AS ERVAS MEDICINAIS E A ESPIRITUALIDADE

Imagem

Em algumas tradições e crenças religiosas é o sangue vegetal que na forma de banhos nos purifica e consagra.

 

Quem for banhado por elas espanta os males físicos e espirituais.
As ervas possuem vasto uso, nos rituais são muito utilizadas em homenagens, invocando sua proteção para que os atos litúrgicos sejam bem encaminhados. Enfim, seu uso é primordial, pois nada acontece sem folhas.
Um dos grandes mistérios em quase todos os ramos da Magia em todo o mundo é a utilização das plantas, raízes e sementes das ervas mais variadas. São usadas tanto em forma de defumações para os Deuses quanto para banhos purificadores, protetores e de cura.
A seguir citaremos algumas das ervas mais usadas na Umbanda e o Orixá pertencente:

OXALÁ
Levante
Erva Cidreira
Alecrim, Hortelã
Boldo, – algodoeeiro
– colônia, – girassol
– funcho
– malva cheirosa
YEMANJÁ
 
Unha de vaca
fls de Lágrimas de Nossa Senhora
Mastruço, Chapéu de couro
Jasmim, anis
– erva de Santa Luzia
– pata de vaca, – hortelã
– alfazema, – lavanda
FALANGE DAS CRIANÇAS
 
Amoreira, Alfazema
– groselheira
– hortelã
– rosa branca
– alecrim, – laranjeira
– manjericão
– sálvia
OXUM
– alfavaca, – arnica
– calêndula,  camomila
– erva cidreira
– ipê amarelo, – gengibre, rosa branca e amarela
OXOSSI
– carapiá ou contra erva
– salgueiro chorão
– jurema, – eucalipto
-alecrim do campo
– guiné caboclo, – samambaia
– pariparoba, – alfavaca
YANSÃ
– amor agarradinho
– bambu, – dormideira
– romã, – espada de Iansã
– louro, – manjericão
pitangueira, – alfazema
XANGO
Café (Folhas)
Mangueira (Folhas)
Erva de São João
– alfavaca roxa
– flamboyant, – manjerona
– hortelã, – levante
– cipó mil-homens
– mentrasto, nega mina
OGUM
Flecha de Ogum,
Erva de Bicho (Folha de Jurupitã)
– vence tudo – abre caminho
-aroeira, -pinhão roxo
– carqueja, – pata de vaca
– agrião, -losna, -jatobá
– espada de São Jorge
PRETOS VELHOS
Guiné
Eucalipto
Arruda
– manjerona
– pinhão roxo
EXU
Mamona, carqueja,
picão preto, unha de gato, arruda, comigo ninguém pode, beladona, cactus, cana de açúcar, mangueira, pimenta da costa, urtiga
pinhão roxo,  chorão
OMULU OU OBALUAIÊ
– alfavaca roxa
– agapanto lilás
– babosa
– fruta de pomba
– mostarda, – mamona
– gervão, – velame
– canela de velho 
NANà
– alfavaca, – assa peixe
– erva cidreira
– cipreste, – avenca
– manacá, – quaresmeira
– pinhão roxo
– crisântemos roxos
– oriri

ERVAS MAIS USADAS NAS LIMPEZAS ESPIRITUAIS:

