Oração do Amor Próprio

8df4c0cdf4b6ea7e7e86ee55de6d6747_151b36d944120f6e222990063692b644

Que eu saiba primeiro me encontrar, antes de me doar.

Que eu possa respeitar os meus próprios limites e aprender a dizer não quando essa é a minha real vontade e direção.

Nos erros que cometo, que eu possa me olhar com todo amor e compaixão, pois sei que faço e dou o meu melhor, que eu aprecie a autogratidão.

Em cada alegria celebro a grandeza de ser quem sou, sem querer ser uma imagem que pintaram de mim, esse tempo acabou.

Com carinho eu me cuido e me amparo a cada passo, a cada queda. Sei que minha força se refaz no meu tempo, e nele meu coração celebra.

Que eu não me critique ou me culpe, drenando assim minha própria energia. Que eu saiba respeitar o meu tempo de florescer a cada dor, que eu possa também me permitir a alegria.

Que antes de eu cuidar do outro, eu olhe para a minha vida, regue o meu jardim para que a doação não me deixe um buraco e eu me sinta depois dolorida.

Que eu não abandone a mim mesma, esperando que alguém venha me salvar, ao invés disso que eu saiba me olhar com amor e me curar.

 

Meire Oliveira é Escritora, Poeta e Coach de transformação. Amante das estrelas e das estradas. Autora dos livros Pintando Borboletas e Vai Com Fé que Flui. Conjuga o verbo escrever com vários outros juntos: ama, sente, vê. Por isso nasce e renasce em palavras que palpitam nela.

 

Anúncios

5 DICAS PARA ATRAIR COISAS BOAS

1406

Dizem que os pensamentos positivos são capazes de atrair coisas boas, porém, eles sozinhos não são capazes de fazer muita coisa, mas te motivam a tomar atitudes positivas também. É como se você estivesse em um dia inspirado: se você tem um “gás extra”, é normal querer ir mais atrás das coisas, não ter medo das oportunidades e ver tudo com muito mais otimismo. E tudo isso inevitavelmente resultará em progresso.

Há também a velha questão do “ovo e da galinha”: “é o pensamento positivo que atrai coisas boas, ou nossas ações?”. No final das contas, não interessa quem começou primeiro, o que importa é que atitudes positivas sempre resultarão em energias positivas e vice-versa. E é justamente pensando nisso, fiz uma lista prática para ajudar nesse ciclo do bem:

1. Se envolva com pessoas

Se engana quem pensa que tudo vem das coisas e que é capaz de fazer tudo sozinho. Por mais que você viva bem consigo mesmo, medite e tenha paz de espírito, os melhores resultados e sensações virão de um conjunto de coisas que inevitavelmente envolverão você se dar bem com outras pessoas. Se for pensar bem, tudo de bom que você tem envolveu a participação de terceiros: desde saber meditar – que te fez precisar de um professor – até ter um filho e poder dar continuidade à vida.

Viver bem consigo mesmo é bom, mas são as pessoas que te farão dar risadas, te ajudarão a conquistar objetivos, entre outras coisas.


2. Nunca faça um favor procurando retorno imediato

Também se engana quem pensa que se fizer um favor a alguém, o pagamento virá da pessoa que foi beneficiada. Independente de você esperar ou não por “um pagamento”, ele sempre virá da vida, em um processo natural e inevitável, lindamente deduzido pela máxima “colhemos o que plantamos”.

Sem contar que se você fizer algo já pedindo para a outra pessoa fazer “tal coisa” por você, fora tirar toda a magia da sua ação, não será mais chamado de favor, mas sim de troca de serviços. Quando é favor, é feito de coração e o seu único pagamento será a felicidade por ter sido útil e ter feito alguém feliz. É brega, eu sei, mas é lindo também.


3. Escreva

Coisas ruins que acontecem não só tendem a ocupar grande parte do nosso pensamento, como costumam ficar dias a fio na nossa cabeça. Mude o foco e experimente escrever ao final de todos os dias coisas boas que te aconteceram.

“Hoje eu fiz uma amizade nova na academia”;

“Hoje eu chorei de tanto rir com a piada de fulano de tal”;

“Hoje o almoço estava delicioso”.

Parece um exercício um tanto quanto infantil, mas é capaz de atrair consequências inigualáveis.


