A DANÇA SAGRADA

Moria_Wood

A dança é um diálogo onde as palavras são movimentos. Para executar uma dança sagrada, os movimentos devem ser consagrados. A consagração do gesto equivale a uma direcionalidade do movimento em que este se torna um sinal e é portador de uma mensagem. Exige-se primeiro a presença de uma idéia ou de um objetivo a alcançar e em seguida trabalha-se o corpo para adquirir a máxima maneabilidade para exprimir a Ideia.

Exemplo: 

Ideia de elevação: subida do corpo para o alto; Ideia de libertação: abertura do corpo para fora.

A dança sagrada exige algo mais do que o próprio domínio corporal; exige também uma participação ativa da consciência, que simultaneamente irá se manifestar na sequência de movimentos. Aqui o indivíduo não exprime algo que lhe é exterior: procura ser verdadeiro; o seu corpo é a oferenda e a sua consciência é o oficiante. Ele dança com o espírito, quer dizer, exalta o corpo para sublimar.

A dança é para ele uma via de libertação! Assim, a expressão corporal não será inata; o que é inato é a disponibilidade do corpo para se expressar. Para que haja expresssão, tem que haver Ideia. Esse motor oculto (inconsciente arquetipal) estimula a alma que irá comunicar ao corpo o caminho a seguir. Qaunto mais a consciência estiver embebida na Ideia, maior será a capacidade do oficiante em realizar os movimentos certos. Menor capacidade, menor transparência interior.

A dança sagrada exige uma descida da Ideia (Ideal) no corpo. Só o Ideal perfeito poderá tornar o corpo perfeito. Os vários movimentos marcam as etapas de tomada de posse do Espírito sobre o corpo. em termos filosóficos, poderíamos dizer que os impedimentos apra realizar um movimento perfeito derivam do fato de nós nos termos afastado da realidade, da perfeição. Esse ideal dorme em potência no corpo, na Alma e no Espírito (belo, bom, justo) do Homem. Falta-nos redescobrir esta meta, recordá-la para a tornar vivencial. Este é o caminho, e a dança é uma das suas vias de acesso.

Por isso também encontramos na dança sagrada uma apoteose final: o êxtase, estado sublime, onde deixa de existir diferença entre o exterior e o interior; entre o EU vontade e o EU corporal. Esse estado de união perfeita entre o corpo e o espírito surge quando a alma embriagada pela música, que ritma e sintoniza os movimentos, se deixa subjugar pela Ideia; é possuída por Ela numa dádiva total. Nas danças primitivas encontramos este processo através da 1ª fase ligada à Purificação. exorcizar ou fazer sair os maus gênios (espíritos) que habitam o homem; afastar o Mal para que o Bem possa intervir. Depois deta 1ª fase surge então o diálogo do Homem com as Forças Superiores. Os ritmos musicais procuram aureolar o Homem num campo vibratório apropriado; a música dá a cadência marcando os diferentes estados da dança sacralizada.

De fato, nós encontramos sempre o mesmo princípio da Maiêutica socrática em todas as atitudes sacralizantes , seja a música, a psicologia, a filosofia, a dança ou outras disciplinas: esvaziar para encher, sair para entrar, morrer para renascer.

Hoje temos afastado de nós este sentido sagrado da dança, talvez devido ao fato de não existir a ideia do Sagrado. Sagrado significa puro, precioso, verdadeiro, real na sua essência. O Sagrado exige a consciência do Bem supremo e sua veneração. em oposição ao Sagrado está o Profano, o que está por debaixo, em posição de menor importância, de menor valor. Proffanar significa desvalorizar algo, destituí-lo do seu valor essencial. A atitude profana é um gesto sem intenção transcendente; é comum e falta-lhe a consciência do porquê.

A Dança Profana reflete duas tendências:

1ª- Regresso ao mero instinto (espontaneidade do corpo). Aqui é a natureza inferior que predomina. Essas danças refletem formas caóticas onde as emoções convilsionam de uma maneira orgíaca. O corpo sobrepôe-se à mente o que resulta em impressões sensoriais sem grande transcendencia. É uma forma primária de deixar falar o corpo; trata-se, pois, de uma dança orgânica que procura sensações rápidas e passageiras. A música que lhe corresponde utiliza vibrações violentas com cadências curtas ou então lânguidas com cadências longas.