  • Alecrim  – Pertence a Oxalá. Entra em qualquer obrigação de cabeça dos filhos de qualquer orixá. Bastante emprego nos rituais de defumaçãobanho de descarrego. É parte indispensável do ‘abo’. Eficiente destruidor de larvas astrais. O Chá é empregado para combater tosses e bronquites com sucesso.
  • Arruda – Planta de odor bem forte que pertence a Oxóssi e Exu. Muita usada contra maus fluídos, inveja, olho-grande, e para benzimentos. A variedade do orixá Oxóssi, com folhas miúdas; aplica-se nos bori, lavagem de contas (guias), e banhos de limpeza ou descarrego. O uso medicinal é contra verminoses e reumatismo em chás, e o sumo aplica-se para reduzir feridas.
  • Bambú – Pertence a Yansã e Egun. Muito aplicada como enfeite nas casas de Egun nas festas. Poderoso defumador contra larvas astrais, fazendo mistura com palha ou bagaço de cana. Excelente banho contra perseguição de obsessores ou maus espíritos. Na medicina popular é utilizado nas diarréias e pertubações do estomago.
  • Camomila – Pertence a Oxalá e Oxum. Aplicação em banhos de descarrego e no “abo”. Na medicina popular tem larga utilização em chás reguladores dos intestinos; estimula o apetite.
  • Cana-de-Açucar – Pertence a Exú. Planta muito importante nos rituais. Seja o bagaço ou o produto, o açucar, são amplamente utilizadas em defumações para melhoria das condições financeiras, misturando com pó de café virgem, cravo-da-índia, e canela em pó.
  • Girassol – Pertence a Oxalá. Utiliza-se em qualquer obrigação de cabeça, no ‘abo’ e banhos de descarrego. Tem muito prestígio em defumações pois é poderoso anulador de fluidos negativos edestruidora de larvas astrais. Nasdefumações usa-se as folhas e nos banhos colocam-se também as pétalas colhidas antes do nascer do sol.
  • Romã – Erva Sagrada pertencente a Yansã. As folhas são utilizadas em banhos de descarrego. A medicina popular emprega o cozimento das cascas dos frutos para o combate de vermes e o mesmo cozimento para gargarejos nas inflamações de garganta e da boca.
 

 

ORIXÁS E SUAS ERVAS
Oxalá: Tapete de Oxalá (boldo), algodão, arnica da horta, alecrim, folhas e ramos de palmeiras, folhas de laranjeira, hortelã, erva cidreira, rama de leite, malva branca, saião branco, folha da costa, rosa branca, louro, manjerona, manacá, macaça, erva doce;
Oxossi: Alfavaca do campo, jureminha, caiçara, arruda, abre caminho, malva rosa, capeba, peregum, taioba, sabugueiro, jurema, capim limão, acácia, cipó caboclo, goiabeira, erva de passarinho, guaco, guiné, malva do campo, são gonçalinho, Louro, cabelo de milho, eucalipto, manjericão, samambaia;
Ogum: Espada de São Jorge, crista de galo, folhas de mangueira, Taioba, Cipó chumbo, Palmeira de dendezeiro (Mariwo), abre caminho, alfavaquinha, arnica, aroeira, capim limão, carqueja, dandá da costa, erva tostão, eucalipto, jaboticabeira, losna, pau rosa, peregum, porangaba, são gonçalinho, jatobá;
Xangô: Folha da costa, matamba, betis cheiroso, levante, folha de fogo, cerejeira, figueira branca, amoreira, ameixeira, espada de Santa Bárbara, Comigo ninguém pode, cipó mil homens, folhas de café, folha de manga, Guiné, arruda, limoeiro, umbaúba, vence demanda, urucum, pessegueira, pau pereira, para raio, noz moscada, nega mina, mutamba, mulungu, manjericão, malva cheirosa, jaqueira, folha da fortuna, folha da costa, fedegoso, erva tostão, erva de são João, cavalinha;
Iemanjá: Jarrinha, Rama de leite, cana do brejo, betis cheiroso, algas marinhas, alfavaquinha,flores branca de qualquer espécie, aguapé, camélia, folha da costa, jasmim, lagrima de nossa senhora, macaça, malva branca, taioba branca;
Oxum: Folha de vintém, folha da fortuna, malva, dracena, rama de leite, malva rosa, narciso, flores de tonalidade amarela, lírios de toda espécie, margaridas, flor de maio, amor perfeito, madressilva, quioco, oriri, mutamba, melissa, macaça, ipê amarelo, folha da costa, erva de santa Maria, erva de santa luzia, colônia, camomila, assa peixe, aguapé;
Iansã: Erva santa, umbaúba, folhas de bambu, folha de fogo, capeba, perientária, bredo sem espinho, malmequer branco, dormideira, espada de santa bárbara, flores amarelas ou coral, dracena, papoula, gerânio, erva de passarinho, erva tostão, guiné, jaborandi, louro, malva rosa, nega mina, peregum, pinhão roxo;
Nanã: Alfavaca roxa, assa peixe, avenca, cana do brejo, capeba, cedrinho, cipreste, erva de passarinho, jarrinha, manacá, Maria preta, mutamba, quaresmeira, rama de leite;
Omulu/Obaluaê: Zínia, folhas de laranja lima, folhas de milho, barba de velho, vassoura preta, velame, sete sangrias, sabugueiro, musgo, manjerona, mamona, espinheira santa, carobinha do campo, assa peixe;
Exu: Abranda fogo, mamona, carqueja, picão preto, unha de gato, arruda, comigo ninguém pode, arrebenta cavalo, azevinho, bardana, beladona, cactus, cana de açúcar, cansação, catingueira, corredeira, figueira preta, folha da fortuna, garra do diabo, mangueira, pau d’alho, pau santo, pimenta da costa, pinhão roxo, urtiga, chorão;
As 7 linha: Geralmente usam todas as ervas não existindo uma em especial.
 