4. Não exteriorize os seus problemas

Não adianta todo santo dia exteriorizar tudo de ruim que aconteceu contigo às outras pessoas: fora cansar, se você se repetir demais, a maioria delas perderão o interesse em te ouvir, outras vão mudar de assunto e outras simplesmente não saberão como te dar o melhor conselho. Sendo assim, cuidado para não fazer do ato de falar sobre o ocorrido apenas mais uma forma de atrair energia negativa, não só para você, como para a outra pessoa que te ouve.

Quer que as coisas deem certo? Converse com você mesmo, com o seu interior, até chegar a uma conclusão coerente, nem que seja a de que o melhor a se fazer é ficar quieto e deixar rolar. Só não se apresse, nem se martirize pelo o que não está ao seu alcance: ficar ansioso é só uma forma de você não conseguir o que quer, não só porque bloqueia a mente, como também porque te faz fazer tudo errado na ânsia de fazer dar certo.


5. Fé

Não importa a sua religião, nem se você acredita em Deus. Ter fé é saber que tudo na sua vida tem um propósito, que tudo vai dar certo e que depende muito mais de você do que você imagina. Eu sei que às vezes é duro, a gente pensa “na próxima vai dar certo”, e não dá. Nem da próxima, nem da próxima. É pedrada atrás de pedrada na cabeça. Porém, tenha certeza de que se está já está ruim e você ainda por cima inventar de perder a força de vontade e a fé, aí sim você acabou de lascar tudo de vez.

Aconteça o que acontecer, tire um tempo para si: ore, acenda incenso, limpe a casa, tome banho com sal grosso. Ponha gato, cachorro, periquito, papagaio no colo – enfim, qualquer coisa que te faça se sentir melhor. Nessas horas, não existe essa de “funciona ou não funciona”. Existe o que você acredita. E se você acredita, te faz bem e consequentemente funciona.

Reze, relaxe, releve. A princípio, os fatos externos não irão mudar, porém, se você conseguir mudar o seu interior, consequentemente isso influenciará nos próximos fatos externos que acontecerão contigo.

 

___

Via: Pergunte a uma Mulher

DE ONDE VEM A VERDADEIRA FELICIDADE ?

1143

Qual seria o melhor investimento da sua vida?

Muitos poderiam dizer viajar, outros comprar uma casa ou um apartamento, comprar um carro, uma moto, comprar equipamentos eletrônicos, roupas, sapatos, relógios e assim vai uma lista que não tem fim. Comprar, comprar e comprar, desta forma, onde vamos parar?

Pergunto aonde a pessoa vai parar seguindo este modelo de “felicidade” que tem tempo certo de duração e sua dependência é muito ruim colocando-a em uma ilusão material muito perigosa.

Com isso não estou dizendo que não devemos comprar coisas para nossas vidas, trabalharmos para melhor de padrão, movimentar as energias da prosperidade material e financeira, mas ao mesmo tempo estou dizendo o quanto é importante colocar o material no seu devido lugar.

Vivemos um modelo capitalista no mundo inteiro, a cada instante estamos sendo bombardeados a consumir todo tipo de produtos e serviços que na grande maioria deles não precisamos para ser verdadeiramente felizes.

Não vou explicar o que é felicidade de verdade.

Afinal, o que é a verdadeira felicidade para você?

Para, pense, reflita, o que vem na sua mente?

Agora faça a mesma pergunta, o que é a verdadeira felicidade para mim, porém agora somente sinta com o seu coração! O que você sentiu?

Se você notou diferença entre as duas formas de perguntar, primeiro quando pergunto se observou o que veio na sua mente e segundo quando se permite sentir sem julgamento da mente, então é porque tem algo a ser ajustado nesta caminhada rumo a sua verdadeira felicidade.

Sabemos que a felicidade é um estado de espírito, todos nós já ouvimos falar nesta expressão e a mesma é verdadeira, ou seja, ela vem do espírito.

Há milhares de anos atrás povos antigos do oriente (Hindus) diziam que o espírito antes de encaixar no corpo (encarnar), entrava pelo topo da cabeça (chacra coronário) e instalava-se no coração (chacra cardíaco) durante uma vida inteira e quando a hora de morte (desencarne) chegava, o espírito saia pelo topo da cabeça.
Ta aí a explicação da expressão: “Siga o caminho do coração!”.

