UMA INVASÃO SILENCIOSA

lili

Na superfície da Terra, exatamente agora, há guerras e violência e tudo parece negro. Mas, simultaneamente, algo silencioso, calmo e oculto está acontecendo e certas pessoas estão sendo chamadas por uma Luz mais elevada. Uma revolução silenciosa está se instalando de dentro para fora. De baixo para cima. É uma operação global. Uma conspiração espiritual. Há células dessa operação em cada nação do planeta. Vocês não vão nos assistir na TV, nem ouvir nossas palavras nos rádios e nem ler sobre nós nos jornais. Não buscamos a glória. Não usamos uniformes. Nós chegamos em diversas formas e tamanhos diferentes. Temos costumes e cores diferentes. A maioria trabalha anonimamente. Silenciosamente trabalhamos fora de cena, em cada cultura e lugar do mundo. Nas grandes e pequenas cidades, em suas montanhas e vales. Nas fazendas, vilas, tribos e ilhas remotas. Você talvez cruze conosco nas ruas. E nem perceba… Seguimos disfarçados. Ficamos atrás da cena. E não nos importamos com quem ganha os louros do resultado, e sim, que se realize o trabalho. De vez em quando nos encontramos pelas ruas. Trocamos olhares de reconhecimento e seguimos nosso caminho. Durante o dia muitos se disfarçam em seus empregos normais. Mas a noite, por trás de nossas aparências, o verdadeiro trabalho se inicia. Alguns que conhecem o trabalho nos chamam de “O Exército da Consciência”. Lentamente estamos construindo um novo mundo, com o poder de nossos corações e mentes. Seguimos com alegria e paixão. Nossas ordens nos chegam da Inteligência Espiritual e Central. Estamos jogando bombas suaves de amor sem que ninguém note: poemas, abraços, músicas, fotos, filmes, palavras carinhosas, meditações e preces , danças, ativismo social, sites , blogs, atos de bondades. O mundo precisa de amor! Expressamo-nos de uma forma única e pessoal, com nossos talentos e dons. Sendo a mudança que queremos ver no mundo. Essa é a força que move nossos corações. Sabemos que essa é a única forma de conseguir realizar a transformação. Sabemos que no silêncio e humildade teremos o poder de todos os oceanos juntos. Nosso trabalho é lento e meticuloso. Como na formação das montanhas. O amor será a religião do século XXI. Sem pré-requisitos de grau de educação. Sem requisitar um conhecimento excepcional para a sua compreensão. Porque nasce da inteligência do coração, escondida pela eternidade no pulso evolucionário de todo ser humano. Seja a mudança que quer ver acontecer no mundo. Ninguém pode fazer esse trabalho por você. Nós estamos recrutando. Talvez você se junte a nós ou talvez já tenha se unido. Todos são bem-vindos. A porta está aberta!

Emmanuel

As divindades femininas: No princípio, eram as Deusas

5

Nos quatro cantos do mundo, as primeiras divindades eram mulheres: Pótnia, Astarte, Ísis, Amaterazu, Nu Gua. Nas antigas sociedades, elas representavam o começo e o fim de tudo. Hoje, ajudam a entender o passado remoto dos homens.

Em Çatal Huyuk, na Turquia, a estatueta de uma mulher sentada num trono e ladeada por duas panteras, em cujas cabeças ela coloca as mãos, sugere ao mesmo tempo a imagem da mãe e da senhora da natureza. Suas formas generosas — quadris largos e seios grandes— reforçam ainda mais essa idéia. O nome da figura feminina é Pótnia, a deusa de Çatal Huyuk, a mais antiga cidade que se conhece do período Neolítico, cerca de 10 mil anos atrás. De Pótnia nasceram outras divindades femininas também adoradas pelos homens pré- históricos. Sua estatueta, esculpida por volta de 6500 a.C., foi uma das muitas encontradas na Europa e no Oriente Médio, algumas mais antigas, do Paleolítico Superior (de 50 mil a 10 mil anos atrás).

Essas descobertas levaram historiadores e arqueólogos a sugerir que, bem antes de venerar deuses masculinos, os antepassados do homem teriam adorado as deusas, cujo reinado chegou até a Idade do Bronze, há cerca de 5 mil anos. Não se sabe a rigor o exato significado daquelas estatuetas, até porque pouco ou quase nada se conhece dos costumes dos homens pré-históricos. Mas não resta dúvida de que por um bom tempo as deusas reinaram sozinhas, deixando os poderes masculinos à sombra. Em seu livro Um é o outro, a filósofa e professora francesa Elisabeth Badinter tenta explicar a supremacia feminina a partir do que se supõe teriam sido as relações entre homens e mulheres naquelas épocas distantes.

A idéia é que o homem do Neolítico—ao contrário dos seus antecessores do Paleolítico, que eram caçadores, e dos seus descendentes da Idade do Bronze, guerreiros—dedicava-se à criação de rebanhos e à agricultura. Ou seja, já não era necessário arriscar a vida para sobreviver. Nesses tempos relativamente pacíficos, em que a força bruta não contava tanto como fator de prestígio e as diferenças sociais entre os sexos se estreitavam, é bem possível que deusas—e não deuses—tivessem encarnado as principais virtudes da cultura neolítica.

Entre as centenas de estatuetas encontradas, algumas têm em comum os seios fartos e os quadris volumosos como Pótnia. Talvez a mais famosa seja a Vênus de Willendorf, encontrada às margens do rio Danúbio, na Europa Central. Nela, os seios, as nádegas e o ventre formam uma massa compacta, de onde emergem a cabeça e as pernas — na verdade, pequenos tocos. Igualmente reveladora é a Vênus de Lespugne, descoberta na França: embora mais estilizada, guarda as mesmas características de sua irmã de Willendorf.

Mas, das esculturas pré- históricas encontradas até hoje, são raras as que apresentam os traços femininos tão exagerados — o que dá margem a um debate sobre o que significava afinal a figura feminina (devidamente divinizada) nos primórdios das sociedades humanas. Os historiadores tendem a achar que os primeiros homens a viver em grupos organizados davam mais importância à sexualidade feminina do que à fertilidade, embora não seja nada fácil separar uma coisa da outra. No entanto. a imagem à qual acabaram associadas foi a da maternidade. Há quem não concorde. “Traduzir o culto dos ancestrais às deusas como simples exaltação à fertilidade é simplificar demais”, comenta a historiadora e antropóloga Norma Telles, da PUC de São Paulo, que estuda mitologia praticamente desde criança. “Na realidade, a deusa não é aquela que só gera. Ela é também guerreira, doadora das artes da civilização, criadora do céu, do tecido e da cerâmica, entre muitas outras coisas.”

De fato, em muitos mitos, a deusa aparece como quem dá o grão aos homens, e não apenas no sentido literal de nutrição. Assim, por exemplo, Deméter, venerada pelos gregos como a deusa da colheita, ajudava a cultivar a terra — arar, semear, colher e transformar os grãos em farinha e depois em pão. Deméter ensinava ainda os homens a atrelar as animais e a se organizar. Os gregos explicaram a origem do mundo com outro mito feminino: o da deusa Gaia. Doadora da sabedoria aos homens, ela limitou o Caos—o espaço infinito—e criou um ser igual a ela própria: Urano, o céu estrelado.

Pouco depois, Eros, símbolo do amor universal, fez com que Gaia e Urano se unissem. Desse casamento nasceram muitos filhos e, assim, a Terra foi povoada. A crença de que o Universo foi criado por uma divindade feminina está presente em quase toda parte.

Ísis, a mais antiga deusa do Egito, tinha dado a luz ao Sol. Na Índia, Aditi era a deusa-mãe de tudo que existe no céu. Na Mesopotâmia, Astarte, uma das mais cultuadas deusas do Oriente Médio, era a verdadeira soberana do mundo, que eliminava o velho e gerava o novo. Essa idéia aparece com clareza nas efígies datadas de 2 300 a.C., que mostram Astarte sentada sobre um cadáver. Também para os chineses foi uma deusa—Nu Gua — quem criou a humanidade. Seu culto apareceu durante o período da dinastia Han (202 a.C.-220 d.C.). Representada com cabeça de mulher e corpo de serpente, a venerável Nu Gua encarnava a ordem e a tranqüilidade.