 

CLASSIFICAÇÃO DAS ERVAS: 
 Ervas Calmas: Boldo, erva doce, erva cidreira, alecrim do campo, camomila, capim santo, malva branca, malva cheirosa, erva de santa Maria, erva de santa luzia, jasmim, colônia, macaça, aguapé, alfazema, melissa, capim cidrão, folha de maracujá, manjericão, etc…
Ervas fortes: Arruda, guiné, espada São Jorge, espada de Santa Bárbara, carqueja, aroeira, comigo ninguém pode, peregum, nega mina, umbaúba, mamona, picão branco, eucalipto, pinhão roxo, bambuzinho, taioba, lança de Ogum, espada de Ogum, folha de fumo, etc…
Ervas bravas: Barba maldita (cipó azougue), unha de gato, comigo ninguém pode, coroa de cristo, mamona, picão preto, urtiga, chorão, folha de limão, folha de seringueira, etc…
Obs.: A combinação das ervas, deve ser feita de acordo com a necessidade, não há mistério, desde que conheçamos as ervas e sua classificação e ainda os Orixás, por exemplo: banho de abre caminho deve-se usar ervas fortes combinadas com Orixás de abre caminho. Ervas bravas de preferência devem ser usadas apenas como bate folha (descarrego) na matéria ou em lugares.

 

BANHOS DE ERVAS 
Arnica – afasta a negatividade
Abre Caminho – novas forças
Alecrim – clareza mental
Arruda – proteção
Anis Estrelado – aumenta a auto-estima
 
Fonte: Biblioteca Gnóstica

 

 

 

ALECRIM – A ERVA DA MENTE

Imagem –
Há dias em que se tem a impressão de se estar dentro de um espesso nevoeiro. Tudo parece monótono e difícil e o coração fica triste. É a noite escura da alma. Era meu aniversário e justamente um destes dias estranhos, quando pensei: “Vou tomar um chá de alecrim!”Fui ao jardim e lá encontrei um viçoso pé de alecrim. Interessante é que quase todos que visitam nossos jardins demonstram afeição e respeito pelo alecrim. Confesso que nunca liguei muito para ele. Mas, naquele dia, com toda reverência, colhi alguns ramos, preparei um chá e me servi em uma linda xícara. O aroma era muito agradável e, a cada gole que bebia, senti a mente ir clareando. Uma sensação de bem-estar e alegria foi se espalhando pelo corpo e senti a sensação de enorme felicidade. Fiquei muito impressionada com a capacidade dessa planta transmitir alegria. Aliás, o nome alecrim já lembra alegria. Resolvi pesquisar a respeito e veja só que maravilha.O alecrim – Rosmarinos officinalis, planta nativa da região mediterrânea – foi muito apreciada na Idade Média e no Renascimento, aparecendo em várias fórmulas, inclusive a ‘Água da Rainha da Hungria’, famosa solução rejuvenescedora. Elizabeth da Hungria recebeu, aos 72 anos, a receita de um anjo (um monge?) quando estava paralítica e sofria de gota. Com o uso do preparado, recobrou a saúde, a beleza e a alegria. O rei da Polônia chegou a pedí-la em casamento!Madame de Sévigné recomendava água de alecrim contra a tristeza, para recuperar a alegria. Rudolf Steiner afirmava que o alecrim é, acima de tudo, uma planta calorífera que fortalece o centro vital e age em todo o organismo. Além disso, equilibra a temperatura do sangue e, através dele, de todo o corpo. Por isso é recomendado contra anemia, menstruação insuficiente e problemas de irrigação sangüínea. Também atua no fígado. E uma melhor irrigação dos órgãos etimula o metabolismo.

