Dez dicas para se tornar uma pessoa resiliente…

01-05-2018-Resilience

“Ser resiliente é ter a capacidade de possuir uma conduta sã num ambiente insano, ou seja, a capacidade de um indivíduo sobrepor-se e construir-se positivamente frente as adversidades”.

Dez dicas para se tornar uma pessoa resiliente:

Em vez de se perguntar “porque isso aconteceu comigo?”, Procure se incluir na situação.

  1. Crie significado para sua realidade de vida. Isso dará a você a esperança de um futuro melhor.
  2. Procure conhecer a verdadeira dimensão de seus problemas. Os boatos só alimentam a tensão e o desespero.
  3. Separe o que você é do que faz.
  4. Tente visualizar seu futuro próximo e antecipar os acontecimentos para fazer frente as transformações de cenário.
  5. Não perca tempo reclamando. Procure resolver os problemas.
  6. Fique atento aos seus sentimentos e às necessidades de seu corpo, sono, cansaço, fome etc.
  7. Para não se tornar uma pessoa rígida e inflexível, tenha a criatividade como parceira constante.
  8. Cultive e valorize seu poder de escolha.
  9. Encare e gerencie suas adversidades como situações passageiras.
  10. Não esqueça que Deus está junto de você nessa caminhada.

“Sejam vossos costumes sem avareza, contentando-vos com o que tendes; porque ele disse: Não te deixarei, nem te desampararei.” (Hebreus 13: 5)

Ore sempre para que Deus supra suas necessidades, agradeça-O por isso e sinta-se satisfeito com o que têm. Desta forma sentirá que têm uma vida menos complicada, embora não tenha tantas coisas como antes. Lembre-se você jamais terá segurança num emprego, num cargo ou em uma conta bancária; a sua única e verdadeira segurança, deve estar sempre em Deus.

 

Por: 

Anúncios

ATUALIZAÇÃO DE ENERGIA DE MARÇO DE 2019 – Por Lee Harris

738

De muitas maneiras, a energia de Março de 2019 é como o nascer do sol para o ano de 2019, pois trará muita luz, muita iluminação e um pouco de calor. E os três grandes temas que passarão por nós em Março são IMPULSO, CLAREZA e LIBERAÇÃO.

IMPULSO

Março será a primeira grande onda de velocidade e energia que vimos em 2019. Para aqueles que estiveram planejando coisas, construindo coisas – juntando as peças, trazendo a forma para o lugar – este será um mês em que você realmente começa a ver as coisas esquentarem, acenderem e se iluminarem. Haverá muita magia, muito fluxo e muito IMPULSO em torno dos planos que você tem feito ou um pontapé inicial nos planos que você pode ter (sentido intuitivamente) por um tempo. Alguns de vocês terão sentido essa energia de “pausa” desde outubro do ano passado, já que, para muitos, os últimos 5 a 6 meses foram um período de revisão, de esclarecimento e de surpresas súbitas.

Em Março, para a maioria de nós, o ímpeto assumirá a forma de um impulso positivo em relação às coisas que você está construindo e querendo criar em sua vida, ou novas surpresas que aparecerão para clarear e iluminar sua versão atual da realidade. 2019 é um ano de elevação, afinal.

Mas igualmente, pode haver um lado sombrio com um impulso que pode elevar à superfície todas as áreas em que você se sente preso, confuso ou obscuro. Então, para uma porcentagem menor de nós neste mês, haverá um lado sombrio – um questionamento de:“Eu fiz a coisa certa? Por que fiz o que fiz? Este é realmente o caminho para mim? Eu não sei para onde ir agora.” Haverá um eco disso em cerca de 20% de vocês que estão lendo isto. Mas saiba que março (e o impulso de março) irá continuar a impulsioná-lo, mesmo que seja preciso até abril, para que você fique bem seguro a respeito de para onde está indo agora.