Os chineses dizem que, cavando barro do chão, ela moldou uma figura que, para sua surpresa, ganhou vida e movimento próprio. Entusiasmada, a deusa continuou a moldar figuras, mas a natureza mortal de suas criaturas a obrigava a repetir eternamente o trabalho. Por isso, Nu Gua decidiu que os seres deviam se acasalar para se perpetuarem—daí também ela ser considerada pelos antigos chineses a deusa do casamento. Do outro lado do mundo, na América pré – colombiana, os astecas tinham em Tlauteutli sua deusa da criação. Para eles, o Universo fora feito de seu corpo. Os maias tinham igualmente sua deusa-mãe. Era Ix Chel. De sua união com o deus Itzamná nasceram os outros deuses e os homens.

Com o passar do tempo, deuses e homens passaram a dividir com as deusas o espaço no Panteão, o lugar reservado às divindades. Para Elisabeth Badinter, isso acontece quando a noção de casal vai deitando raízes nas sociedades. Pouco a pouco, da Europa Ocidental ao Oriente, “reconhece-se que é preciso ser dois para procriar e produzir”, escreve ela. Mas o culto à deusa – mãe ainda não é substituído pelo do deus – pai. O casal divino passa a ser venerado em conjunto. As deusas só serão destronadas com o advento das religiões monoteístas, que admitem um só deus, masculino. Com a difusão do cristianismo, as antigas deusas são banidas do imaginário popular.

No Ocidente, algumas acabaram associadas à Virgem Maria, mãe do Deus dos cristãos, outras se transformaram em santas. Mas outras ou foram excluídas da história ou acusadas pelos padres de demônios e prostitutas. As deusas das culturas indo-européias tinham em comum o poder de criar, preservar e destruir—davam a vida e recebiam de volta o que se desfazia. Esse aspecto destrutivo das divindades femininas foi o mais atacado pelos inimigos do politeísmo. A suméria Astarte, por exemplo, não escaparia à ira nem dos profetas bíblicos nem dos primeiros cristãos: para uns e outros, ela era a encarnação do diabo.

No império babilônico, Astarte foi venerada sob o nome de Ishtar, que quer dizer estrela. Nos escritos babilônicos, ela é a luz do mundo, a que abre o ventre, faz justiça, dá a força e perdoa. A Bíblia, porém, a descreveria como uma acabada prostituta. A importância dada ao lado violento, destrutivo, talvez explique por que a deusa hindu Kali Ma aparece no filme de Steven Spielberg, O templo da perdição, como a encarnação da violência. Ela é a sanguinária figura em nome da qual se matam e torturam adultos e se escravizam crianças.

No entanto, para os hindus, mais especialmente para os tantras — adeptos de uma derivação do hinduísmo —, Kali é a deusa da transformação e nesse sentido mais filosófico é que ela é destruidora, da mesma forma como a passagem do tempo destrói. Representada como uma mulher negra com quatro braços e uma serpente na cintura, pode aparecer também com um colar de crânios no colo e uma cabeça em cada mão.

Em seus templos, espalhados por toda a Índia, realizavam-se sacrifícios de búfalos e cabras. “Para os orientais, Kali é a desintegração contida na vida, visão essa que nós ocidentais não temos”, interpreta a antropóloga Norma Telles. Se Kali foi vista como deusa sanguinária, outras divindades compensavam tanta violência. Sarasvati, a deusa dos rios, era para os hindus a inventora de todas as artes da civilização, como o calendário, a Matemática, o alfabeto original e até os Vedas, o texto sagrado do hinduísmo.

Também na América pré-colombiana, sobretudo entre os astecas, o culto às deusas e deuses incluía muitas vezes sacrifícios humanos. A deusa Tlauteutli é um bom exemplo. Um dia, os deuses descobriram que ela ficaria estéril, a menos que fosse alimentada de corações humanos. Na verdade, os astecas tinham uma visão apocalíptica do mundo: se não alimentassem a deusa, a Terra se acabaria.

Mas, à medida que começava a crescer o culto à deusa da maternidade, Tonantzin, diminuía o interesse dos astecas pelos deuses aos quais se faziam sacrifícios sangrentos. Mais tarde, com a chegada dos conquistadores espanhóis, Tonantzin foi identificada com a Virgem Maria. Isso acabaria acontecendo também com a deusa Ísis. Cultuada no Egito e no mundo greco – romano, ela representava a energia transformadora. Casada com o deus Osíris, morto pelo próprio irmão, Ísis não sossegou enquanto não lhe restituiu a vida. A lenda conta que as enchentes do Nilo eram causadas pelas lágrimas da deusa que pranteava a morte do amado. Por isso, as festas em sua homenagem coincidiam sempre com a época das cheias. É evidente que, ao festejá-la, os egípcios comemoravam a generosa fertilidade do rio Nilo. Nos primeiros séculos cristãos, Ísis passou a ser identificada com Maria.

Já a deusa Brighid, cultuada pelos celtas, ancestrais dos irlandeses, foi transformada pelo cristianismo em Santa Brigida. A veneração daquele povo por Brighid era tanta que ela era chamada simplesmente “a deusa”. Dona das palavras e da poesia, era também a padroeira da cura, do artesanato e do conhecimento. As festas em sua homenagem se davam no dia 1º de fevereiro, antecipando a chegada da primavera. Na história cristã, a santa nasceu no pôr-do-sol, nem dentro nem fora de uma casa, e foi alimentada por uma vaca branca com manchas vermelhas. Na tradição irlandesa, a vaca era considerada sobrenatural.

Antes mesmo da chegada das religiões monoteístas, os mitos dizem que o convívio entre deuses e deusas começou a se tornar difícil e a igualdade dos poderes divinos começava a ficar abalada. Assim, por exemplo, Amaterazu, a deusa japonesa do Sol, de quem descendiam os imperadores, não se dava muito bem com o deus da tempestade. Conta a lenda que certo dia ele foi visitar os domínios da deusa e acabou por destruir seus campos de arroz. Furiosa, Amaterazu resolveu vingar-se trancando-se numa caverna — o que deixou o mundo às escuras. Depois de um tempo, como ela não saísse da caverna, uma multidão de deuses e deuses menores decidiu armar uma estratégia para convencê-la a mudar de idéia. Assim, colocaram diante da caverna um espelho que refletia a imagem do deus da tempestade, como se ele estivesse enforcado numa árvore, e começaram a dançar.

Atraída pela música, a deusa decidiu sair para ver o que acontecia. Ao deparar com a imagem no espelho ficou feliz e voltou ao mundo. Com isso, tudo se normalizou e os dias continuaram a suceder às noites. Outro exemplo dos conflitos entre as divindades é o caso da deusa grega Deméter e seu marido Hades, o deus do mundo dos mortos. Eles começaram a brigar pela guarda da filha Perséfone e a questão só foi resolvida com a mediação de Zeus, o deus supremo do Olimpo. Salomonicamente, ele determinou que a menina ficasse com cada um seis meses por ano. Das deusas veneradas no mundo antigo, não houve tantas nem tão famosas como as da mitologia greco – romana. Afrodite (Vênus, em Roma) talvez fosse a mais popular de todas, por encarnar o amor e as formas belas da natureza.

Já Ártemis (Diana) era a caçadora solitária, senhora dos bosques e dos animais. Seus lugares preferidos eram sempre aqueles onde o homem ainda não tinha chegado. Atena (Minerva) protegia a cidade, as casas e as famílias. O predomínio que as divindades femininas exerceram ao longo do tempo levou alguns pesquisadores do século XIX a supor que na pré-história as mulheres detiveram alguma forma de autoridade política. Não há registros arqueológicos que confirmem isso — hoje os especialistas não admitem que tenha existido alguma sociedade cujo controle estivesse com as mulheres. Mas também é certo que nos tempos pré-históricos, quando era outra a divisão social do trabalho, as mulheres tinham um papel preponderante na luta pela sobrevivência do grupo. É impossível saber com exatidão quando e por que deixou de ser assim. De uma coisa, porém, não se duvida: foram os homens quem primeiro traçaram a mitologia das deusas.

