhe com atenção para isso. Você não precisa dar satisfações para ninguém a respeito de suas conclusões não ser para si próprio/a.
Cure isso e estará curando o mundo.

Emocionalidade não tem
nada a ver com amor, pois o amor não é direcionado, por isso cuidado com pseudos amorosidades.
Muitos podem se sentir feridos com essas afirmações, mas não sou eu que estou ferindo, estou apenas traduzindo e clareando através do céu.
È necessário lembrar que somos privilegiados por fazer parte desse elenco nesse momento.
Quem aqui está é porque tem escopo para isso.

As mudanças são grandes e fortes, e quanto mais resistentes mais difícil será a passagem. Parar de se identificar com a dor dos outros dá um grande espaço de calma para lidarmos com as nossas questões sem julgamento.
É importante lembrar também que todo julgamento começa com o auto julgamento, portanto, observe e não se julgue. A Consciência é Luz que queima, assim que observamos de verdade aquele agregado psicológico se dissolve.

Toda a revolução começa no indivíduo.
Observe o Observador.
Ele não sente e não julga, apenas observa!

 

Por: Indumani Deva

https://www.facebook.com/maga.pierri