2ª- Corresponde ao tipo tecnicista que se situa no outro extremo já que a 1ª nega a própria técnica, utilizando apenas o instinto. Esta segunda tendência procura através da forma o artifício que tem mais a ver com o proposito corporal do que com a arte da Dança. É uma dança que, vazia de mensagem, pretende transmitir sem saber o quê. Por isso recorre á exuberância, à pseudo originalidade para parecer rara. Requer muita técnica para se justificar, pois joga com a ilusão e necessita do público para auto-lisongear-se.

Estas formas de dança seguem correntes de opnião, fortemente intelectualizadas, que manipulam a Arte numa dialética de convenções sociais. A Arte para ser Arte tem de ser universalmente sentida. Os olhos da alma sabe reconhecer espontaneamente a beleza de uma rosa, de um por-do-sol sem para isso recorrer a um dicionário de estética. A Arte verdaeira fala por si, não é elitista, exclusiva, e tem por objetivo comum a todos os seres: a perfeição, que procura expressar através de múltiplas atitudes. As formas diferem mas a essência é a mesma para todas as disciplinas. O objetivo é expressar a vida, a beleza,  desabrochar da Alma através de um simples passo de dança que eleve o corpo ás Alturas.

A transmissão do ideal de Perfeição através da dança é querer expressar um princípio universal, do qual nós reconhecemos a supremacia. Hoje as pessoas recusam-se a aceitar este princípio pela simples razão de que têm inconscientemente medo de não estar à altura de o viver. Negando o perfeito é mais fácil legitimar a imperfeição. Que melhor lugar para a mentira do que aquele de onde a verdade foi banida!?

A segunda tendência da dança profana, dita contemporânea (que está limitada a um tempo determinado, restrita a um momento) é para nós um puro sofisma. Urge, então, erguer uma nova dialética da profundeza para que renasça a dança sacralizada (a que perdura sempre). Neste reencontro com o objetivo da Vida o Homem irá beneficiar de um novo impulso e poder-se-á regenerar através da dança participando da sua essência.

A verdadeira dança é um puro ato de Amor, sendo esta a união perfeita da Alma com Deus. A dança não é somente prazer para o  corpo e para os olhos; ela deve transmitir algo mais que movimento; deve procurar exaltar e recordar ao Homem a ideia do Belo, da Perfeição que só pode ser transmitida na medida em que o executante a torne em si mesmo vivencial.

A dança é uma Iniciação à Vida. É o eterno movimento de Deus. É a oração do corpo.

Que mais poderemos dizer senão encorajar todos aqueles que por esta arte se sentem atraídos. Pois, no fundo, onde existe amor à Arte, existe o Artista, este homem que, frente a Beleza, frente à Perfeição, manifesta a sua mais sincera homenagem através da ação de si próprio.

 

Françoise Terseur – Pintora, Investigadora e Formadora da Nova Acrópole.

Via: http://www.nova-acropole.pt/

 

O RETORNO DO AMOR E A CURA CÓSMICA

1069

A quantidade de luz na terra nunca foi maior do que nesse momento. As vibrações estão mudando. A relação com a consciência está mudando. O despertar se deu início aflorando a conexão do corpo físico com a energia da alma e desta com o corpo de luz. Com as ondas de frequências de luz se aterrando no planeta o amor está retornando. E com ele a cura. O amor nas dimensões superiores se expressa na energia da luz e se corporifica nas vibrações da cura. Toda vibração de amor nas esferas superiores tem o potencial de curar. Muitos dos trabalhadores da luz que agora estão despertando e relembrando de quem são vieram com a missão de se tornarem “corpos de luz” nesta esfera física e a partir do ano de 2021 manifestarão isso materialmente trazendo a cura planetária em grande escala. Para um corpo de luz vibrar nesta dimensão é necessário que o plano terrestre esteja até certo grau em estado vibracional que possa acolhê-lo e protege-lo, por isso a necessidade da limpeza planetária em todos os níveis.