O que é seguir o caminho do coração?

É seguir o caminho do Espírito, o caminho da espiritualidade.

Quando estamos entorpecidos nas ilusões da materialidade em suas momentâneas tramas ilusórias, o espírito se distancia de sua essência espiritual e na grande maioria das vezes se perde gerando muitas dores, tanto físicas, mas principalmente emocionais, psicológicas e espirituais.

Não busque sua verdadeira felicidade em coisas materiais, em coisas que não poderá levar contigo quando partir mais uma vez deste planeta, corra em direção das coisas que preenchem o coração (espírito), como o amor, felicidade, paz, amizades, se sentir útil, trabalhar em algo que te realize profundamente, solidariedade, perdão, compaixão, estudos e tantas outras coisas que fazem a vida valer…

Quando a morte bate na porta, nos instantes finais desta jornada, virá um filme na sua mente e neste momento você não pensará que deveria ter comprado aquele carro bacana, aquela casa de três dormitórios, aquele terno, aqueles sapatos, você irá pensar porque não amou, não foi feliz, não perdoou, não brincou, não riu mais, não fez amizades e outras centenas de coisas que só a alma pode realizar.

Tudo que o corpo pode realizar é por ação do espírito, emoções, sentimentos, pensamentos e atitudes são de origem/ordem espiritual, o corpo material é o veículo e não ao contrário.

Há necessidade deste despertar e principalmente colocá-lo em prática. Tudo que sentimos e pensamos levaremos após a partida desta jornada. A morte acontece somente para o corpo material, a vida continua e sempre continuará para o espírito (corpo astral), esse é a fonte de toda a vida, é imortal.

Vou encerrando este texto com quatro parágrafos do Paramahansa Yogananda* do livro (Como ser feliz o tempo todo) que valem por uma vida inteira. Foi através destas lindas palavras que surgiu o Sol do Everest em Outubro de 2011…

“Para que gastar todo o nosso tempo com coisas que não duram? O drama da vida tem sua moral no fato de ser apenas isto: um drama, uma ilusão.

Os insensatos, imaginando que a representação é real e duradoura, lastimam as partes tristes, lamentam que as alegres não se eternizem e deploram que a peça tenha de acabar.


O sofrimento é o castigo de sua cegueira espiritual.


Os sábios, porém, sabendo que o drama não passa de ilusão, buscam a felicidade eterna no Eu interior.”

Amor
Determinação
Confiança

Jefferson L. Orlando

Premavatar Paramahansa Yogananda: (5 de janeiro de 1893 a 7 de março de 1952), foi um iogue e guru indiano. É considerado um dos maiores emissários da antiga filosofia da Índia para o Ocidente. Através da Self-Realization Fellowship (SRF), a organização que fundou ao chegar aos Estados Unidos, foi pioneiro ao promover a prática da meditação por meio das lições que os estudantes recebiam em casa, pelo correio, para cumprir a sua missão mundial de difundir as técnicas de Kriya Yoga. Paramahansa Yogananda teve sua singular história de vida imortalizada no best-seller Autobiografia de um Iogue. Seu nome Ioge completo tem o seguinte significado: Premavatar (Emissário de Deus) Paramahansa (Supremo Cisne) Yogananda (União e Bem Aventurança) , traduzindo em essência, Um Emissário de Deus que assim como um supremo Cisne vem para trazer a União e a Bem Aventurança para as pessoas ou com essa tradução “O supremo Cisne que através da Kriya Yoga traz bem aventurança ao mundo”
Jefferson L. Orlando – É Psicoterapeuta Reencarnacionista, Palestrante, Ministrante, Escritor, Apresentador do Programa Sol do Everest (Canal YouTube), Outorgado pela Magia Divina, Projetor Extrafísico e Espiritualista. Reside e atende em São Paulo/Capital com a Psicoterapia Reencarnacionista, Regressão Terapêutica (Método ABPR – Conduzido pelos Mentores Espirituais) e Bioenergético Anímico-Mediúnico através das Mandalas pela Magia Divina. Site: www.soldoeverest.com.br E-mail: jefferson@soldoeverest.com.br

SOBRE A TRISTEZA E A ALEGRIA – POR KHALIL GILBRAN

1085

 

depois uma mulher disse: “Fala-nos da Alegria e da Tristeza”.

