GUERREIRO DA LUZ

410

Foi um lobo quem me falou num sonho
Que não há como um homem comum se transformar em Guerreiro da luz
Sem ter a coragem de enxergar em sua própria escuridão,
E ver dentro dela dois lobos: um bom e outro mau

O guerreiro da luz é equilibrado e humilde,
Admite que não sabe exatamente
O que leva um espírito irmão a ser do jeito que é,
Por isso não o julga;
Sabe que o mau que está no outro,
Também habita dentro de si,
Embora possa estar não manifestado.

O guerreiro da luz ama intensamente,
Ama o amanhecer,
O meio-dia e
O entardecer;
Ama o anoitecer,
A meia-noite e
A madrugada;
Ama o Sol e a Lua,
O viver e o morrer;
Defende com a mesma intensidade,
Tanto a vida quanto a morte

Sabendo que são as partes de um mesmo ciclo
Que se encerra em si mesmo

O guerreiro tem sempre por objetivo aproximar
O homem de seu espaço sagrado,
Buscando o equilíbrio;
E por mais voltas que dê a vida,
Tentará sempre manter-se consciente de seu centro
Para não se perder na escuridão, e
Nem a temer

Observa os rios, as matas, as pedras, os animais –
Todos os seres espirituais
E tenta aprender com eles;
O guerreiro da luz tem coragem
De se auto-conhecer
Em todos os seres da criação
E sabe que cada espírito
Se completa em si mesmo
E que a soma de todas as coisas
Em cada ser é o nada e o infinito.

Conhece os ciclos de guerra e de paz
E se reconhece como mortal e imortal
Quando ergue sua lança, ergue-a com toda a sabedoria

Na luta,
Não se considera melhor nem pior que seu oponente,
E Preocupa-se somente com a sua missão,
Sem nunca se esquecer, porém, que a cada ação sua corresponderá
Uma reação de igual intensidade em sentido contrário;
E sabendo que talvez se comportasse exatamente
Do mesmo modo que seu oponente se estivesse ali e
Se fossem suas as vivências dele…

Luta somente por si e não para mudar o outro,
Porque o respeita;

Reconhece que neste sonho de cristais,
Que enquanto houver
Luz e sombra,
Som e silêncio,
Tempo e movimento,
Medo e desejo,
O lobo bom jamais poderá vencer o mau

Somente na quietude,
No nada infinito,
Onde não há vontade de se manifestar ou conquistar,
Quando não há mais medo ou desejo,
Num lugar além do bem e do mal,
Distante dos pensamentos,
O guerreiro se lembra de seu verdadeiro nome
E os lobos não mais disputam dentro de si,
Dando lugar
Ao grande mistério.

Alfredo Almader – Escritor

Via: https://www.facebook.com/pages/Alfredo-Almader

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s