A primeira mulher de Adão

Segundo uma antiga lenda, a primeira companheira de Adão não foi Eva, mas uma deusa chamada Lilith—”monstro da noite”, para os antigos hebreus—que brigou com Deus e por isso foi transformada em demônio. Na verdade, o castigo maior que Ihe impuseram os sacerdotes foi excluí-la dos relatos bíblicos da criação do mundo. Lilith, versão hebraica de uma divindade babilônica, sinônimo de “face escura da Lua”, não se dava bem com Adão. Certo dia, cansada de desavenças, Lilith abandonou o marido e foi para o mar Vermelho, onde passou a viver entre demônios, com quem teve vários filhos.

Inconformado, Adão foi pedir a interferência de Deus. Este determinou então que Lilith voltasse imediatamente para casa. Mas ela recusou-se e foi condenada a devorar todos os seus filhos. Não bastasse, passou a ser considerada um demônio igual a outras deuses do mundo das trevas. Por tudo isso, no folclore judaico, cada vez que morria uma criança, dizia-se que Lilith a tinha levado. A lenda de Lilith perdurou entre os judeus pelo menos até o século VII.

Para saber mais:

Nas montanhas dos deuses

(SUPER número 10, ano 3)

Prometeu, martir e herói

(SUPER número 4, ano 4)

Um touro seduziu a Europa

(SUPER número 6, ano 4)

O lado feminino do Brasil colonial

(SUPER número 4, ano 8)

Por: Maria Inês Zanchetta – Via https://super.abril.com.br/cultura/as-divindades-femininas-no-principio-eram-as-deusas/

AS DIFERENÇAS ENTRE RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE

527261_4172893116114_549019221_n

A religião alimenta a mente. A espiritualidade alimenta a alma.

A religião aprisiona, segrega. A espiritualidade liberta e une as almas a um único princípio O Amor Divino.

A religião não é apenas uma, são centenas. A espiritualidade é apenas uma.

A religião é para os que dormem, A espiritualidade é para os que estão despertos.

A religião é para aqueles que necessitam que alguém lhes diga o que fazer e querem ser guiados. A espiritualidade é para os que prestam atenção à sua Voz Interior.

A religião tem um conjunto de regras dogmáticas. A espiritualidade te convida a raciocinar sobre tudo, a questionar tudo.

A religião ameaça e amedronta. A espiritualidade lhe dá Paz Interior.

A religião fala de pecado e culpa. A espiritualidade lhe diz: “Aprenda com os Erros”.

A religião reprime tudo, te faz falso. A espiritualidade transcende tudo, te faz verdadeiro.

A religião não é Deus. A espiritualidade é tudo e, portanto: é Deus.

A religião inventa. A espiritualidade descobre.

A religião não indaga e nem questiona. A espiritualidade questiona tudo.

A religião é humana, é uma organização com regras. A espiritualidade é Divina, sem regras.

A religião é causa de divisão. A espiritualidade é causa de União.

A religião lhe busca para que acredite. A espiritualidade você tem que buscá-la.

A religião segue os preceitos de um livro sagrado. A espiritualidade busca o sagrado em todos os livros.

A religião se alimenta do medo. A espiritualidade se alimenta na Confiança e na Fé.

A religião faz viver no pensamento. A espiritualidade faz Viver na Consciência.

A religião se ocupa com fazer. A espiritualidade se ocupa com Ser.

A religião alimenta o ego. A espiritualidade nos faz Transcender.

A religião nos faz renunciar ao mundo. A espiritualidade nos faz viver em Deus, não renunciar a Ele. 

A religião é adoração. A espiritualidade é Meditação.

A religião sonha com a glória e com o paraíso. A espiritualidade nos faz viver a glória e o paraíso aqui e agora.

A religião vive no passado e no futuro. A espiritualidade vive somente no presente, no agora. 

A religião enclausura nossa memória. A espiritualidade liberta nossa consciência.

A religião crê na vida eterna. A espiritualidade nos faz consciente da vida eterna.

A religião promete para depois da morte. A espiritualidade é Encontrar Deus em Nosso Interior durante a vida.

Autor desconhecido – Um Gênio da Observação

O Vitimismo e a Evolução Espiritual

vitimismo-600x350

Não se faça de vítima….
“Sou o patinho feio, ninguém cuida de mim”…….

O complexo de vítima – a mania de assumir, na vida, a postura de mártir sofredor – é uma das mais insidiosas e destrutivas patologias psicológicas. Os que caíram nas garras da autopiedade vão por aí, puxando a carroça dos seus sofrimentos quase sempre imaginários – mas não por isso menos reais – e provocando nos outros enfado e repulsa. Isso é muito triste, quando se sabe que tudo o que eles querem é exatamente o contrário: ganhar carinho e atenção.

O vitimismo é um poço de sentimentos negativos. Dele surge a tendência para culpar os outros (o pai, a mãe, os irmãos, a sociedade, a vida, o mundo, os maus fados, o destino) e fazer deles os responsáveis pelas nossas próprias mazelas. Dele surgem as couraças de autodefesa que não nos permitem relaxar e viver de modo saudável nossa relação com os outros e conosco mesmos. Dele vem a impressão sempre absurda e impossível de que não precisamos mudar. Os outros é que estão errados. Ele é a pior das cegueiras, pois destrói na pessoa a autocrítica, o discernimento e a capacidade de avaliação racional das situações.

Demônio de muitas faces, o vitimismo é mestre em matéria de distorção da realidade. Parente próximo da tristeza, quando ele possui uma pessoa coloca diante de seus olhos um filtro cinza e opaco que a impede de apreciar – e se deleitar – com as cores do mundo.

O vitimismo é doença precoce. A análise transacional – uma técnica de psicoterapia – ensina que uma criança, já nos primeiros anos de vida, e a partir do seu contato cotidiano com os adultos, decide qual das seguintes posições existenciais ela assumirá na vida:

Eu não estou ok, os outros estão.

Eu estou ok, os outros não estão.

Não estou ok, os outros também não.

Estou ok, os outros também estão.

Uma vez escolhida a posição, quando a criança cresce, ela será dominante no seu caráter, enquanto as outras, embora podendo coexistir, terão menor peso. Destaca-se que a atitude universal na primeira infância é a da “eu não estou ok, os outros estão”. Assim sendo, a pessoa poderá permanecer fixada nessa posição ou, segundo a educação recebida, passar a uma das outras três. Explicando melhor:

– “Eu não estou ok, os outros estão.” Essa pessoa se sente inferior aos outros e tenderá à depressão. Ela ainda permanece na mesma posição da sua primeira infância.

– “Eu estou ok, os outros não.” É a pessoa que culpa os outros pelas suas misérias. Essa posição costuma ser assumida pelas crianças maltratadas com brutalidade, que concluem: “Quando estou sozinho, estou muito bem. Não preciso de ninguém, deixem-me só.” Esta posição é, em geral, baseada no ódio, mesmo quando ele está bem camuflado. Desse grupo fazem parte, com freqüência, os delinqüentes, os fanáticos e os criminosos.

– “Eu não estou ok, os outros também não.” Essa pessoas não sente nenhum interesse pela vida. É abúlica e depressiva. É uma posição assumida por aqueles que não receberam suficiente calor e atenção nos primeiros anos e escolhe os amigos, o cônjuge, esperando que ele seja propenso a desempenhar o papel complementar.

NÃO SOMOS LIVRES como acreditamos ser. Quando se entende isso, fica evidente que a maior parte dos nossos atos e pensamentos não é tão livre de condicionamentos como gostamos de acreditar. Nossa certeza de sermos livres, de fazermos tudo aquilo que queremos, e quando queremos, é quase sempre uma ilusão. Quase todos, na verdade, carregamos dentro condicionamentos mais ou menos ocultos que, com freqüência, tornam difícil a manifestação de uma honestidade genuína, uma criatividade livre, uma intimidade simples e pura.