E ele respondeu:

A vossa alegria é a vossa tristeza mascarada.

E o mesmo poço de onde sai o vosso riso esteve muitas vezes cheio de lágrimas.

E como poderá ser de outra maneira?

Quanto mais fundo a tristeza entrar no vosso ser, maior é a alegria que podereis conter.

A taça que contém o vosso vinho não é a mesma que foi feita no forno do oleiro?

E a lira que vos protege o espírito não é da mesma madeira com que foram esculpidas as facas?

Quando estiverdes alegres, olhai bem dentro do vosso coração e descobrireis que só aquele que vos deu tristezas vos dá também alegrias.

Quando estiverdes tristes, olhai novamente para dentro do vosso coração e vereis que na verdade estais a chorar por aquilo que foi a vossa alegria.

Alguns de vós dizeis, “A alegria é maior que a tristeza” e outros dirão “Não, a tristeza é maior”.

Mas eu digo-vos que são inseparáveis.

Juntas vêm, e, quando uma se senta junto de vós lembrai-vos que a outra está a dormir na vossa cama.

Na verdade, estais suspensos como balanças entre a vossa tristeza e a vossa alegria.

Só quando vos esvaziais ficais em equilíbrio e imóveis.

Quando o guardador de tesouros vos erguer para pesar o seu ouro e a sua prata, nem a vossa alegria nem a vossa tristeza se devem alterar.

Texto de Khalil Gibran (1883 – 1931) publicado em “O Profeta (1923)” traduzido e adaptado por Roco

TRÊS ATITUDES PARA VOCÊ DOMINAR A SUA MENTE

Imagem

Você tem se esforçado para ser positivo e alegre?

Você tem se lembrado de se amar e de cultivar pensamentos bons e positivos?

Se você se esforçar sinceramente, perceberá que se tornará mais fácil.Tudo se torna mais fácil com a prática. Se você persistir em seus esforços para permanecer positivo e alegre, você desenvolverá muito poder e força e, sua recompensa será sua própria felicidade e a paz da mente.

Quando você disciplina sua mente para ver o lado bom nas coisas, para naturalmente ver o melhor nas pessoas e em você mesmo, você sintoniza-se com o poder que governa todo este universo.Você conquista uma mente amável, tranquila, mais silenciosa, com autodomínio e confiança.

Três atitudes importantes para a prática do domínio da mente:

1. Substituir imediatamente pensamentos negativos por pensamentos positivos

É importante a qualidade dos pensamentos mantidos na mente. Experimentaremos condições e experiências correspondentes à nossa atitude mental predominante e aos nossos pensamentos habituais. Um pensamento negativo nos conduzirá a uma experiência desagradável, enquanto que pensamentos positivos nos conduzirão a experiências agradáveis.

Como o pensamento é criativo, o que quer que acreditemos ser verdade na mente será manifestado ou criado. Por essa razão, uma pessoa que habitualmente e persistentemente pensa negativamente, precisa tornar seus pensamentos positivos. Ela precisa pensar no que faz bem e recusar a pensar, sobretudo, o que lhe faz mal.

Se um pensamento negativo surge, precisamos substituí-lo imediatamente por um pensamento positivo ou por um mantra.

Muitas pessoas não têm ideia do que fazer com seus pensamentos negativos, e assim eles permanecem na mente. O segredo é substitui-los.

2. Reduzir os pensamentos

De vez em quando podemos lembrar disso: observar a mente e perceber que o que estamos pensando é totalmente desnecessário. Podemos simplesmente afastar este pensamento desnecessário. Não alimentá-lo e fazer disto um hábito. Ao reduzir os pensamentos vamos aquietando a mente.

Geralmente não observamos a mente para ver o que ela está fazendo, para ver se está se comportando bem ou mal, para ver se está criando alguma coisa ruim e tola. E colhemos o fruto desses pensamentos e depois ficamos a imaginar: “Por que eu mereci isto? Eu não fiz nada para ninguém”. “Estou deprimido. Por que estou assim?” Não compreendemos que tudo surgiu da mente não controlada.

A vigilância melhora a qualidade de nossos pensamentos. A mente não pensa coisas ruins se está sendo observada. Ela se sente embaraçada quando é “pega” pensando alguma coisa estúpida. Assim se você realmente faz um esforço para observar a mente e ver o que ela está fazendo, ela tenderá a se comportar bem. Ela age pior quando sabe que não estamos dando atenção para o que ela está fazendo.

