25 de Julho – O Dia Fora do Tempo

dia-fora-do-tempo-1

Durante a sua permanência no planeta Terra, os Maias nos ensinaram os segredos do Tempo Galáctico, cientes dos ciclos lineares limitadores a que todos nós, Seres Humanos, fomos submetidos.
Sabiam que tínhamos perdido a habilidade natural de perceber os ciclos de Luz Cósmica ao longo de nossa existência, e que esta forma linear do tempo atual é controladora e esconde os verdadeiros aspectos multidimensionais do tempo.
A contagem do Tempo Natural baseia-se em 13 ciclos lunares de 28 dias por ano solar, perfazendo 364 dias, mais um dia chamado de ‘Fora do Tempo’, entre o Ano Velho e o ano Novo.
Pelo Sincronário, o Dia Fora do Tempo é o dia 25 de Julho, do gregoriano. É um dia especial da Cultura Galáctica, previsto para celebrar o processo evolutivo da Humanidade. É considerado um momento de grande intensidade energética, no qual os Seres de Luz trabalham para alinhar a Humanidade com a harmonia do Universo.
Este dia é uma grande oportunidade de reciclar, recomeçar, recarregar as energias, libertar o que já não é mais preciso, agradecer por tudo o que foi recebido no período anterior em todos os aspectos, agradecendo inclusive os momentos menos bons, pois eles também são aspectos importantes na nossa aprendizagem e evolução como seres humanos, cuja essência é espiritual.

O dia 25 de julho é o Dia-Fora-do-Tempo ou dia do Perdão, que antecede o novo Anel (Ano Novo) que se inicia em 26 de julho, do gregoriano.

No dia 26 de Julho recomeça um novo ciclo com o nascimento astronômico de Sirius, que se eleva no horizonte juntamente com o Sol, trazendo uma energia de limpeza e purificação interior, trabalhando os nossos corpos sutis, principalmente o emocional.
É seguindo este Sincronário que mudamos a nossa Freqüência e entramos no Tempo real da Harmonia e da Paz, transformando o paradigma Tempo é dinheiro por Tempo é Arte!
O Sincronário da Paz nos permite sair da Freqüência artificial para a Sincronicidade da Lei do Tempo e a Freqüência natural 13:20, que rege o nosso Sistema Solar e toda a Galáxia. O Sincronário de 13 luas de 28 dias é uma medida de exatidão biológica da órbita do nosso planeta ao redor da sua estrela, o Sol. É um padrão de medida perfeito que coordena e sincroniza as fases da Lua com os ciclos galácticos e o Tempo.

“Possua o seu próprio tempo e você conhecerá a sua própria mente ”
Por: Dr. José Arguelles

 

EVOLUÇÃO – O CAMINHO PARA AS ALMAS GÊMEAS

Imagem

Parece-me que a ânsia de encontrar a Alma Gêmea tem se tornado, cada vez mais, desenfreada. Homens procuram incessantemente uma mulher que os complete, que os tornem mais inteiros; no entanto, negam esse desejo e se perdem em meio aos seus próprios paradoxos, às suas próprias contradições. Da mesma forma, mulheres procuram, todo tempo, por um homem que lhes faça felizes, que as tornem mais plenas e que dê um sentido mais belo para suas vidas. Mas também aprenderam a mascarar esse desejo e a se conformarem com relações superficiais, passageiras, que não as levam a nada e também não acrescentam nada… E perdidos e confusos por suas contradições internas, homens e mulheres não percebem que o caminho é óbvio, mas que o óbvio é, geralmente, mais difícil de ser compreendido do que o complexo.

Nossas mentes se acostumaram às questões complexas, cheias de “senão” e “porquê”. Quando precisamos lidar com o óbvio, o simples, não conseguimos chegar a uma conclusão. Sabe por que? Porque o simples não tem explicação; necessita apenas de sentimento. Não fomos treinados para sentir. Quem sente é considerado tolo, mole, sem juízo. Inteligente e perspicaz é quem tem habilidade para pensar!

Tolice, bobagem! Somos seres feitos para pensar e sentir, na mesma proporção; mas como temos vivido durante séculos voltados para o pensamento, neste momento precisamos urgentemente de homens e mulheres capazes de sentir. O planeta está carente de sentimento, de simplicidade, de amor!

E é exatamente essa ansiedade que criamos em torno da procura pela nossa Alma Gêmea que torna o caminho sempre mais desconhecido do que poderia e deveria ser.

O caminho me parece óbvio. Não fácil, mas óbvio! O próprio nome revela o segredo; preste atenção: alma gêmea…

Estamos na procura da nossa Alma Gêmea, ou seja, estamos na procura de uma alma e as almas, até onde eu sei, não têm forma definida, não têm cor de pele, enfim, não têm as mesmas características de um corpo físico.

Portanto, não podemos saber, antecipadamente, se nossa Alma Gêmea está num corpo branco ou moreno, alto ou baixo, gordo ou magro, de cabelos lisos ou cacheados, enfim, não temos informações sobre o corpo de nossa Alma Gêmea, mas ainda assim podemos ter informações preciosas sobre a alma dessa pessoa. Claro! Ela é gêmea da nossa!!!