Eu trago isso porque o impulso é profundamente desconfortável quando não temos certeza de para onde estamos indo e o que estamos fazendo – é realmente desconfortável. Isto pode trazer todos os tipos de sentimentos em seu corpo, como tristeza ou emoção – e, no entanto, esta liberação do controle faz parte da jornada. Estamos aqui para avançar, estamos aqui para liberar e a liberação é outro dos aspectos da energia de março. Então, para aqueles que não estão sentindo o impulso positivo, ou não estão realmente certos do que estão fazendo, ou para onde estão indo, então a liberação será em que vocês irão se apoiar. E você irá liberar até se sentir pronto para dar um passo à frente novamente. Como sempre, quando você está liberando as coisas e / ou passando por momentos grandes, poderosos e difíceis – você precisa se auto-sustentar. Você tem que se tratar com amor, gentileza e compreensão, da mesma forma que trataria um paciente no hospital se recuperando de uma operação. Portanto, lembre-se de dar a si mesmo mais apoio e espaço para sua vida respirar através da liberação que quer surgir e se manifestar.

Isso é importante porque, quando você está passando por aspectos emocionais ou energéticos internos, eles não são visíveis para outras pessoas. Mas eles são para você, então você tem que cuidar de si mesmo enquanto esse processo está acontecendo. Você precisa construir um tempo ou momentos de paz para si mesmo, para que possa sobreviver às ondas do que está passando. Especialmente porque são tempos de Impulso!

CLAREZA

Muitos de vocês estão mais seguros sobre o que querem em seguida, mais do que nunca, mas alguns passaram por um período de 6 meses de incerteza (desde outubro do ano passado), o que pode ser frustrante. Saiba que uma energia de clareza está chegando como um grande momento em março. Aqueles que reconhecem os sentimentos de desconforto ou confusão e os têm sentido por meses, este é o mês em que as coisas se rompem, explodem e se abrem. Assim, você poderá ver por que as coisas estiveram acontecendo para você e como e o que você fará em seguida.

A clareza será bastante ofuscante em março. Isso pode significar tudo a partir da clareza da perspectiva humana, então – as partes nossas que dizem: “Oh – agora eu entendo porque essa coisa aconteceu com meu amigo e vejo o que isso fez para nós dois.Mas agora eu tenho clareza e tenho alguma liberação de qualquer desconforto que tenha surgido através disso.” Mas igualmente, pode significar clareza psíquica e intuitiva. Então, este será um mês muito bom para a visão. Para aqueles de vocês que estão realmente sentindo que estão no seu caminho agora e há um fluxo e um impulso, o mês pode ser  um começo rápido em torno da ação humana, mas nos momentos de ‘parada’, a energia visionária será Elevada. Algumas pessoas irão ter um mês de impulso, onde muita coisa poderá se encaixar. Mas para outros será um pequeno começo porque essa clareza ainda não chegou.

Quando temos clareza sobre as coisas, é todo o nosso ser que tem clareza. Muitas vezes pensamos em clareza como uma energia mental, mas na verdade não é. A clareza leva à abertura, leva à entrega, leva à paz. É como “Oh, estou seguro que o que está acontecendo agora é exatamente o que deveria acontecer. Minha mente pode querer me contar uma história diferente, mas, na verdade, tenho a clareza de que isso é exatamente onde eu deveria estar e o que está acontecendo.” E esse é um estado realmente elevado de consciência que podemos alcançar, viver  e permanecer. Mas muitas vezes só temos momentos disto, períodos disto, capítulos disto, até chegarmos àquele espaço onde podemos viver e ficar naquele estado na maior parte do tempo. Apenas note que a clareza é realmente nossa amiga, mas também pode ser um processo emocionalmente intenso quando está acontecendo.

Para muitos de vocês, haverá um sentimento neste mês de que seus olhos estão se abrindo muito e você nem sempre tem certeza de que gosta disso. Muitos de vocês podem se relacionar com aqueles momentos da vida em que pensam: “A vida era mais fácil antes de despertar!” Isso não é necessariamente verdade, mas muitas vezes pode ser o sentimento que experimentamos porque quando temos essa clareza, essa liberação emocional, às vezes pode ser um pouco desconfortável no corpo até passarmos por isto e nos acostumarmos ao novo modo de ser. Portanto, a clareza pode ser maravilhosa, mas também pode desafiar nossos hábitos, nossa zona de conforto e nossas identidades.