Posição existencial é, portanto, um papel que o indivíduo tenderá a representar ao longo da sua vida. É preciso sublinhar o fato de que todas as posições existenciais necessitam de pelo menos duas pessoas, cujos papéis combinem entre si. O algoz, por exemplo, não pode continuar a sê-lo sem ao menos uma vítima. A vítima procurará seu salvador e este último uma vítima para salvar.

O condicionamento para o desempenho de um dos papéis é bastante sorrateiro e trabalha de forma invisível. Esta é uma das causas principais da falência de algumas amizades ou casamentos, quando as pessoas interessadas não se ligaram a partir de uma simpatia genuína, mas sim com o objetivo de encontrar na outra pessoa um sujeito adequado para desempenhar algum papel complementar.

Se pararmos alguns instantes para considerar os casais que conhecemos, não será difícil encontrar entre eles a “menina” que casou com o “pai” (relação vítima-salvador) ou a mulher que se queixa continuamente do marido, mas nem sequer admite a idéia do divórcio (relação vítima- algoz).

Observemos, então, como vivemos e como a nossa presença influencia a vida daqueles que nos cercam. Somos sadios? Serenos? As pessoas ao nosso redor apreciam a nossa presença? Nosso cônjuge nos admira? Ele fala bem de nós? Nossos filhos nos consideram como amigos? Quantos amigos temos? Em quantas portas podemos bater no caso de uma situação grave?

SE NÃO FORMOS serenos e não tivermos amigos, tentemos considerar que, provavelmente, a nossa posição existencial e o papel que desempenhamos não são os melhores possíveis. Com efeito, se o fossem, teríamos serenidade, melhor saúde.

Fonte: Equipe da Revista Planeta.

O AMOR EM TEMPOS DE ASCENSÃO PLANETÁRIA

1929918_996501680392860_4515162303355603076_n

O AMOR EM SEUS REGISTROS AKASHICOS NO DNA

Os relacionamentos estão tendo uma dose extra de desafios em Abril,
Em seu DNA se encontram os vastos registros akashicos da jornada de sua alma ao longo do tempo. Eventos, crenças, padrões, qualidades, talentos e tendências principais estão lá registrados. Lembranças e lições de relacionamentos estão lá também, além de votos e acordos feitos com os entes queridos ao longo do tempo.

Os relacionamentos são catalisadores para o crescimento pessoal e a iluminação. Velhos padrões disfuncionais ao nível do DNA, baseados no medo.

Na essência de todos os seres está o amor e a capacidade de amar sem condições. Para acessar plenamente este amor e tê-lo refletido de forma consistente para você nos relacionamentos amorosos, os padrões disfuncionais ao nível do DNA devem ser abordados à medida que surgirem.

Todos os têm. Quando eles vêm à tona, eles atuam nos relacionamentos. Estes padrões no inconsciente não podem ser acessados pela mente, ou compreendidos com a consciência. É por isto que até mesmo os curadores e praticantes espirituais chegam até um terapeuta de cura ao nível do DNA confiável e habilidoso para identificar corretamente os padrões de cura e as suas causas.

Os ciclos de energia são susceptíveis de estimular mais do que a quantidade usual de causas emocionais nos relacionamentos.

Você e os seus entes queridos podem estar mais sensíveis do que o habitual, por exemplo, de modo que os eventos podem ser ampliados. Quando isto acontece, outro nível profundo de condicionamento inconsciente ao nível do DNA poderia se manifestar e começar a atuar. Palavras ásperas podem ser ditas. Ações irrevogáveis podem ser empreendidas em tal ciclo.

VENDO O TUMULTO NO RELACIONAMENTO COM COMPAIXÃO

Ao saber que temos esta energia se revelando, considere as seguintes sugestões que podem ajuda-lo a ver o tumulto em seu relacionamento com compaixão e compreensão.

EM PRIMEIRO LUGAR, faça o melhor para permanecer positivo e manter a sua frequência elevada. Ainda que você tenha palavras ásperas com um ente querido, não se permita fazer julgamentos rápidos sobre o que significam as palavras. Evite ultimatos e pensamentos rígidos.

Você, e, talvez, o seu ente querido, podem simplesmente estar tendo uma crise que nada tem a ver com o amor que vocês compartilham. Isto é um sinal de que há uma ligação fraca em algum lugar – é bem provável que seja um antigo padrão não resolvido ao nível do DNA que precisa ser observado e curado.

Com esta visão mais elevada, é mais fácil para você evitar assumir as coisas pessoalmente. Além disto, você tem menos probabilidade de reagir, dizer ou fazer algo do que se arrependa mais tarde. Respire. Dê espaço.

EM SEGUNDO LUGAR, uma vez que temos um Mercúrio Retrógrado desde 9 de Abril, use este tempo para iniciar um nível mais profundo de exploração dos bloqueios com os relacionamentos amorosos ao nível do DNA. Estes bloqueios não se manifestam de uma só vez, Graças a Deus, mas em fases ao longo do tempo, enquanto os eventos da vida se revelam.

Os retrógrados são realmente momentos perfeitos para se interiorizar e se concentrar na cura dos relacionamentos principais. Eu recomendo que comece com você, como um ponto de referência, concentrando-se no que poderia estar bloqueando a manifestação de um parceiro amoroso, ou um ambiente de trabalho harmonioso com outros que o aceitem e valorizem os seus dons.

Em conjunto com isto, tenha a intenção de perceber que relacionamento atual está agitando mais angústia em você. Pergunte-se: “Na recente discussão ou situação com X, qual era o meu medo principal?” Esta investigação pode ser frutífera agora.

EM TERCEIRO LUGAR, siga com gentileza com você e os outros. A mudança não pode e nem deve ser forçada, e ela não precisa ser estressante. As atuais energias planetárias podem, às vezes, parecer como raios, ou simplesmente, um grande empurrão por trás. Este tipo de energia o impulsiona a mudar algo em sua vida.

Para se mover através da mudança da maneira mais elevada, você precisará ficar em seu coração, permanecer positivo, e estar disposto a assumir riscos. Dependendo do que você precise mudar, o risco poderia parecer uma destas opções:

1 – Perguntar o que você precisa.
2 – Estabelecer limites amorosos
3 – Reavaliar o que você realmente valoriza.
4 – Enfrentar um padrão habitual disfuncional que você aprendeu com os cuidadores.
5 – Ser honesto com você mesmo sobre quem você está permitindo que drene a sua energia.

Pense neste ciclo como outro chamado do universo para fazer uma grande revisão do seu modo de ser, maneira de pensar, e o modo de operar no mundo. Convide a sua sabedoria interior para lhe dar empurrões para ajuda-lo a aprender com os relacionamentos.

Peça que lhe seja mostrado como ser mais amoroso e como experienciar mais amor com os outros. Confie que você está codificado para amar e que a cada relacionamento você pode aprender a incorporar mais plenamente o amor que você é.

Namastê.

VIA: Anjo da Luz – https://www.facebook.com/anjo.luz.consulta

Entendendo o Carma

large

Até que você vivencie e compreenda as reações advindas de suas ações geradas em outras realidades, você vai continuar a reencarnar em vidas sequenciais na Terra. Nem Deus nem os Senhores do Carma conferem sofrimento a você durante essas vidas. Somente a você caberá decidir o que é necessário para aprender durante a sua jornada terrena. Para cada experiência de vida você vai procurar outras almas, muitas vezes com histórias compartilhadas, e sempre com configurações cármicas correspondentes às suas necessidades. Sempre que você agir com intenção ilícita reincidirá em um novo padrão cármico (ação e reação).

Atos desarmônicos devem ser equilibrados, seja durante esta vida ou numa vida futura para além desta. Essas ações estão enraizadas nas emoções baseadas no medo que precisam ser resolvidas, para que se possa libertar da roda da reencarnação. Você retorna vida após vida para testar a si mesmo para ver se você aprendeu a sua lição. Até que você possa passar por uma vida inteira sem nenhum apego desarmônico você vai continuar a reencarnar. Em outras palavras, quando você puder viver uma vida de perfeita harmonia, a libertação te seguirá, o que é bastante difícil, no ser humano.