Estamos neste momento vivendo uma profunda limpeza planetária onde todo tipo de energia vibracional obscura está sendo trazida a consciência para ser liberada e transmutada. Todo padrão de comportamento que já não nos serve deve ser liberado agora. Por isso a necessidade do encontro de vibrações contrárias e adversas estarem operando cosmicamente neste momento. Trazer a consciência crenças que criam medo em todas as áreas da vida vai criar resistência que poderá prolongar a experiência pretendida. Recomenda-se que se peça orientação interior para seguir adiante. Entender que é necessário liberar estas programações e seguir o fluxo da cura se faz necessário a cada ser que optou de livre consciência passar por este processo de limpeza e purificação.

A humanidade terrena está passando em nível coletivo por uma ativação em massa de códigos de abertura de consciência. Nem todos conseguirão processar esta ativação, mas não o fazendo agora o farão em momento oportuno em outra esfera dimensional. Muitos dos “despertos” já conseguem sentir o fluxo da energia curativa através das vibrações do amor divino que começa a envolver o seu campo vibracional. E com este crescimento de vibração serão capazes de acessar frequências mais altas que exigirão uma limpeza mais profunda em programações que vem se agregando ao longo de muitas vidas.

Toda vez que você liberar os seus medos, suas limitações, suas crenças que não lhe servem mais, e seu medo de amar a si mesmo completamente, o caminho para a ativação da energia amorosa estará mais perto. É você quem detêm a chave para libertar-se da escuridão que o rodeia. É você quem tem o poder de transformar tudo em torno de você simplesmente por estar em um estado de amor para todos ao seu redor, mas especialmente para si mesmo. O amor por si mesmo nunca foi tão importante do que é neste momento.

Este processo é o retorno para o nosso corpo de luz que vibra a partir da quinta dimensão nos incorporando com o nosso aspecto mais elevado. É o retorno para o amor divino que estamos tendo a graça de receber em um corpo físico vibrando em um plano tridimensional. Tudo isso faz parte de um grande movimento que estamos experienciando neste contexto tridimensional de ampliar a nossa consciência e concretizar em um plano tridimensional o que estamos experienciando em planos superiores de consciência. Declare sua intenção de ativar sua consciência em dimensões superiores onde parte de você já habita.

Esta é a nossa missão e nosso destino divino. Nós somos amor, e nós somos um em unidade e graça.

 

Maiana Lena

Eu Sou Maiana Lena e manifesto-me a partir dos raios de amor e sabedoria para, neste momento, saudar cada um e trazer-lhes as bênçãos de celebração, independência, iniciação e felicidades. Saudações, Amados.

Página Inicial

A EXPECTATIVA DOS OUTROS SOBRE VOCÊ – POR OSHO

1002918_668294336538289_496074352_n

Quando você começa a ficar responsável em relação a si mesmo, começa a abandonar suas máscaras. Os outros começam a se sentir perturbados, porque eles sempre tiveram expectativas e você satisfazia essas exigências. Agora eles sentem que você está ficando irresponsável.

Quando os outros dizem que você está sendo irresponsável, estão simplesmente dizendo que você está saindo do controle deles. Você está ficando mais livre. Para condenar o seu comportamento, eles o chamam de irresponsável.
Na verdade, sua liberdade está crescendo e você está se tornando responsável. Responsabilidade significa a habilidade de responder. Ela não é uma obrigação que precisa ser satisfeita no sentido comum. Ela é capacidade de responder, sensibilidade.

Porém, quanto mais sensível você se tornar, mais descobrirá que muitas pessoas acham que você está ficando irresponsável – e você precisa aceitar isso -, porque os interesses delas, os investimentos delas não serão satisfeitos. Muitas vezes você não satisfará as suas expectativas, mas ninguém está aqui para satisfazer as expectativas dos outros.

A responsabilidade básica é para com você mesmo. Assim, um meditador primeiro se torna muito egoísta. Porém, mais tarde, quando ele ficar mais centrado, mais enraizado em seu próprio ser, a energia começará a transbordar. Mas isso não é uma obrigação, não é que a pessoa precise fazê-lo. Ela adora fazê-lo; trata-se de um compartilhar.