Um ex-viciado em drogas revelou que tivera uma visão divina que o tornou capaz de livrar-se do vício. Foi-lhe indicado que tomasse chá de alecrim para regenerar e limpar as células do corpo, pois o alecrim continha todas as cores do arco-íris. O alecrim é digestivo e sudorífero. Ajuda a assimilação do açúcar (no diabetes) e é indicado para recompor o sistema nervoso após uma longa atividade intelectual. É recomendado para a queda de cabelo, caspa, cuidados com a pele, lesões e queimaduras; para curar resfriados e bronquites, para cansaço mental e estafa e, ainda, para perda de memória, aumentando a capacidade de aprendizado.

Existe uma graciosa lenda a respeito do alecrim: quando Maria fugiu para o Egito, levando no colo o menino Jesus, as flores do caminho iam se abrindo à medida que a sagrada família passava por elas. O lilás ergueu seus galhos orgulhosos e emplumados, o lírio abriu seu cálice. O alecrim, sem pétalas nem beleza, entristeceu lamentando não poder agradar o menino. Cansada, Maria parou à beira do Rio e, enquanto a criança dormia, lavou suas roupinhas. Em seguida, olhou a seu redor, procurando um lugar para estendê-las. ‘O lírio quebrará sob o peso, e o lilás é alto demais’. Colocou-as então sobre o alecrim e ele suspirou de alegria, agradeceu de coração a nova oportunidade e as sustentou ao Sol durante toda a manhã. “Obrigada, gentil alecrim! disse Maria. Daqui por diante, ostentarás flores azuis para recordarem o manto azul que estou usando. E não apenas flores te dou em agradecimento, mas todos os galhos que sustentaram as roupas do pequeno Jesus, serão aromáticos. Eu abençôo folha, caule e flor, que a partir deste instante terão aroma de santidade e emanarão alegria.”

…e assim foi! BOM CHÁ PARA VOCÊ !!!

Fonte: NUWA Spa

Revisão: Cibele Santos – Nutricionista, Taróloga e Terapeuta Xamânica

VERBENA – A FLOR MÁGICA

Imagem

O que é:

Verbena de nome científico Verbena officinalis L. é uma planta medicinal também conhecida como urgebão, gervão, erva-de-ferro e planta-da-sorte.

O efeito calmante é considerado a principal caracteristica da verbena, auxiliando no combate a ansiedade e ao stress. Esta planta medicinal também ajuda em várias outras doenças como o cálculo biliar e o câncer.

Propriedades da verbena

Febrífugo, calmante, sedante, anti-reumática, antiinflamatório, aperiente, analgésica, adstringente, afrodisíaco, depurativa, digestiva, estimulante, anti-coagulante, anti-cancerígena e tônica.

Para que serve a verbena

Cálculo biliar, câncer de baço, câncer no escroto, ansiedade, stress, insônia, inquietação, acnes, infecções no fígado, asma, bronquite, cálculos renais, distúrbios digestivos, dismenorréias,dispepsia, falta de apetite, úlcera, taquicardia, reumatismo, queimadura, conjuntivite, faringite e estomatite.

Como usar a verbena

Para fins medicinais são utilizadas as folhas, as raízes e as flores.

  •  Chá: Adicionar 50g de folhas de verbena em1 litro de água fervente. Tampar o recipiente durante 10 minutos. Beber várias vezes ao longo do dia. O chá auxilia no tratamento de distúrbios do sono e diminui a ansiedade e stress.
  •  Lavagens: Adicionar 2g de folhas de verbena em 200 ml de água, e enxaguar os olhos em caso de conjuntivite.
  •  Cataplasma: Cozinhar as folhas e flores de verbena, e após esfriar colocar a solução sobre um tecido e aplicá-la sobre articulações doloridas.