LIBERAÇÃO

O que me leva à energia da Liberação de Março? Quando temos o IMPULSO, quando temos a CLAREZA,  temos sempre a LIBERAÇÃO. Esta é a parte a jornada da mudança e da evolução. E geralmente, para ter o impulso e a clareza, há algum tipo de liberação que acontece. Pode ser a liberação de uma coisa, de um lugar, de uma pessoa,de um desejo, ou de um sonho que você teve. Mas,muitas vezes, pode ser mais abstrato do que isto. Apenas energia ou emoção, especialmente para os sensitivos.

Uma das coisas sobre a liberação é que é apenas MUDANÇA. A liberação significa mudança,evolução, crescimento. Estamos desprendendo partes nossas com que não mais estamos alinhados,ou partes de nossas vidas que não mais são verdadeiras para nós.

Quando nós liberamos, nós mudamos. E isso é realmente importante para entender. Disseram há anos que somos muito afetados um pelo outro de uma maneira que não temos uma compreensão real. Assim, até mesmo as pessoas que você pode considerar como extremamente narcisistas, egocêntricas e egoístas são profundamente afetadas por todos ao seu redor, seja porque suas necessidades não estão sendo atendidas ou porque o que elas querem está sendo interrompido.

Todos no planeta em um corpo humano estão sendo profundamente afetados por todos os outros. Então a liberação que cada um sente é uma energia coletiva também. E para os sensíveis e empáticos entre vocês – com tantas mudanças acontecendo em massa – é importante conhecer sua própria consciência e permanecer estável em sua própria nova identidade, tanto quanto perceber as mudanças nos outros ao seu redor.

Então pergunte a si mesmo, semanalmente:

Quem sou eu?

O que eu preciso?

O que eu quero?

Porque pessoas sensíveis e empáticas tendem a se perder nos desejos, necessidades e desejos dos outros e se esquecem de si mesmos. Isto é muito importante para esta parte da jornada da alma, porque os empatas e os sensitivos têm grandes dons para trazer à sua vida e à vida dos outros. Mas se você apenas ou principalmente for atacado pelas necessidades, desejos e vontades dos outros, então você também não poderá conduzir sua própria experiência da alma. Esta lição que menciono aqui será algo que está sendo experimentado e aprendido por muitas pessoas agora.

Se você teve uma resposta emocional a estas últimas frases – você está bem na liberação da responsabilidade para com os outros antes da responsabilidade para consigo mesmo. Eles têm que andar de mãos dadas. Você tem que ser responsável por si mesmo, a fim de também ser responsável pelos outros. É uma grande mudança, é uma mudança de jogo e está acontecendo agora.

Grande amor a todos e espero que esta Atualização da Energia traga alguma luz, clareza, impulso ou liberação para o mês de Março de 2019.