Quando a pessoa, constantemente, observa a mente, ela se torna calma e quieta.

3. Manter a mente equilibrada e estável

Frequentemente, a mente está muito instável. Quase todas as influências externas podem tirar a mente do equilíbrio e nos fazer pensar o que realmente não queremos pensar.

Não podemos estabilizar a mente da noite para o dia porque ela ficou muitos anos fazendo o que bem entende. Mas a mente se torna estável através da prática da hatha yoga, da concentração, da meditação, da prática constante, da vigilância sobre nossos pensamentos.

Devido à mente, muitas pessoas consideram a vida uma luta. Geralmente, não acham que a vida possa ser fácil e feliz. Não importa o que uma pessoa adquiriu ou possui, seus próprios pensamentos podem lhe fazer sentir-se infeliz.

Muitas pessoas pensam: “Se eu pelo menos tivesse aquilo, eu seria feliz…” E então, elas conseguem aquilo, mas nada fica melhor, porque a condição da mente permanece a mesma. A única coisa que pode ser melhorada é a mente.

Depende de nós o que permitimos que a mente pense. É nossa vontade, nosso livre-arbítrio. Se não controlamos a mente, não há nada que possamos controlar.

Todos nós temos procurado muito pela alegria, felicidade e contentamento. Temos tentado muitas coisas. Temos adquirido dinheiro, posses e segurança, participado de muitos eventos sociais, viagens e relacionamentos.

Todavia, a verdadeira alegria vem para uma pessoa quando ela se torna livre da carga de sua própria mente. Esta libertação é uma realização gradual. Ela paulatinamente vai afastando os pensamentos e sentimentos negativos e estabelecerá um ânimo positivo, mais saúde física e emocional. 

Pensamento molda o destino

Compreenda que cada pensamento molda seu destino. Através do controle de seus pensamentos você controla seu destino. Pode mudar sua atitude perante os acontecimentos. Pode mudar os efeitos do seu karma. Pode parar de sofrer e se tornar mais contente.

Não se prenda a fatalismo, dizendo que tudo é karma, que é seu destino, que não adianta se esforçar. Isto é uma incompreensão das leis do pensamento. Você criou seu próprio destino pelos seus pensamentos e pelas suas ações.

Você quer ser mais próspero, saudável, tranquilo e cheio de entusiasmo? Você quer ajudar os outros? Você aspira experimentar a paz do Ser interior?

Então se deseja alguma dessas coisas, você precisa disciplinar sua mente e escolher pensar positivamente. Pensando, desejando e agindo corretamente poderá se tornar mais feliz.

Crie o hábito de ser mais alegre

Descubra a alegria nos momentos simples, como ver o pôr-do-sol; caminhar e sentir a beleza da praia; de um parque; das folhas das árvores e flores. Agradeça o dom da visão e sinta como isto alegra você e lhe conecta com a natureza ao seu redor. Perceba o sentimento de alegria que vem de ter terminado uma tarefa, de encontrar um amigo.

Reconheça alegria em sua vida cotidiana e compartilhe isto com os outros, em seus pensamentos, palavras e ações. Perceba os benefícios para você e para os outros quando você propaga bom humor e alegria ao seu redor.

Entenda que para sentir alegria interior no planeta Terra você precisa se esforçar. Ela não surge por acaso. Ela é fruto do autocontrole, de uma atitude positiva, do sentimento de gratidão, do correto dever, do entusiasmo, de se encantar com as pequenas coisas da vida, de estar presente no momento presente, de desfrutar sua vida.

Lembre-se de cultivar a alegria. Permita-se alegrar sua vida. Fique em paz!

Referências bibliográficas:
Tesouros Interiores- Swami Chidvilasananda- Ed. Siddha Yoga Dham Brasil.
O poder do pensamento pela Ioga – Swami Sivananda- Ed. Pensamento.