Durante a vida nesta dimensão alguns erros podem ocorrer devido a sermos vulneráveis. Até que você descubra a importância de ser espiritual, sem obsessão, você vai continuar a fazer e experimentar as escolhas erradas. Quando encarnam aqui na Terra, a maioria dos humanos entra com dívidas e créditos de experiências, ações, pensamentos, palavras e eventos de vidas passadas/paralelas (a menos que seja um Bodhisattva, que vem aqui apenas para ensinar, compartilhar e ajudar os outros a evoluir).

A principal forma de absolver Karma é fazer paz com você mesmo, e tentar ser o menos egoísta e obcecado possível. Tente manter uma prioridade espiritual em sua vida, reconhecer a força de Deus em si mesmo e nos outros e respeitar isso. A meditação é uma das melhores maneiras para absolver Karma, não importa que tipo de Karma você possa ter. Meditando e até mesmo cantando, você pode formar um relacionamento com o seu eu superior, o que lhe permite processar esta vibração kármica, sem ter que passar pela dor ou experiência física em si.

Fazer uso da chama violeta transmutadora também é uma das maneiras mais eficazes para trabalhar e transmutar padrões kármicos negativos advindos de realidades a que estamos diretamente correlacionados.

Karma não se transmuta “pagando”. Karma se transmuta tendo a compreensão de que não precisamos mais infringir dor a ninguém para viver a nossa verdade.

Tente não ser imoral ou agir de forma ilícita na sua busca de poder, amor, sexo, dinheiro ou o que seja, porque se você tirar proveito de outras pessoas, você se machucará na busca do material de qualquer coisa nesta dimensão. É assim que você acumula vibrações cármicas negativas que devem ser absolvidos por sua alma a evoluir. Os seres mais evoluídos são aqueles que absolveram seu Karma. As pessoas menos evoluídos são os presos em rotinas de dor, agonia, tortura e auto-destruição em suas vidas que nem sequer entendem Karma ou se recusam a admitir o seu poder e a sua verdade.

Maiana Lena, consciência unificada na missão de servir à luz!

Autor: Maiana Lena
Apometria Kármica. Tarô Kármico. Astrologia e Numerologia Kármica. Limpeza Energética de Ambientes. Tratamentos de Cura Multidimensional. Cursos e Atendimentos. http://www.maianalena.com.br
E-mail: mayana.lena@gmail.com

ARCANJO MIGUEL – VOCÊS SÃO AS SEMENTES ESTELARES DE SINALIZADORES DO CAMINHO?

archangel-michael-web

ARCANJO MIGUEL – março de 2017

Amados mestres, é de vital importância que vocês compreendam que estes são tempos sem precedentes, em que há muitas dispensações especiais em vigência. Trata-se de uma grandiosa oportunidade para vocês, os buscadores da Luz, se conectarem à sua herança divina e aos seus dons e talentos especiais. Em raros intervalos, e durante o período de transição de uma grande Era para outra, a Lei Cósmica permite que os Seres do reino angélico e a hierarquia espiritual passem pelo véu e façam contato com os membros seletos e despertos da raça humana. Vocês devem expressar a vontade e o desejo de interagir com esses maravilhosos Seres avançados, visto que eles não infringirão o seu livre arbítrio. Quando vocês concentram a sua atenção em um determinado mestre, anjo ou Ser de Luz, eles ficam imediatamente conscientes de vocês e responderão. Quando mais intenso, sincero e constante for o seu desejo, mais do seu esplendor eles vão lhes conceder.

Seus anjos guardiães, guias espirituais, e, finalmente, a sua TRÍADE SAGRADA farão todos os esforços para lhes ajudar a receber as frequências superiores da sabedoria, que são decisivas para esses tempos caóticos de transformação. Esses Seres benevolentes se empenham em obter a sua atenção por intensificar a Luz em seu Coração Sagrado. Vocês aguardaram, durante séculos, um convite para se comunicar conscientemente com os mestres ascensos e com os reinos angélicos, e eles pacientemente aguardaram também por esse momento. A comunhão com os Seres de Luz é um grande passo evolutivo para vocês, como Seres humanos, porque isso facilita uma nova percepção consciente e uma poderosa transformação interna. Muito provavelmente, vocês, em primeiro lugar, vão se conectar e aprender a interagir e se comunicar com os seus guias pessoais, ou, às vezes, com o professor mestre que rapidamente estabelecerá um relacionamento com vocês, principalmente se vocês fizeram um acordo para trabalhar com esse determinado Ser, antes de encarnar nesta existência.

Muitos dentre vocês estão satisfatoriamente no caminho para desenvolver seus sextos sentidos – a mente intuitiva, por meio da qual vocês têm uma linha direta com o seu eu da Superalma, e determinadas facetas dos seus múltiplos eus superiores. É a etapa inicial da criação de uma linha direta com a base de origem, a sua TRÍADE SAGRADA, e finalmente, com o seu magnífico Eu Divino. Não busquem Deus nos céus ou em algum lugar distante, em local inatingível, porque a Essência do Criador, uma Centelha da Divindade, reside em seu Coração Sagrado.

Muitos dentre vocês estão se conscientizando das suas origens divinas; todavia, possuem somente um leve indício do seu vasto potencial como portadores da Luz Cósmica. É de suma importância que vocês entrem em sintonia com as frequências sempre crescentes da Luz do Criador, porque isso vai acelerar o seu processo ascensional e ajudá-los a atingir o status de Mestres de Si Mesmos, para que possam cumprir a promessa de ser uma Luz no Caminho e um Sinalizador do Caminho.

Lembrem-se, só podem acessar os níveis vibratórios com que vocês e sua Assinatura Energética sejam compatíveis. É por isso que é tão importante ter passado por um processo de purificação/limpeza, a fim de alcançar um estado de ser mais equilibrado e harmonioso em seus corpos mental e emocional.

Há muito, muito tempo, vocês, que mais tarde surgiriam como as Sementes Estelares de Sinalizadores do Caminho para a Ascensão da humanidade e da Terra, concordaram em assumir um papel especial no planeta Terra, em algum momento no futuro distante. Esse grupo de Almas corajosas encarnaria em cada raça, cor, cultura e credo, e elas seriam espalhadas em todo o lugar do planeta, em preparação para o drama cósmico predeterminado: a ascensão em massa da humanidade e da Terra, ao lado de todas as manifestações materiais neste Subuniverso.

Aqueles que passaram à frente, receberam uma dispensação especial, em que muitos dos seus desequilíbrios menores seriam purificados para que a sua carga terrena não fosse demasiado esmagadora. Tudo o que restasse seriam as lições mais importantes que vocês precisassem resolver, a fim de que pudessem voltar para um nível equilibrado e harmonioso de frequências vibratórias, elevando, assim, as sua Assinatura Energética/Canção da Alma para a quarta dimensão média e superior.

Uma grande multidão dentre vocês, as Sementes Estelares, está satisfatoriamente no caminho para a Automestria; no entanto, muitos desse grupo de Sinalizadores do Caminho estão ainda no estado de sono ou em negação. Cada um de vocês possui um papel importante a desempenhar nesse acelerado processo evolutivo que está agora em andamento. As codificações genéticas desse grupo carregam as melhores qualidades de todas as raças raízes anteriores, ao lado das codificações especiais das células de memória de uma nova Raça Raiz Dourada do futuro. É verdade que, com o tempo, houve grandes desequilíbrios entre esse grupo de Almas, e muitas não escutaram as advertências do seu eu espiritual e se esqueceram de sua missão terrena. Contudo, nas profundezas do núcleo do seu Coração Sagrado, cada um de vocês estava codificado com um Átomo-Semente da Consciência de Luz que, quando ativado, os ajudaria a lembrar-se de sua promessa de serem nossos representantes terrenos – e que a sua missão seria empenhar-se, com todo o seu Ser, para tornar-se cocriadores competentes da beleza, paz, harmonia e abundância no plano terreno.