Contraindicações da verbena

Não deve ser utilizada durante a gravidez.

Efeitos colaterais da verbena

Pode provocar vômitos e bloquear a ação do hormônio estimulante da tireóide (TSH).

Fonte: Tua Saúde

Revisão: Cibele Santos – Nutricionista, Taróloga e Terapeuta Xamânica

Qual é o seu DOSHA?

Imagem

É difícil traduzir o significado preciso de dosha. É frequentemente traduzido como “tipo biológico” ou constituição física. Esta definição permite uma compreensão simples e fácil do conceito. No entanto, a definição original de dosha é mais complexa. Em sânscrito, dosha é definido como “aquilo que contamina”. Então, doshas podem ser considerados os fatores patogênicos, ou agentes causadores de doenças no corpo. Desequilíbrio dos doshas vata, pitta e kapha causam doenças no corpo.

Dosha refere-se apenas as três energias biológicas de vata, pitta e kapha. Como um desequilíbrio dessas combinações de elementos é a causa direta de doença física, eles são os principais fatores causadores de doença (os “contaminantes”). Fatores secundários no processo da doença, como os tecidos do corpo (dhatus), toxinas (ama) e de resíduos (malas) são dependentes do desequilíbrio nos doshas.

Constituição Física

Conhecer o seu prakriti ajuda você a ter uma dieta e estilo de vida personalizados que evitam doenças e distúrbios físicos e auxiliam na obtenção da paz de espírito. Ele fornece uma compreensão de sua natureza básica física e psicológica, e como manter-se em equilíbrio com seu ambiente. Esta é a chave para a manutenção da saúde.

Todo ser humano normalmente tem vários graus de vata, pitta e kapha. Os doshas, geralmente, não estão presentes em proporções iguais. Na maioria das pessoas há uma distribuição desigual natural. Muito raramente, uma pessoa pode ter uma distribuição completamente uniforme dos doshas.

Embora cada um de nós tenha características de vata, pitta ou kapha em graus diferentes, uma dessas naturezas elementares vai dominar é será o dosha principal. Cada tipo de dosha ou a sua combinação é reconhecido em Ayurveda, que enumera sete tipos de constituição física separada com base nos três tipos básicos: 1) vata 2) pitta 3) kapha 4) pitta-vata 5) kapha-vata 6) kapha-pitta 7) vata-pitta-kapha.

Vata dosha
Pessoas com uma vata dosha predominante apresentam características físicas e emocionais ligadas às qualidades dos elementos espaço / akasha e ar / vayu. São muito ativas – móveis, agitadas e energéticas. Elas têm metabolismo rápido, por isso muitas vezes são magras com pouco desenvolvimento muscular e as articulações são salientes que estalam e fazem ruídos. Sua pele é seca, áspera e fina, com veias visíveis.

O sono, alimentação e hábitos pessoais são irregulares e erráticos, o apetite e desejo sexual variam entre extremos. Têm sono leve e são facilmente perturbados e propensos à insônia. Sua fala e movimento costuma ser rápida, eles são falantes e desfrutam de todas as formas de comunicação. Eles não gostam de ambientes frios, com ventos ou ambientes secos. Refriam-se rapidamente ou sentem arrepios facilmente. Extremidades (mãos e pés) são frios.

Pitta dosha
Pessoas com um dosha pitta possuem o elemento fogo / agni como elemento predominante. Eles são de estatura mediana, com maior desenvolvimento muscular do que a exibida por vata. Sua pele é macia e quente, e eles têm uma grande quantidade de calor corporal e muitas vezes transpiram excessivamente. Seu cabelo é fino e avermelhado ou loiro e eles podem apresentar envelhecimento precoce, calvície ou queda de cabelo excessiva. Sua pele cora facilmente e muitas vezes eles têm muitas sardas e pintas. A sua pele apresenta acne, erupções cutâneas, contusões ou queimaduras solares facilmente.