Por: Emilce Shrividya Starling – Professora de Hatha Yoga

RENASCER

Imagem

Outono, estação da “morte” para as folhas que cumpriram seu papel na existência da árvore.
Outono, estação de movimentos introspectivos, movimento de recolhimento para as futuras conclusões.
Outono, estação que prepara o inverno, esta etapa de recolhimento maior…
Para as folhas que “envelhecem”, amarelam e caem, o final de uma jornada… Para a árvore, o preparo da renovação. O recolhimento necessário para a vinda de novas folhas… folhas que nascerão fortes, verdejantes, belas; com uma grande força vital, alimentada pela decomposição das folhas velhas que caíram.
Para a árvore, o outono é a estação que antecede e prepara a vida que ressurgirá na primavera. O inverno é o tempo necessário para preparar tal renovação.
Será que as folhas velhas, ao caírem amareladas, têm compreensão de que servirão para fertilizar a terra, fortalecendo assim seu próprio ressurgimento?
E na primavera? Folhas novas, ansiosas para crescer, lembram-se das folhas secas que foram?
Utilizo tal alegoria para lembrar da grande sabedoria Daquele que cria a VIDA! Em todos os seus níveis e aspectos, essa sabedoria é visível. Por que seria diferente conosco? Por que seria diferente com a face da vida que tem a seu favor a inteligência, a capacidade de escolha e de construção de seu próprio desenvolvimento?
Muitas vezes, nos ”momentos outonais” que temos na vida, deixamos de vislumbrar, lá adiante, a primavera que virá.
E quantas vezes, nos “invernos” que envolvem o tempo da nossa existência terrena, nos aconchegamos nas “mantas” da nossa ignorância e queremos dormir, desnudos das nossas “folhas”? Nem percebemos que temos que preparar a alegria das flores que logo chegarão…
Façam o melhor que puderem nas “estações” de suas existências. Aproveitem o verão, vivendo a alegria, o vigor. Recebam o outono com sabedoria, aproveitem-no para reflexões, acolham o inverno com a esperança da primavera vindoura.

 

Por: Fonte Eterna (www.facebook.com/pages/Fonte-Eterna/)

FELICIDADE – POR OSHO

 

59

Muitas pessoas chegam a mim e dizem que são infelizes, e querem que eu lhes forneça alguma meditação. Eu digo: Primeiro – a coisa básica – é compreender porque você é infeliz. E se você não remover as causas básicas de sua infelicidade, posso lhe dar uma meditação mas isso não irá ajudar muito – porque as causas básicas permanecem aí. (…) Comigo, felicidade vem primeiro, alegria vem primeiro. Uma atitude celebrativa vem primeiro. Uma filosofia de vida afirmativa vem primeiro. Desfrute! Se você não pode desfrutar de seu trabalho, mude-o. Não espere, pois todo o tempo que você está esperando você fica esperando por Godot. Godot jamais virá. Simplesmente se espera – e desperdiça-se a vida. Por quem, para que você está esperando?

Se você vê o ponto, que você é miserável em um certo padrão de vida, então todas as antigas tradições dizem: Você está errado. Eu gostaria de dizer: O padrão está errado. Tente entender a diferença de ênfase.

Você não está errado! Apenas seu padrão, o modo de viver que você aprendeu está errado. As motivações que você aprendeu e aceitou como suas não são suas – estas não preenchem seu destino. Elas vão de encontro a sua semente, são contra seu elemento.

Lembre-se disso: ninguém mais pode decidir por você. Todos os mandamentos, as ordens, as moralidades, são somente para lhe matar. Você tem que decidir por si mesmo. Você precisa tomar sua vida em suas próprias mãos. Do contrário, a vida continua batendo na sua porta e você nunca está lá; você está sempre em algum outro lugar.

Se você nasceu para ser um dançarino, a vida chega por essa porta, pois a vida acha que você é um dançarino. Ela bate ali, mas você não está – você é um banqueiro. E como a vida poderia esperar que você fosse se tornar um banqueiro? O divino vem até você do jeito que ele queria que você fosse; ele só conhece esse endereço – mas você nunca é encontrado ali, você está em algum outro lugar, escondendo-se por trás da mascara de outro alguém, com as vestimentas de outra pessoa, sob o nome de outra pessoa.

O divino só pode encontrá-lo de uma maneira, somente de um jeito ele pode encontrá-lo – o seu florescimento interior: como ele queria que você fosse.

A menos que você encontre sua espontaneidade, a menos que você encontre seu elemento, você não pode ser feliz. Se você não puder ser feliz, você não pode ser meditativo.

– Osho –