Gostaríamos de dar-lhes algumas informações básicas, para que possam colocar em uma perspectiva adequada o que estamos compartilhando. É importante que vocês não se vejam como pessoas de apenas uma linhagem, porque todos vocês experimentaram existências em todas as grandes raças. É importante que não se coloquem acima daqueles que estão no caminho, atrás de vocês, porque vocês também foram não-buscadores e seguidores em muitas e muitas vidas. Vocês tiveram pele preta, assim como marrom, branca, vermelha e amarela de outras raças raízes, e também tiveram em seu DNA todos os distintos atributos, virtudes e qualidades dessas raças. Nesta existência, vocês escolheram nascer em uma determinada família ou viver em um país específico por um motivo muito explícito.

Em um nível universal, após vocês se externalizarem em sua consciência individualizada divina, e passarem eons em cocriação alegre, vocês e um grupo harmonioso de Almas, que chamaremos de “grupos de família de Almas”, foram reunidos em uma grande pirâmide de Luz nos reinos superiores. Essas Pirâmides de Luz, mais tarde, seriam chamadas de PIRÂMIDES DOS SERVIDORES DO MUNDO, e estão espalhadas por todos os muitos subníveis da quinta e da sexta dimensões. Vocês foram informados de que chegaria um momento, no futuro muito distante, em que uma etapa importante do Plano Divino atingiria um ponto culminante. Muitos grupos especializados seriam reunidos e teriam papéis importantes a desempenhar no “processo de reunificação”. ESTE MOMENTO É AGORA!

Aqueles dentre vocês, que carinhosamente chamamos de “Velhas Almas”, estão espalhados por todo o mundo. É verdade que existe um número maior dessas Velhas Almas em alguns locais e culturas; todavia, esse grupo de vanguarda está espalhado pela Terra, desde as regiões rurais mais primitivas até as cidades mais cosmopolitas e altamente cultas. Essas corajosas Almas não são as pessoas que administram o governo ou fazem as manchetes. Elas vivem em fazendas, porque amam a natureza e os animais de que cuidam. Elas possuem empregos mundanos em todos os campos de empreendimento e tranquilamente cumprem os seu deveres. Elas têm posições de grande responsabilidade e servem a seu país e a seu povo em uma grande variedade de formas. Vivem em mansões e em casas simples, e em todos os níveis sociais desde o mais baixo até o mais elevado. São membros de grupos religiosos organizados e prestam adoração de sua maneira exclusiva. Muitos estão sintonizados com os sussurros dos seus Eus Superiores e se tornaram Mestres de Si Mesmos. Muitos outros estão bem em seu caminho espiritual, mas infelizmente, há uma grande multidão dessas Sementes Estelares de Sinalizadores do Caminho que ainda estão inconscientes da sua natureza divina e da promessa que fizeram há muito tempo.

Aqueles que estão nesse grupo têm codificadas em seu DNA as principais virtudes, capacidades e qualidades da raça Atlante, a de líderes, pioneiros e guerreiros. Há um desejo profundo de utilizar as capacidades mentais, ao lado da Vontade e do Poder Divinos de nosso Deus Pai, a fim de serem os principais cocriadores no plano físico da realidade. Além disso, vocês estão infundidos com as elevadas virtudes, qualidades e capacidades de nosso Deus Mãe, que foram incutidas naquelas Almas, que vieram à Terra durante a Era Dourada da Lemúria – as qualidades suaves, acolhedoras, intuitivas, internamente focadas, e além do mais, grandes habilidades artísticas e um desejo de paz, tranquilidade e contemplação.

Vocês experimentaram uma rica e maravilhosa herança espiritual, e, no passado, foram abençoados por terem tantos Seres de Luz magníficos em seu meio – mestres cujos ensinamentos os deixaram com maravilhosas orientações para viver uma vida virtuosa. Contudo, está na hora de combinar o passado com o futuro, porque a humanidade está experimentando uma necessidade profunda de orientação, inspiração e apoio mútuo.

Vamos sugerir uma nova maneira, e é nossa maior esperança que alguns dentre vocês peguem a bandeira e sejam os futuros campeões espirituais da nova espiritualidade emergente no meio da humanidade autoconsciente. Nós lhes pedimos que comecem a se reunir a fim de estudar, apoiar e inspirar uns aos outros. Pedimos que compartilhem o seu conhecimento, sua sabedoria, seus pontos de vista e suas experiências entre si. Estamos cientes de um grande sentimento de solidão entre as pessoas no mundo – uma sensação de isolamento. Não basta ler os ensinamentos que lhes damos ou os dos mestres, ou visitar uma bela catedral ou templo, e prestar homenagem a Deus. É hora de reunificação. Vocês devem começar a se reunir e compartilhar o seu amor, sua sabedoria e inspiração. É o momento de estudarem juntos e de se apoiarem mutuamente. Não estamos pedindo que construam templos maiores, porque não é aí que os deuses do futuro habitarão. Vocês são cocriadores do futuro – Centelhas Divinas do Criador – que estão sendo convidados a assumir o seu lugar de direito na grandiosa marcha para o futuro.

Meus amados, chegou a hora de liberar toda a culpa, vergonha e sentimentos de indignidade que tantos de vocês têm carregado como questões centrais desde muito tempo. Vocês devem curar a dor do passado para que possam assumir o seu papel adequado no maravilhoso plano para o futuro, que está agora se revelando tão rapidamente no planeta Terra.

Por meio de nossas mensagens, lhes demos as ferramentas, sabedoria e discernimento para liberar todas as coisas em sua vida que não servem mais aos seus melhores interesses e bem maior. Imploramos que vocês reflitam seriamente sobre o que lhes dissemos reiteradamente: “Vocês são dignos de todo o amor, beleza, alegria, paz e abundância deste universo, porque é o seu DIREITO DIVINO DE NASCIMENTO.” Vocês precisam aprender a amar-se e a respeitar-se, e devem ter um profundo senso de autoestima, antes que possam realmente amar e respeitar os demais, e antes que os outros devolvam o amor e o respeito que vocês tanto merecem.

Pedimos que recapitulem as qualidades, virtudes e atributos da sua Herança Divina que vocês estão exibindo agora. Vocês estão projetando em demasia a energia Atlante, masculina, e se concentrando demais em adquirir e criar? Lembrem-se, lhes dissemos que vocês estão procurando um “estado de Ser” ou uma “qualidade de vida”. Vocês podem adquirir grande riqueza e manifestar muitas coisas maravilhosas materialmente, mas se o seu centro cardíaco estiver fechado ou vocês ignorarem e não desenvolverem as suas virtudes e qualidades Lemurianas/da Deusa, vocês se sentirão incompletos e vão experimentar um grande sentimento de insatisfação.

Reúnam-se em grupos de dois, três, dez, cem ou mil, isso não faz diferença. Contudo, se vocês se reunirem para o benefício de todos, nós nos comprometemos, estaremos lá com força total para capacitá-los, ajudá-los e irradiar o amor de nosso Deus Pai/Mãe na maior medida que vocês puderem conter.

O seu principal objetivo, neste momento, é retornar ao espectro originalmente projetado de Luz e sombra, os padrões vibratórios que constituem o seu mundo pessoal na realidade de terceira e quarta dimensões. Ao fazer isso, o pêndulo da sua consciência não oscilará tão radicalmente, das frequências positivas para as negativas, e a sua natureza mental e emocional tornar-se-ão estabilizadas e centradas mais uma vez. Esse é um passo importante, ao aprenderem a viver centrados em seu Coração Sagrado e em sua Mente Sagrada. À medida que elevarem os seus padrões vibratórios, as frequências mais elevadas de Luz, aos poucos, dissolverão todas as muitas membranas de Luz que restringem a sua consciência superior. Uma vez que isso ocorra, vocês estarão bem em seu caminho para levar uma vida consciente, inspirada na Alma de um Mestre de Si Mesmo.