Osho

ENTRE PARTIDAS E CHEGADAS

point

Entre partidas e chegadas…

Meu coração dispara…

Quando parte…

Meu olhar te segue…

Quando chega…

Meu amor resplandece…

Quando pensa em mim…

Meu coração sorri…

Quando está presente…

Minha alma te sente…

Mesmo que seja por um instante…

Sinto como se fosse um longo presente…

Se faltar-me coragem…

Encontrarei sua mensagem…

Mas se a ilusão me alcançar…

Verei seu Espírito de Luz a me iluminar.

Jefferson L. Orlando

Jefferson L. Orlando – É Psicoterapeuta Reencarnacionista, Palestrante, Ministrante, Escritor, Apresentador do Programa Sol do Everest (Canal YouTube), Outorgado pela Magia Divina, Projetor Extrafísico e Espiritualista. Reside e atende em São Paulo/Capital com a Psicoterapia Reencarnacionista, Regressão Terapêutica (Método ABPR – Conduzido pelos Mentores Espirituais) e Bioenergético Anímico-Mediúnico através das Mandalas pela Magia Divina. Site: www.soldoeverest.com.br E-mail: jefferson@soldoeverest.com.br

DIFERENÇA ENTRE O EGO E A ALMA

 

AscensionAndRebirth2

A base da alma está dentro, enquanto a base do ego, o referencial, está sempre fora.
A alma vive em constante gratidão e o ego em eterna insatisfação.
O ego nos estressa enquanto a alma nos harmoniza.
A alma é eterna e o ego passageiro.
A alma é sempre plena e o ego é sempre carente.
A alma nos inspira e o ego nos empurra.
A alma sempre apazigua e o ego perturba.
Ela se une a tudo, enquanto ele nos separa de tudo.
Ela sussurra, ele grita.
A alma ama e o ego se apaixona.
Ela nos liberta e ele nos aprisiona.
Ela nos projeta para dentro e para o alto e ele nos leva para fora e para baixo.
Ela é pleno deleite, ele um animal carente.


Horivaldo Gomes

Via: Gena Teresa: https://www.facebook.com/gena.teresa.3

SUJEIRA DEBAIXO DO TAPETE

1293

Quantas vezes já ouvimos falar nesta expressão “sujeira debaixo do tapete” e quantas vezes nós fazemos isso com a nossa vida?

A grande maioria das pessoas que conhecemos faz isso, guarda sujeira debaixo do tapete quando se deparam com os desafios e com os conflitos da vida, mas nós também fazemos isso…

Pare agora somente um momento, seja sincero contigo e reflita quantas vezes você joga a sujeira debaixo do seu tapete e há quanto tempo vem fazendo isso ao longo da sua vida?

Pode ser inconsciente (a grande maioria), mas também é de forma consciente e ao longo do tempo essa sujeira vai ficando cada vez maior chegando a um ponto que a vida não permitirá que esta se acumule mais.

Como a vida enviará sinais que o acúmulo de sujeira está passando do limite?

Com depressões, tristezas, raiva, mágoa, intolerância, isolamento, síndromes, obsessões, dores no corpo e tantas outras situações chegando muitas das vezes as doenças físicas, o último estágio para a pessoa identificar/autopercepção o que está indo errado em sua vida. É claro que essa fórmula está descrita de forma simplista, porém tem em sua essência a base original para o desenvolvimento dos males físicos, emocionais, mentais, energéticos e espirituais.

Hoje em estudos mais avançados pela ciência tradicional, já é sabido que tudo no universo é energia e condensada em diversas formas. Nosso corpo físico, assim como qualquer coisa que está inserido ao universo (Criação Divina) é energia condensada e se você vem colocando sujeira (energia suja) para dentro do seu templo de todas as formas ao invés de energia saudável, não terá condições de escapar das consequências destas ações.

Temos tudo para mudar este raciocínio, esse costume, mas é preciso tomar atitude, despertar da inércia da vida “moderna”, cair na real, primeiro tendo a consciência que somos Espírito e que estamos mais uma vez de passagem neste planeta como Seres Humanos. Esse já é um bom começo, mas é somente o começo, é preciso ainda caminhar muito para perceber de forma consciente quanta sujeira a gente vem jogando debaixo do tapete do corpo, mente, coração e da alma.