Seus desejos e apetite sexual são fortes por natureza. O sono é moderado e não é facilmente perturbado. Indivíduos com predominância de Pitta dosha falam alto e com paixão, e muitas vezes dominam a conversa. Eles têm uma aversão ao calor, luz e radiação solar e e seus olhos são sensíveis.

Kapha dosha
Pessoas com kapha dosha predominante tendem a ser pesados ou grandes. Elas muitas vezes estão acima do peso ou ganham peso com facilidade e têm alto desenvolvimento muscular (gordo e redondo). Sua pele é grossa, lisa e úmida, clara ou pálida, com poucas rugas, e o cabelo é oleoso, grosso e ondulado. Seus dentes são fortes, brancos e bem formados.

Pessoas do tipo kapha têm um apetite moderado ou baixo e a digestão lenta. Eles gostam de comer alimentos requintados ou de luxo (que aguçam o paladar e olfato) e preferem comprar e preparar seus alimentos. Suas atividades tendem a ser lentas e metódicas, com muita resistência. Eles são lentos e letárgico ou difíceis de motivar. São propensos a dormir muito e excessivamente. Eles têm uma aparência e voz agradável. Aqueles com dosha kapha não toleram ambientes umidados.

Você não pode mudar sua natureza elementar ou dosha. Por exemplo, se você deseja adquirir qualidades kapha, você não pode fazê-lo comendo uma grande quantidade de alimentos ricos nos elementos água / jala e terra / prithvi. Ao fazer isso, você só vai desequilibrar o seu dosha primário. Alterar sua natureza através da aquisição de qualidades positivas, negativas e minimizar características temperamentais, é o papel da mente.

Quando você está saudável, você geralmente se sente atraído por alimentos similares na composição de elementos de seu próprio corpo. Quando você estiver doente e os elementos estiverem desequilibrados, você se sentirá atraído por alimentos de natureza oposta. Por exemplo, se você está sofrendo de um resfriado ou congestão no peito (devido a um desequilíbrio em kapha), você geralmente evita aqueles alimentos que são de natureza kapha, como laticínios ou alimentos pesados ​​e oleosos.

Fonte: Ayurveda On Line

Revisão: Cibele Santos – Nutricionista, Taróloga e Terapeuta Xamânica

ERVA CIDREIRA – UM SANTO REMÉDIO

Imagem

A erva-cidreira é uma planta medicinal de fácil cultivo, que pode ser utilizada na preparação de remédios caseiros para acalmar e para melhorar a digestão.

A erva-cidreira também é conhecida popularmente como cidreira, citronete e melissa. Seu nome científico é Melissa oficinalis.

Para que serve a erva-cidreira

Acalmar, desinfetar, má digestão, prevenir doenças cardíacas, controlar a pressão, dor de cabeça, pé de atleta, insônia perda do apetite.

Propriedades da  erva-cidreira

Ação anti-espasmódica; sudorífica; calmante; anti-inflamatória e antibiótica.

Modo de uso da  erva-cidreira

Para fins medicinais em fitoterapia são utilizadas apenas as folhas frescas ou secas.

  • Chá de erva-cidreira: Adicione 3 colheres (de sopa) de folhas da erva-cidreira para cada xícara de água fervente e beba ao longo do dia.
  • Aromaterapia: Para relaxar utilize um chá ligeiramente mais forte e misture um litro de chá na água da banheira. Proporção da preparação: 8 colheres de chá de erva para um litro de água.
  • Culinária: A erva-cidreira é principalmente utilizada como toque final no preparo de saladas, por exemplo.

Efeitos colaterais da erva-cidreira

Diminuição da frequência cardíaca, sonolência.

Contra indicações da erva-cidreira

Em caso de alergia à erva-cidreira, doenças da tireoide.

Por: Cibele Santos – Nutricionista, Taróloga e Terapeuta Xamânica

EXERCÍCIOS MENTAIS CONTRIBUEM PARA MANTER O FOCO

Imagem

É possível pensar que a concentração seja uma forma intensa de atenção. Embora a capacidade de se manter atento a algo varie de pessoa para pessoa, como a absoluta maioria das habilidades também essa pode ser treinada e fortalecida. O importante é incorporar os exercícios ao cotidiano, ainda que sejam dedicados a eles apenas alguns minutos por dia, principalmente no início. Aos poucos, o tempo dedicado à atividade pode ser ampliado. A seguir, algumas sugestões de exercícios simples que ajudam a ampliar a concentração.