Pode não parecer assim, no entanto, garantimos-lhes que vocês estão vivendo em um dos momentos mais maravilhosos, amados. Estivemos com vocês desde a época em que primeiramente vocês se externalizaram em sua consciência individual, neste Universo. Estaremos com vocês à medida que avançamos para o novo futuro brilhante, enquanto unimos forças com os poderosos Elohim, que são os grandes Construtores da Forma, em preparação para a realização da gloriosa Nova Era por vir. Envio-lhes o resplendor de nosso Deus Pai/Mãe, enquanto os envolvemos em uma aura de Amor Divino/Luz. Estamos muito satisfeitos com vocês.

EU SOU ARCANJO MIGUEL.

Direitos Autorais:

Transmitida por Ronna /Escriba Sagrada * Como a pessoa que transmite este artigo, eu, Ronna, reivindico os direitos autorais universais em nome do Arcanjo Miguel. A publicação em sites é permitida, contanto que a informação não seja alterada, suprimida ou acrescentada, e o crédito da autoria, o meu e-mail e o endereço do site sejam incluídos. Pode ser publicado em jornais, revistas ou impressão pública com a permissão de: RonnaStar@earthlink.net. Tradução: Ivete Adavaí Brito – adavai@me.com – www.adavai.wordpress.com – N.T.: O mesmo procedimento deve ser seguido no caso de se publicar a presente tradução, isto é, dar os créditos à tradutora.

 

Via: http://lotusazul.com

O CANSAÇO E AS NOVAS FREQUÊNCIAS

5-formas-de-aumentar2

O cansaço físico que estão sentindo é devido as novas frequências eletromagnéticas inteligentes que estão chegando do Sol Central. Estas estão mexendo radicalmente em nossas estruturas físicas, emocionais e espirituais. Como se fossemos apenas um aparelho de celular ligado a uma bateria de um imenso navio. Há muita energia vindo do mundo espiritual. Sendo assim há a necessidade de estabilização. O que fazer?

 

Mentalmente: vibrar em alta ressonância, de preferência na mais alta energia possível, a energia da gratidão, da compaixão, da generosidade, da benevolência e do compartilhamento mútuo das ideias. Evitar julgamentos alheios, pois não sabemos realmente o que cada um veio passar nesta vida. Elevar o pensamento para coisas nobres ao invés de continuar compartilhando noticias fúteis e terríveis que teimam em multiplicar pela televisão e mídias sociais. ‘

 

Faça diferente, encontre coisas boas nas pessoas e nas situações, elas existem, mas estão sendo esquecidas. Pare de reclamar e comece a agradecer, a gratidão é a energia que moldará o novo mundo. Quando um pensamento ruim vier, compreenda-o e imediatamente neutralize com outro superior e positivo.

 

Quando um problema vier a sua mente, transmute a informação, procurando imediatamente a solução para ao mesmo. Mude o foco, encontre coisas belas em você, em seu comportamento, pare de se mutilar energéticamente, todos nós temos coisas boas e virtudes.

 

Fisicamente: fazer exercícios calmos e concentrados, emitindo ao mesmo tempo que os faz, ondas azuis para todos os locais onde sente supostamente dor, desconforto ou fadiga muscular, transformando um simples exercício de alongamento e fortalecimento em um exercício vibracional quântico intensificado.

 

Beber bastante água mineral, de preferência aquela que sai direto das pedras , pois traz fragmentos minerais puros do centro da montanha, rochas e cristais. Evitar alimentos industrializados e com condimentos exagerados. Coloque para dentro do seu corpo coisas bonitas, saudáveis e que possuem vida, esqueçam de uma vez por todas bolachas hidrogenadas, fast foods e comidas sem vida.

 

Coma frutas verdes regadas com mel, legumes regados a azeite, procure comer mais legumes que saem de dentro da terra como batata, beterraba, mandioquinha, mandioca, eles trazem força física e consciência para aterramento. Trocar a farinha de trigo por outra menos prejudicial como a tapioca, a farinha da mandioca.

 

Tomar sol e agradecer enquanto faz isso. Mergulhar na água no mar ou na água de rio corrente para entrar na frequência nova da Natureza.

 

Espiritualmente: prestar atenção na intuição, pois esta está chegando com força e é a primeira informação que chega do mundo espiritual para adentrar em sua mente. Ouvir uma música boa, aquela que faz os pelos do seu braço arrepiar, pois esta é capaz de produzir a ressonância com seu espírito.

 

Prestar atenção nas inspirações, pois elas vêm pura e simples, caso contrário não conseguimos anotar o que é recebido ou fazer no exato momento em que ela chega, perdemos o contato e o espírito demora para trazê-la novamente. Inspiração é algo que seu próprio espirito lhe envia, não é um espirito terceiro ou uma amparador, é você mesmo em manifestação futura e dimensão divina tentando conversar consigo mesmo.

 

Relacionamentos: não precisa mais gritar com ninguém, seu coração já não suporta mais gritos e discussões, ele só quer harmonia e entendimento, a época dos sofrimentos terminaram, quem ainda continuar nesta ideia passará por grandes provações. Se for preciso se posicionar, posicione-se e faça o que precisa ser feito.

 

Trabalho: seu espirito não está mais querendo fazer o que não faz sentido e não preenche o seu propósito de vida. Ele está forçando-o a entrar com força total no seu centro de sinergia, aquele que sintonia com as forças que vem do Universo. Se não mudar ou melhorar sua relação com seu trabalho sua vida vai ficando cada vez mais vazia, mesmo que através dele receba bastante dinheiro, nada disso poderá dar um sentido real para a sua existência daqui em diante.

 

Seu espirito só quer que as coisas se ajustem, ele luta por isso, mas você muitas vezes resiste e continua querendo controlar tudo e se manter numa velha vida que não existe mais. A única saída é render-se e deixar que as novas inteligências modifiquem e direcionem sua vida. É preciso a redenção estar presente, pois somente assim o Universo natural saberá que você realmente confia nele.

 

O novo mundo que está nascendo não aceita mais o medo como condição para nossas vidas, não aceita mais a ideia da falta de suprimentos, de violência uns contra os outros, não aceita mais a ideia da esperança como padrão de crença, mas sim a confiança, pois esperarança no fundo é somente uma forma bonita de esperar por eterno amanhãs que nunca chegam.

 

Não resista, a resistência traz cansaço físico, dor, irritação, descontentamento, falta de confiança, desarmonia, dores, doenças e tudo o que não faz mais sentido para nossas vidas. Parece fácil falar, mas eu sei do que estou falando, pois passei por tudo isso, exatamente como vocês, e agora já estou vendo no horizonte do campo de centeio, uma montanha cristalina que os mentores espirituais estão me mostrando.

 

A caminhada pelo campo foi longa, parecia que nunca surgiria nada na frente, como se fosse um imenso vazio utópico que nunca termina, mas agora a visão é nítida e só alegria em meu coração. Estou escrevendo este artigo, pois não quero sentir isso sozinho. Todos que estão na busca encontrarão o novo mundo.

 

A imagem da montanha é clara e surge todos os dias em meus sonhos. Mas as hierarquias espirituais me dizem, não se preocupe em encontrar o novo mundo, ele não é um lugar, mas sim uma frequência, um estado vibracional em que todos podem estar se assim desejar. O estado da gratidão pura e silenciosa.

 

O local onde a sintonia com seu espirito é feita e a tríade, corpo, mente e espirito se estabiliza para a projeção daquilo que vem de cima. Sintonia é o caminho, sintonia consigo mesmo, essa é a verdadeira espiritualidade que os mentores desejam de nós, pois estando completos e conectados, estamos em plena sintonia com o Todo e a partir daí todos os processos secundários se fazem presentes, digo, a ajuda ao próximo está incluso neste quesito.

