Mediunidade e Desejo

22

“Assim também vós, visto que desejais dons espirituais, Procurai progredir…”.Epístola de Paulo – 1 Coríntios, 1 – v. 12

Segundo Paulo, os dons espirituais, e entre eles a mediunidade, podem ser desejados, podem ser buscados com um propósito definido.

Existem aqueles que já nascem médiuns – efetuaram semelhante conquista em pregressas experiências, trilharam os caminhos que os conduziram à conquista das faculdades medianímicas…

Existem aqueles que, em renascendo no mundo, tomando contato com a Doutrina Espírita, anseiam pela mediunidade, querem se tornar ainda mais úteis aos semelhantes na condição de médiuns, admiram em outros a sensibilidade mediúnica e se propõem a desenvolve-la

A pratica nos ensina eu a conquista dos dons espirituais é possível aquele que a isto se consagra com determinação.

Muitos que, digamos, nascem médiuns feitos, não valorizam os seus talentos espirituais quanto aqueles que necessitam se esforçar para adquiri-los.

Quantos médiuns espontâneos nada querem com a mediunidade, alternando cumprimento com deserção ao dever, ao longo de sua peregrinação pelas casas espíritas?!…

E quantos outros promovem o parto de si mesmos, esfalfando-se em demorados e persistentes exercícios mediúnicos até que, por fim, logrem o desabrochar desta ou daquela faculdade psíquica?!…

Paulo é incisivo:”… visto que desejais dons espirituais, procurai progredir…

O apostolo evidencia, em suas palavras de iniciado cristão, que é possível caminhar ao encontro, progredir na direção, crescer na meta…

A mediunidade pode ser comparada a uma somente que, em determinado instante, eclode… Esta explosão pode dar-se agora, desde, é claro, que as condições sejam propicias – é resultado de um processo de maturação psíquica que pode se antecipar com base no empenho e no interesse, no desejo e na vontade.

Alias, os médiuns que se fazem médiuns habitualmente se tornam mais úteis à Doutrina do que aqueles que, desde o berço, são médiuns mas crescem sem nenhuma formação doutrinaria. Não estudam, não trabalham, não cooperam… São os exemplos vivos daqueles que “enterram os seus talentos”, sem a preocupação de multiplicá-los em seu próprio beneficio.

Para muitos, a hora da mediunidade pode ser agora, desde que, evidentemente, não extrapolem o que se refere à espontaneidade, forçando em excesso as portas que lhes conferirão acesso aos dons espirituais. Estamos nos referindo, em nossas colocações neste capitulo, a importância de o candidato ao desenvolvimento mediúnico se devotar para consegui-lo e não pretendendo induzir a mediunidade quem não esteja preparando para tanto.

Ninguém deve “arrombar” a porta da sua sensibilidade psíquica, mas a ninguém igualmente é vedado “bater” à porta, e “bater” com certa insistência na expectativa de que, finalmente, ela se lhe abra.

Por outro lado, não se pode ignorar a grave responsabilidade que assume quem logra a conquista do que Paulo chama “dons espirituais”… Às vezes, quer-se, sem saber o que se quer e para que se quer!… A mediunidade, sempre, deve ser um instrumento de trabalho colocado a serviço dos semelhantes, atuando na gleba das almas para o plantio do Senhor…

Mediunidade não é, evidentemente, uma faculdade para uso exclusivo do médium. O médium, por assim dizer, passa a ser patrimônio publico, quase que privado de sua vida pessoal. Pelo menos, assim o é para quem abraça a mediunidade qual a um apostolado!

O salário do médium será apenas o do dever cumprido, o da alegria permanente pro estar, com Jesus, na parceria consciente da construção de um mundo melhor. Desista de louvores e reconhecimento que, caso recebesse, haveriam de impedi-lo de produzir, bloqueando as suas faculdades receptivas, levando-o à fascinação que o induziria a iludir-se a seu próprio respeito.

Agradeça o medianeiro a realidade dura de suas lutas, que não lhe permitem afastar-se da Verdade no caminho dos dons espirituais que persegue, com o propósito de ascender e redimir-se.

Livro: Mediunidade e Apostolado
Odilon Fernandes & Carlos Baccelli

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s