Deixar para depois o que se deve ser encarado agora é uma gigantesca ilusão e isso quando estamos falando somente desta vida. Quando ampliamos nossa visão do Ego para o Espírito referindo-se a Lei Divina da Reencarnação, você tem o Livre Arbítrio de fazer o que você quiser (literalmente), as consequências virão quando forem necessárias, porém você estará levando para sua próxima encarnação toda a sujeira do tapete desta vida que você deixou de limpar quando teve a oportunidade de fazer.

Agora seja sincero mais uma vez contigo e pense quantas encarnações você irá precisar para limpar toda a sujeira debaixo do tapete somente desta vida?

Indo mais além e ouvindo a voz do coração, será que você já não fez isso em encarnações passadas?

Qual será o acúmulo de sujeira debaixo do seu tapete em sua jornada encarnatória?

Quando a pessoa desperta para esta visão consciente de sua espiritualidade e percebe que está com uma chance maravilhosa de mudar sua história imortal, um portal se abre e ai começa outra vida de realizações e aprendizados. Muitas das vezes essa pode ser sua mais valorosa oportunidade em relação as últimas dezenas de encarnações que você teve…

A mudança é agora, não acumule mais sujeira debaixo do tapete do que você precisa. As consequências sempre serão mais duras, cada vez mais o Espírito irá precisar de encarnações mais agressivas, ou seja, com adversidades para despertar seu processo evolutivo.

Aproveite este seu momento de lucidez, mesmo que seja por conta desta leitura simples, comece agora a limpar o que você precisa para viver uma vida de intensa Alegria, Felicidade, Paz e Amor…

Qualquer um pode fazer este exercício, basta QUERER, esse sim é o grande SEGREDO.

Amor
Determinação
Confiança

Jefferson L. Orlando

* Jefferson L. Orlando – É Psicoterapeuta Reencarnacionista, Palestrante, Ministrante, Escritor, Apresentador do Programa Sol do Everest (Canal YouTube), Outorgado pela Magia Divina, Projetor Extrafísico e Espiritualista. Reside e atende em São Paulo/Capital com a Psicoterapia Reencarnacionista, Regressão Terapêutica (Método ABPR – Conduzido pelos Mentores Espirituais) e Bioenergético Anímico-Mediúnico através das Mandalas pela Magia Divina. Site: www.soldoeverest.com.br E-mail: jefferson@soldoeverest.com.br

 

DA ALMA PARA O INTELECTO

419

Adeus: É quando o coração que parte deixa a metade com quem fica.

Amigo: É alguém que fica para ajudar quando todo mundo se afasta.

Amor ao próximo: É quando o estranho passa a ser o amigo que ainda não abraçamos.

Beleza: É a capacidade de amar e encontrar no próximo a continuidade de seu ser.

Caridade: É quando a gente está com fome, só tem uma bolacha e reparte.

Carinho: É quando a gente não encontra nenhuma palavra para expressar o que sente e fala com as mãos, colocando o afago em cada dedo.

Ciúme: É quando o coração fica apertado porque não confia em si mesmo.

Entendimento: é quando um velhinho caminha devagar na nossa frente e a gente, mesmo apressado, não reclama.

Lágrima: É quando o coração pede aos olhos que falem por ele.

Mágoa: É um espinho que a gente coloca no coração e esquece de retirar.

Maldade: é quando a gente arranca as asas do anjo que deveríamos ser.

Perdão: É uma alegria que a gente dá e que pensava que jamais a teria.

Pessimismo: É quando a gente perde a capacidade de ver em cores.

Paz: É o prêmio de quem cumpre honestamente o seu dever.

Perfume: É quando, mesmo de olhos fechados, a gente reconhece quem nos faz feliz.

Raiva: É quando colocamos uma muralha no caminho da paz.

Simplicidade: É o comportamento de quem começa a ser sábio.

Saudade: É estando longe, sentir vontade de voar; e estando perto, querer parar o tempo.

Solidão: É quando estamos cercados por pessoas, mas o coração não vê ninguém por perto.

Sinceridade: É quando nos expressamos como se o outro estivesse do outro lado do espelho.

Ternura: É quando alguém nos olha e os olhos brilham como duas estrelas.

Definições (da alma para o intelecto) do livro “O Homem que veio das Sombras” de Luiz Gonzaga Pinheiro
Via: Van Hamazaki : https://www.facebook.com/vanamaki