Sendo assim, creio que só existe um caminho que nos leva a esse encontro, ao encontro da nossa Alma Gêmea: o de dentro, o que nos leva ao profundo e verdadeiro conhecimento de nossa própria alma. E se não acredita nisso, pense: o caminho é absolutamente lógico: como poderá reconhecer uma alma que é gêmea da sua se nem olha para a sua alma, se você está interessado em conhecer os cantos mais preciosos e ricos da sua própria alma. O reconhecimento é impossível!

O autoconhecimento é a única ferramenta eficaz para que o encontro seja certeiro. Estamos a falar da nossa metade… de alguém cuja alma tem muita semelhança com a nossa…

Pode estar a pensar que já conheceu muitas pessoas parecidas consigo no que se referia a forma de pensar, de agir e de ser, ou seja, pessoas que tinham a alma com características semelhantes à sua. No entanto, essas são características fáceis de se perceber. Com pouco tempo de convivência, podemos notar tais semelhanças ou diferenças; e eu disse, antes, que o caminho é óbvio, mas nem por isso, fácil.

Conhecer a própria alma não é tarefa para alguns dias ou meses. É tarefa, em princípio, para a vida toda. Estamos em constante transformação, evolução, aprendizagem e assimilação. Conhecer a própria alma exige muito mais do que uma percepção superficial.

Genericamente falando, muitas pessoas são semelhantes, mas quando conhecemos alguém e, principalmente, a nós mesmos profundamente, com interesse e amor, podemos descobrir a magia da exclusividade. Não existe ninguém igual a ninguém, nem mesmo os gêmeos, nem mesmo as almas gêmeas. Cada qual carrega em si algo de individual, de particular, de ímpar.

Na verdade, o que procuramos numa alma que seja gêmea da nossa é um nível superior de semelhanças, é alguém que, apesar de viver sua singularidade, olha na mesma direção que a sua, caminha com ritmo e intenções semelhantes às nossas.

Sendo assim, nessa procura serão necessários sensibilidade, doação de si mesmo e, acima de tudo, percepções livres de preconceitos e prejulgamentos. Talvez, a procura leve muito mais tempo do que gostaríamos. Conhecer a nossa própria alma já é trabalho que exige muita dedicação e empenho; um trabalho que, muitas vezes, nos causará angústias, decepções, dores e amadurecimento.

Quando nos comprometemos com o autoconhecimento, encaramos de frente todas as nossas características e isso inclui os defeitos, aquilo que faz parte de nós e que, na maioria das vezes, preferimos ignorar, esquecer…

Quem está realmente interessado em encontrar a sua Alma Gêmea sabe que as almas gêmeas existem porque foram, num determinado momento, divididas para que pudessem evoluir. Evolução!

Você tem se empenhado em evoluir?!? Você sabe o que significa evoluir no sentido anímico?

É uma evolução que acontece independentemente do dinheiro que temos ou daquele que gastamos, da posição social na qual estamos inseridos, do cargo que ocupamos no emprego, enfim, independente de qualquer status. A evolução da alma pode acontecer no local mais pobre e sem recursos que já tenha visto, porque o que mais temos visto nesse mundo de desigualdades sociais são almas miseráveis rodeadas de luxo e almas muitíssimo evoluídas vivendo na pobreza, sem grandes acúmulos materiais.

Mas, enfim, a escolha é de cada um. Eu posso compreender que sou um ser humano exclusivo (diferente de todos os que já existiram, existem e irão existir) na procura de uma Alma Gêmea que, embora tenha muitas características parecidas com as minhas, também é um ser humano exclusivo e tem sua individualidade que merece absoluto respeito.

E, sendo assim, posso me concentrar em mim mesma e tentar crescer e conhecer mais sobre mim a cada dia. Ou eu posso – a escolha é minha, e só minha – passar a vida inteira me comparando com outras pessoas e reclamando das oportunidades que perdi e das oportunidades que a vida não me deu e das vantagens que não me ofereceram…

Talvez seja mais fácil culpar as pessoas e o mundo pelo que não somos capazes de conquistar, mas definitivamente essa escolha não nos levará à nada e nem à lugar nenhum, muito menos à nossa Alma Gêmea; a menos que essa nossa metade esteja tão estagnada quanto nós… e aí, as únicas “preciosidades” que teremos para compartilhar são sentimentos e sensações como frustração, derrota, falta de coragem, acomodação e covardia.

Mas o que acontece, geralmente, com pessoas desse tipo, que vivem constantemente criticando o que o mundo lhes tem oferecido, sempre julgando que mereciam mais do que têm, é que, caso tenham a “sorte” de encontrar uma Alma Gêmea que poderia lhes tirar dessa espécie de paralisia, julgam-na muito pouco, acreditam que as Almas Gêmeas dos outros são melhores e mais interessantes que a sua…

Viver e Ser não é uma questão melhor ou pior, de certo ou errado… É uma questão de equilíbrio, de sensibilidade e de respeito por si mesmo e, consequentemente, pelo outro.

Ninguém pode escolher pelo outro. A escolha é pessoal e intransferível. Depende exclusivamente de cada um. Eu sugiro que faça a sua escolha imediatamente e que possa, sinceramente, estar consciente dela!

Texto retirado do livro “Alma Gêmea, você está pronta para ser encontrada?”, de Rosana Braga.

Saiba maishttps://omundodegaya.wordpress.com/misthico/