Lee x

Autor: Lee Harris

Fonte: http://www.leeharrisenergy.com

Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br

Veja mais Lee Harris Aqui

Via: https://www.sementesdasestrelas.com.br/

AS MULHERES FALAM DEMAIS – Por Mirella Faur

52

Fazendo uma retrospectiva histórica e mitológica do papel da mulher ao longo dos tempos, constatamos seu papel milenar como mediadora entre os planos divino e humano. Desde os primórdios da humanidade, coube às mulheres a responsabilidade de perceber os avisos, os sinais e as manifestações sobrenaturais e transmiti-los à comunidade. Durante os pelo menos 35 mil anos em que Deus foi mulher, as mulheres –representantes da Deusa na Terra – foram respeitadas por seu poder de conceber e nutrir a vida e por sua profunda conexão com os planos sutis e a natureza.
As mulheres eram regidas pela Lua e a ela estavam conectadas por meio de seus ciclos menstruais. Considerada uma representação da Deusa, a Lua era honrada pelas mulheres por meio de reuniões nas Cabanas Lunares ou Tendas Vermelhas, durante a fase da Lua Negra ou em sua fase menstrual, nas quais se dedicavam à introspecção, ao silêncio, à cura, à conexão com o divino ou o contato com as suas ancestrais e Matriarcas dos clãs. Esse retiro visava não somente a renovação e o fortalecimento pessoal, mas era também uma oportunidade de trabalhar em benefício da comunidade.
A percepção sutil intrínseca à natureza feminina tornava-se muito mais ampla e aguçada durante a menstruação, permitindo às mulheres atravessarem mais facilmente os véus que separam os mundos. Ao retornarem de seu isolamento, as mulheres traziam mensagens e orientações dos ancestrais, dos seres da natureza e das Deusas, sendo assim reconhecidas e honradas como porta-vozes do além.
Nas culturas matriarcais do período neolítico, a mulher continuava desempenhando sua função de intermediária entre o sagrado e o profano, fosse como sacerdotisa, profetisa ou visionária. Ao visitar lugares sagrados em Malta, Sicília, Creta e Grécia, pude comprovar in loco a existência de inúmeras câmaras oraculares, de nichos para sonhos incubatórios e de janelas especiais nas paredes dos inúmeros templos, aonde a comunidade ia para ouvir a voz da Deusa, manifestada por meio das suas sacerdotisas.
Localizado na Grécia em Delfos, o mais famoso oráculo do mundo antigo era dedicado a Python, a grande serpente sagrada, filha partenogenética da Terra, que personificava o espírito profético de Gaia. Lá, após rigorosas purificações e preparações, as sacerdotisas oraculares – chamadas pitonisas – entravam em transe e transmitiam as mensagens para todos aqueles que as procuravam. Mesmo após a usurpação do templo pelos sacerdotes de Apollo, o oráculo continuou sendo atributo das sacerdotisas, pois Python transmitia seus segredos apenas às mulheres.
Com o advento das sociedades patriarcais, as mulheres perderam seus direitos, sendo dominadas, subjugadas, perseguidas e silenciadas. No Império Romano, as mulheres ainda desempenhavam funções sacerdotais, mas foram excluídas da vida social, não tendo permissão para estudar ou para falar em público. A educação era reservada apenas às cortesãs, para que pudessem entreter os homens com sua erudição. O cristianismo, por meio de seus dogmas, proscrições e proibições, marginalizou e aniquilou definitivamente os valores femininos, excluindo as mulheres do sacerdócio, relegando-as às funções procriadoras e ao serviço do lar, da família e da comunidade.
Nos dogmas cristãos por não ter sido criada à imagem e semelhança de Deus (mas da costela de Adão, um homem), por ter comido da Árvore do Conhecimento seguindo o conselho da serpente e por ter sido castigada com a expulsão do Paraíso e para parir com dores, a mulher tornou-se a origem de todos os males infligidos à humanidade, sendo vista como a fonte do pecado, do mal e da luxúria. A consequência foi sua total desconsideração, passando a ser julgada incapaz de pensar e proibida de falar. A repressão religiosa, familiar e social colocou vendas nos olhos e mordaças na boca das mulheres, que, outrora, representavam a origem da vida e a fonte da sabedoria.
Após os horrores da Inquisição, as mulheres levaram ainda alguns séculos para emergir da escuridão, até que, no início do século passado, conseguiram recuperar o direito de falar, trabalhar e votar. O século XX pode ser considerado a retificação dos dezenove séculos de opressão e silêncio forçado, facilitando a compreensão do movimento feminista como um pêndulo oscilando entre dois extremos.
Ávidas por expressão, as mulheres foram à luta na tentativa de recuperar o tempo perdido. Hoje ninguém mais duvida de sua capacidade, seja na área social, política, econômica ou científica, seja no setor literário, artístico, terapêutico ou místico. Pagando o alto preço da jornada dupla ou tripla de trabalho, a mulher saiu do anonimato e está conquistando um lugar ao sol, competindo de igual para igual com os homens. E é neste ponto que o pêndulo perde seu equilíbrio: as mulheres, ao assumir características que não são intrínsecas à sua natureza – imitando o comportamento e apropriando-se dos valores ou do linguajar masculino – exageram sua autoafirmação e querem ser ouvidas a qualquer custo.
Talvez por isso a mulher contemporânea fale demais, esquecendo-se que somente no silêncio pode ser ouvida sua voz interior; que sua força não vem da agressividade ou da combatividade, mas sim da compreensão, da sensibilidade, da criatividade, da ponderação e da sabedoria. Por mais que o mundo exterior a solicite, pressione ou agrida, a mulher moderna precisa relembrar como se proteger e como se fortalecer, buscando dentro de si seu verdadeiro eu, ouvindo sua sabedoria inata e expressando, com convicção e competência, seu potencial de maga: saber, querer, ousar… e calar.