 

Por: Carlos Torres – https://www.facebook.com/carlostorresescritor

SORORIDADE

12718323_907269092726310_3949944103256120567_n

A palavra sororidade não existe nos dicionários. Mas existe em um lugar sagrado chamado força interna feminina. Sóror quer dizer irmã. Sororidade é a capacidade que as mulheres possuem em se reconhecerem como irmãs. Estamos em um momento em que o divino feminino está retornando, está derrubando toda a escuridão e voltando à honra. Isso está no ar. Tem uma luz acendendo nos corações das mulheres, o chamado. Muitas de nós ainda não querem aceitar essa luz acendendo, não se lembram do próprio empoderamento e o repudiam, vibrando ainda na energia da inveja, maledicência e rivalidade. E repudiam portanto as suas irmãs empoderadas pois estão se ‘protegendo’ através do modelo masculino que imitam para serem ‘ aceitas’, consciente e inconscientemente. Elas estão fracas, vibrando em sofrimento nas sombras do esquecimento. Vamos aproveitar a energia da palavra sagrada Sororidade e rezar por todas as mulheres que precisam se curar no mundo.
E se você é uma delas, das que estão ainda esquecidas mas conseguem enxergar isso, agradeça. Depois desconecte-se de toda culpa e se entregue a gratidão de ter olhos de ver. Peça luz às mães santíssimas e aceite a força de suas águas internas para amolecer e fazer nascer da terra seca. Transborde, beba. Olho d’água, lágrima, suor, rios, mares, oceanos, útero, casa, Coração. O amor é líquido.

E que a irmandade feminina se faça.

Autoria de Newen Fuerza

 

Via: Gloria Cristina Reis

https://www.facebook.com/gloriacristina.reis

O PAPEL DE UM MESTRE XAMÃ

157

No mundo ocidental, hoje, mais e mais ocidentais não-tribais estão buscando um professor de xamanismo e em resposta, um número crescente de professores xamânicos estão aparecendo na tela. Mas como podemos garantir que seremos atraídos para uma pessoa autêntica, um iniciado que vai nos “servir” bem?

No início de nossa conexão com as tradições da sabedoria antiga, alguns de nós decidem procurar os professores no mundo indígena, muitas vezes através da participação em grupos de viagens ou passeios em regiões remotas do mundo. Estes passeios são geralmente acompanhados ou liderados por um especialista reconhecido ou auto-proclamados, e essas experiências podem ser intensas, emocionantes e de mudança de vida. No entanto, nós freqüentemente descobrimos que só porque alguém parece ser um especialista nem sempre o é, o conhecimento pode ser bastante limitado e superficial. Além disso, essas experiências geralmente não possuem uma conexão permanente para facilitar o nosso treinamento xamânico e desenvolver habilidades xamânicas. Assim, continuamos a busca.

Alguns de nós procuram anciãos espirituais indígenas mais perto de casa, mas geralmente descobrimos que há muito poucos agora que sabem as antigas tradições e menos ainda que desejam compartilhar sua sabedoria espiritual com estranhos. Alguns de nós têm a sorte de encontrar uma pessoa idosa que tenha optado por compartilhar os seus conhecimentos a todos, independentemente de cultura, raça ou etnia.

Há um crescente número de buscadores espirituais que se tornam conscientes do caminho do xamã através da leitura das obras publicadas de indivíduos que têm “tempo gasto” com os povos indígenas. Alguns encontram seu caminho em relação com essas pessoas, que oferecem conhecimentos, bem como formação experiencial em seminários e workshops em institutos e centros de conferências.

Para os ocidentais, os workshops experienciais oferecem oportunidades de imersão intensa na cosmovisão do xamã e sua prática. Essas configurações estruturadas fornecem ferramentas e técnicas destinadas a trazer-nos uma ligação reforçada com ajudantes do nosso espírito, os professores do nosso espírito e nossos guias, a criação de uma fundação boa para a nossa própria prática. No mundo do xamã, sempre se fala que os Mestres encontram-se realmente, do outro lado. Somente os espíritos podem transmitir o ensino verdadeiro, bem como a iniciação à fé xamanista.

Assim, o trabalho do professor xamânico autêntico é o de facilitar essa conexão …

Uma vez que o aspirante xamânico tenha sido posto em relação com seus espíritos auxiliares, o papel do professor é essencialmente exterior. Mas também é verdade que muitos retornam do trabalho como um professor singular em oficinas de formação xamânica, a fim de aprofundar a sua prática em áreas específicas como o trabalho com os espíritos ancestrais, recuperação da alma e cura transpessoal, ou a explorar as realidades dimensionais dos mundos superiores.

Ao fazê-lo, os ocidentais descobrem que as metodologias antigas do xamã, desenvolvida através de dezenas de milênios por nossos ancestrais da idade da pedra, são direitos inalienáveis de todos os seres humanos em toda parte. Se retrocedermos o suficiente, somos todos descendentes de povos indígenas tribais, ocidentais e não ocidentais iguais, e todos eles tinham grandes xamãs.

Isto significa que não é necessário que você seja um Zulu ou da Sibéria, um americano ou maia, nativo havaiano para praticar o xamanismo. A prática, o método é essencialmente o mesmo em todo o mundo. Ela pertence a todos.

Estas são algumas reflexões sobre a natureza do professor xamânico autêntico, permitindo-nos a partilhar algumas idéias, para quem está procurando um professor de xamanismo, bem como aqueles que se sentem atraídos para tornarem-se xamanistas.

Ao fazê-lo, estamos falando de mais de 27 anos de aprendizado nessa tradição intemporal, um período durante o qual temos estudado com vários Mestres no mundo exterior, tanto ocidentais e indígenas, bem como com os nossos “Maestros” no interior do espírito.

No entanto, a grande questão ainda se esconde nas sombras para nossa consideração: como você sabe quando um professor xamânico é autêntico? Como você sabe se este autor famoso ou aquela pessoa conhecida ou o indivíduo desconhecido foi autenticamente iniciado? Isso é muito importante pois se há uma coisa que os buscadores espirituais da comunidade de transformação estão procurando, é autenticidade, e aqui, a partir de nossa experiência, segue alguns pontos que vocês devem considerar.

A primeira coisa que procuramos em um líder espiritual é a humildade.

Se alguém se levanta na frente de um grupo e anuncia que é um xamã, devemos ficar com os dois pés atrás. Nenhum xamã verdadeiro reivindica este título, ele é reconhecido pela comunidade com tal. Todos os xamãs sabem que os Poderes a que têm acesso são empréstimo dos espíritos. Eles também sabem que quando um deles se torna orgulhoso, proclamando-se a este ou aquele, esta é a maneira mais rápida de perder a conexão com o Poder. Assim, todos os xamãs verdadeiros tendem a ser pessoas muito humildes. Às vezes eles usam o termo xamanista, que está alinhado com humildade.

A segunda qualidade que assistimos é a reverência.

Neste caso, a reverência se refere a uma relação ativa que se estende a tudo e a todos, independentemente de quem e quais são elas. Se você está em um grupo com um professor que é autocrático, exigente, condenando, poderá reconsiderar o seu compromisso com aquele mestre. Se você está em um grupo de viagem, onde o líder trata os moradores com desrespeito, este não é um sinal favorável.

A terceira qualidade que assistimos é a auto-disciplina.

Se você encontrou-se com um líder espiritual que é arrogante, que se expressa através da proclamação e pontificação, ou se tiver encontrado sozinho na presença de alguém que o seduz com histórias maravilhosas, que podem ou não ser verdade, você deve estrar provavelmente no lugar errado. Se ouvir que um professor conhecido viola os limites dos alunos, especificamente o sexual, o melhor a fazer é procurar uma pessoa mais digna, de confiança, para ajudar a facilitar o seu crescimento espiritual.

Quando percorremos o caminho xamânico de revelação direta, nos engajamos em uma prática espiritual que nos foi revelada por um sábio kahuna que disse: “Devemos amar tudo o que vemos com humildade, viver tudo o que sentimos com reverência, e saber a usar todo o conhecimento que possuímos com disciplina, honra e sabedoria”.

“Aqueles que buscam um xamã quando o encontram, não devem esperar movimentos mágicos.
A sua Arte é a de provocar seus demônios que tão bem escondes.
Se buscas um xamã, prepare-se para o seu silêncio.
Mantenha-se alerta quando ele mostrar toda sua sinceridade.
Mas tenha a certeza de que ele irá prepará-lo para a sua pior batalha: o encontro consigo mesmo.”

Hank Wesselman

Escritor, Antropólogo Paleontologista e Xamanista

http://www.xamanismo.com