DE OLHO NO HORIZONTE
De pé, em posição ereta, com os braços ao longo do tronco, sinta o peso do seu corpo e olhe para um ponto fixo à sua frente. Desloque o peso do corpo para o pé esquerdo e flexione o joelho direito elevando-o lentamente enquanto inspira profundamente. Delicadamente, segure o joelho com as duas mãos por alguns segundos e mantenha a coluna naturalmente ereta. Faça cinco respirações profundas. Abaixe a perna enquanto solta o ar. Repita o procedimento levantando a outra perna. Ao terminar, pense que uma linha imaginária passa pela sua coluna e vai até o topo de sua cabeça, mantendo-o equilibrado em todos os seus movimentos.

OLHOS ABERTOS, OLHOS FECHADOS
Esse exercício é feito em duas etapas. Primeiro, escolha um objeto qualquer, como um lápis, por exemplo. Coloque-o na sua frente. Olhe firmemente e concentre a sua atenção nele. Deixe que o objeto ocupe todo o espaço mental durante o tempo que for possível. Aumente gradualmente o tempo da duração do exercício. Na segunda fase, feche os olhos e visualize em sua mente o mesmo objeto. Concentre-se nesta imagem virtual, atendo-se a todos os detalhes, pensando apenas nessa tarefa. Caso se distraia, recomece a imaginar o objeto e aumente progressivamente a duração do exercício. Com a prática, verá que fica cada vez mais fácil manter-se focado.

TIQUE-TAQUE
Escolha um ambiente silencioso, sente-se em posição confortável. Pegue um relógio que faça barulho e coloque-o a trabalhar. Concentre sua atenção no ritmo e deixe que o som ocupe todo o seu espaço mental. Se alguns pensamentos passarem por sua mente, não se apegue a eles, deixe-os passar e retome a concentração.

MENSAGEM DO BEM
Sente-se de maneira confortável, com a coluna reta e escolha uma palavra ou frase positiva (por exemplo, “eu me sinto bem”, “sou grato pelo que tenho em minha vida” ou “sou capaz de aprender”. Repita-a várias vezes, primeiro de olhos abertos, depois de olhos fechados. Deixe que o som das palavras ocupe sua mente, até que sinta como se o som não viesse de sua boca, mas tomas-se conta de todo o ambiente. Pense nas palavras escritas recobrindo objetos e as paredes ao seu redor, como se você se estivesse ouvindo um disco uma ou mais vezes. De forma progressiva, aumente a duração do exercício.

A CHAMA DA VELA
Como essa prática é mais longa, com duração de aproximadamente 15 minutos, convém ler as orientações a seguir até se familiarizar com elas, para que não precise se ater ao texto durante sua realização. Ao criar uma imagem mental de uma chama, o fluxo de pensamentos que causam distração tende a ficar mais lento e você poderá atingir uma sensação de bem-estar, com mais consciência de seu corpo.
– Acomode-se num lugar calmo e confortável. Acenda uma vela e coloque-a a cerca de um me-tro à sua frente. Sente-se com as pernas cruzadas no chão, sobre uma almofada ou, se pre-ferir, numa cadeira, mantendo as costas retas contra o encosto e as pernas separadas. Feche os olhos e tome consciência de cada uma das partes do seu corpo, relaxando uma de cada vez. Respire calma e profundamente, enquanto percorre mentalmente todo o seu corpo.
– Mantenha-se nessa posição, com os olhos fechados. Conscientize-se do ritmo de sua respiração, que ficará cada vez mais regular. Abra os olhos e foque na chama da vela. Se os seus pensamentos tentarem “fugir”, traga-os lentamente de volta à chama. Relaxe os músculos faciais e mais uma vez feche os olhos. Inspire e expire profundamente, prestando atenção a esse movimento, sentindo o abdômen subir e descer. Leve o tempo que for necessário até sentir-se relaxado, como se estivesse sendo embalado por ondas produzidas pela respiração. Pense que está calmo e tranquilo.
– Visualize a imagem da chama na sua mente. Permaneça focado em seus movimentos intermináveis. Isso ocupa a totalidade da sua mente. É como se você estivesse hipnotizado pela dança e cores da chama. Quando um pensamento tomar conta de sua mente, deixe-o ser consumido pelo fogo. Aproxime um pouco mais o rosto da chama e sinta seu calor, sempre de forma relaxada. Após algum tempo comece a mover seus músculos e membros lentamente e alongue-se devagar, antes de se levantar.

