A PAZ É O CAMINHO

Imagem

Tenho visto nos últimos dias uma grande mobilização em torno de movimentos pela paz. Tais movimentos têm associado as suas mensagens às imagens de autocratas, ditadores, grupos influentes, líderes religiosos e políticos corruptos de todo tipo, como se esses senhores e senhoras fossem os grandes responsáveis pelo caos. Ela também são, sim, mas você também é. Quer saber por quê?

Pense comigo: quando na história da humanidade alguma revolução trouxe a paz permanente pra alguma cultura?

Neste instante, cada país, aldeia ou grupo étnico está envolvido em algum tipo de revolução, com maior ou menor grau de violência. SAIBAM QUE A ÚNICA RAZÃO PRA GENTE NUNCA TER TIDO PAZ NO MUNDO É QUE TODO MUNDO ESTÁ FOCADO OBSTINADAMENTE EM FAZER ALGUM TIPO DE REVOLUÇÃO, irracionalmente, automaticamente, como se isso fosse uma condição essencial pra paz acontecer. Essa insistência até parece aquele jogo infantil em que se tenta encaixar um bloco quadrado num buraco circular.

A PAZ INTERIOR É O CAMINHO PARA A PAZ EXTERIOR, NÃO A REVOLUÇÃO. Nenhuma revolução pode trazer a paz, simplesmente porque sua natureza é violenta. Percebe, amigo, o grande equívoco na história? Essa história que fica se repetindo automaticamente através dos discursos desses mesmos autocratas, ditadores, partidários, extremistas religiosos e “grupos discretos”, e no nosso próprio discurso todos os dias?

ISSO É UMA GRANDE ARMADILHA DESSE MESMO SISTEMA QUE A GENTE AJUDOU A CRIAR, O QUAL A GENTE AO MESMO TEMPO QUER MANTER E SE LIBERTAR. Você me pergunta: “Isso é contraditório. Como isso é possível?”. E é mesmo contraditório. Como a gente pode querer ter paz fazendo revoluções? A resposta é simples: VOCÊ TEM PERMITIDO QUE ESSA IMAGEM DE REVOLUCIONÁRIO TENHA PENETRADO EM CADA PEDACINHO DA SUA VIDA.

Estão todos muito equivocados se pensam que que a coisa toda vai mudar se a gente sair pelas ruas pedindo paz. De que adianta sairmos às ruas gritando paz, enquanto dentro da gente só tem revoluções, guerras emocionais e conflitos psicológicos? Enquanto nossos corpos estão sendo consumidos pelos venenos da preguiça e da vaidade e fechados para a visão espiritual? Enquanto a gente discorda de tudo e de todos e não percebe a grande semelhança mitológica que existe em cada ato humano?

Saibam que nenhum autocrata, ditador ou líder desse ‘governo oculto’ revolucionário vai “largar o osso” só porque você sai às ruas com milhões de pessoas gritando paz. A história nos conta que o poder só mudou de mãos. E É JUSTAMENTE PRA ISSO QUE EXISTEM AS REVOLUÇÕES, PRA ISSO QUE ELAS SÃO INSTIGADAS COTIDIANAMENTE, pra que você pense que tem poder de decisão sobre os rumos do mundo e da paz mundial. Pelo contrário. O que esses senhores e senhoras querem é sustentar seus cargos de poder, revesar entre si, controlar outras pessoas, expoliar, obrigar, escravizar o maior número possível de pessoas, pra se manterem nos tronos do egoísmo.

Então, se quiser fracassar mais uma vez, como sempre fracassamos, saia gritando “queremos paz” pelas ruas, enquanto as tropas fuzilam seus amigos e os tanques esmagam suas cabeças. O máximo que os supostos pacifistas-ativistas conseguem (saibam que eles não são o que parecem ser ou são o que pensam que são) é provocarem o rodízio já programado e agendado de poder entre os líderes desse sistema. Infelizmente nos deixamos enganar, e como cada ativista-pacifista, cumprimos mecanicamente e inconscientemente a revolução que fomos programados pra fazer. Nós não somos os heróis da revolução como pensávamos, somos os provocadores do sofrimento e do caos no mundo. E tudo porque permitimos.

O que nós conquistamos em cada revolução dita “vitoriosa”? Conseguimos que uma pseuda-paz psicológica se instaure temporariamente até a próxima revolução, que cada um de nós anseia internamente pra atuarmos mais uma vez como os heróis do novo tempo, cumprindo o próximo rodízio, até a próxima simulação pacifista, enquanto outro déspota é preparado nos bastidores, enquanto os revolucionários acreditam que conseguiram mais uma vitória rumo à paz mundial, gritando: “A esperança nunca morre!”. Enquanto nós ignoramos os ciclos dessa mesmice.

Quer saber o que é a paz, amigo? Busque dentro de si, pacifique-se por dentro, assuma o seu Poder Divino, que é só teu, que cada um tem e que não pode ser dado a ninguém. Pare de dar o teu poder para os outros. Ele é teu, e cada um tem o seu. E colabore mais com os outros, cocrie, desafie as mudanças sem violência ou revolução externa. Essa revolução, essa guerra que está aí é justamente porque você passou a vida acreditando num poder supremo fora de você mesmo, entregando dessa forma, sem saber, o teu poder pra esses senhores e senhoras que agora você quer se revoltar. Assuma a sua responsabilidade sobre o seu próprio poder interior, EMPODERE-SE! aceite a sua realidade interior como divina que é e pacifique-se interiormente. Só dessa forma você vai perceber que todo esse estardalhaço exterior não passa de teatro de bonecos.

Chega de bater palma pra revoluções. Só assim a paz será decretada no mundo. Esse é o caminho para a paz.

Por: Julio Licks – Formado em Comunicação Social e Diretor na Empresa Simples! Cartões

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s