Via: Mente e Cérebro

CHÁ DE HIBISCO – O MELHOR ALIADO NA PERDA DE PESO E COMBATE Á DOENÇAS

Imagem

Depois do sucesso do chá verde, o chá de hibisco, que é antioxidante, digestivo, diurético e anti-inflamatório, vem despontando como o queridinho do momento tanto para conservar a saúde quanto para ajudar nos processos de eliminação e manutenção do peso.

Mas não é só, pois ele ajuda, ainda,  a amenizar os sinais de envelhecimento, evitar o inchaço, desintoxicar o organismo e até combater inflamações.

Há estudos que sugerem que ele atue, inclusive, na redução da formação de novas células de gordura, o que ajuda – e muito – na perda de peso. No mais, é diurético, o que combate a retenção de líquidos e a celulite, acelera o metabolismo, é termogênico e facilita a queima da gordura.

Como elimina as toxinas, é importante no emagrecimento, já que estas substâncias dificultam bastante a eliminação do peso extra e ajudam a reter líquidos, deixando a pessoa ainda mais inchada.

Outros estudos demonstram que o consumo diário do chá de hibisco reduz a pressão arterial, o que é ótimo para pessoas com problemas relacionados á pressão arterial.

Ele é rico em antocianinas, um antioxidante potente, que combate os radicais livres e combate o envelhecimento precoce, além de reduzir o risco de inúmeras doenças e de aumentar as defesas do organismo, turbinando o sistema imunológico.

Mais Benefícios:

  • Reduz as taxas de colesterol e triglicérides no sangue
  • Reduz as taxas de glicose no sangue
  • Possui propriedades hipotensoras
  • Retarda o envelhecimento da pele
  • Auxilia em casos de constipação intestinal
  • É rico em minerais como magnésio, ferro e cálcio
  • Contém fibras solúveis (mucilagens)
  • É rico em vitamina C
  • Tem efeito preventivo contra o câncer
  • Protege o organismo das doenças cardiovasculares
  • Fortalece os ossos
  • É fonte de aminoácidos

As folhas secas do hibisco são facilmente encontradas em lojas de produtos naturais, mas podem ainda ser comercializadas na forma de cápsulas ou em pó.

As folhas secas são utilizadas em chás, que são feitas em infusão em água quente. Aqui vale lembrar que nenhum chá deve ser “requentado” , sob a pena de perder os seus benefícios. No caso dos chás o ideal é consumir de 500 ml a 1 litro/dia.

A versão em pó pode ser misturada a shakes, sucos , vitaminas, iogurtes ou mesmo com água quente ou fria.

O ideal é consumir a bebida entre as refeições, de preferência quatro vezes ao dia, para “enganar”  a fome.  Contudo, convém lembrar que, apesar de ser um importante aliado na redução do peso excedente, ele é apenas um coadjuvante, o que significa que não faz milagres e não age sozinho. É preciso, para que faça o efeito desejado,  que seja acompanhado por uma dieta equilibrada.

Quanto às contra indicações e os possíveis efeitos colaterais, não existem relatos na literatura médica, mas o correto é que seu consumo seja sempre indicado e acompanhado por um Nutricionista, sobretudo em caso de gestantes e lactantes.

Para potencializar ainda mais o efeito do chá de hibisco o mesmo pode ser preparado com a adição de chá de cavalinha, que também atua como um potente antioxidante e contribui para a redução do peso corporal.

Por:  Cibele Santos  –  Nutricionista, Tarologa e Terapeuta Xamânica