Mirella Faur

O Poder da Frequência 432 Hz na Mente e no Corpo

shutterstock_201594233

Vivemos em um mundo tomado de informações sonoras: são melodias, ruídos e timbres infinitos. Continuamente temos algum tipo de trilha sonora que nos acompanha, e essas informações acústicas contribuem diretamente com o nosso desempenho cerebral. É interessante, portanto, usar esses sons para incitar o nosso cérebro de maneira positiva, usando a sonoridade como estratégia a favor do nosso corpo e da nossa mente.

O som é uma vibração, que tem uma atividade dinâmica e possui uma frequência (quantidade de vibrações por segundo). A frequência 432 Hz vai além das ondas, ela se equilibra com a nossa biologia, harmonizando as células do nosso corpo. E muito mais que isso, ela é composta por proporções matemáticas encontradas na natureza, que tem o poder de estimular a sincronização dos hemisférios cerebrais.

O Poder da Frequência 432 Hz

A frequência 432 Hz harmonizada com a música causa um efeito tranquilizante e, em muitas situações tem uma ação curativa. Isso, porque ela ativa e eleva as atividades do hemisfério direito do cérebro, lado responsável pela imaginação e criatividade, o que eu chamo de Self 2, em conjunto com o hemisfério esquerdo, lado racional, o Self 1. Já ouvimos falar várias vezes como é relevante o contato do homem com a natureza, a importância dessa conexão para saúde nos aspectos: físico, emocional e mental – muitos até usam como método remediativo e atingem a cura que precisavam.

Há uma explicação lógica para isso; os maiores estudiosos da música acreditam que os sons da natureza, do mar, da cachoeira, dos pássaros têm o padrão sonoro mais harmonioso encontrado até hoje e, classificam a frequência 432 Hz, como sendo a sintonia mais perfeita. Ela possui o poder de afetar nossas mentes, nossos corpos, nossos pensamentos, o lugar onde vivemos e consequentemente, a nossa sociedade.

A frequência natural de 432 Hz atinge profundamente a nossa consciência e o grau das células de nossos corpos. Ao escutar sons nessa frequência começa a surgir muitas alterações no nosso corpo; a consciência se expande alcançando um nível maior de percepção e controle de pensamento.

Quanto maior a possibilidade de conexão com você mesmo, com seus sentimentos, sonhos, desejos, concepções, tristezas, alegrias, julgamentos e planos, todas as áreas da sua vida passa a ser percebidas de outro ponto de vista, possibilitando uma nova ótica de si e do mundo, permitindo o início de mudança para um mindset progressivo, lembrando que o pensamento é o meio que constrói a sua realidade.

O DNA e os átomos começam a acompanhar a razão áurea da natureza, o chamado PHI, o número 1.618; considerado o mais perfeito do mundo. Sua forma está representada como componente básico da natureza. As dimensões são perfeitas, que se encaixam com exatidão nas plantas, animais e seres humanos, Leonardo da Vince usou e comprovou em suas obras essa proporção ideal. Imagine o poder que essa frequência tem sobre nosso corpo e nossa mente, modificando a forma nossas células na proporção mais exata e perfeita já encontrada até hoje.

Onde Encontramos a Frequência 432 Hz

Podemos encontrar a frequência 432 Hz e em harmonia com:

  • No absoluto funcionamento cerebral (sincronia entre os dois hemisférios),
  • No coração humano (ritmo cardíaco),
  • Na frequência de aumento do DNA,
  • Na frequência fundamental da Terra, 8hz – ressonância de Schumman.
  • Na velocidade da luz.

A frequência 432 Hz permite que o cérebro se torne mais ativo e vivo em sua potencia máxima e expande expressivamente a carga emocional. O Self 2 libera os bloqueios de energia, atingindo o uso elevado da mente com uma consciência ampliada. Ao ativar o cérebro com algum som em 432 Hz ele chega ao oitavo Hz (o estado alfa das ondas cerebrais) seu estado máximo, momento em que os nossos dois processadores, Self 1 e Self 2, sincronizam e funcionam de modo igual. Atingindo a superconsciência, que nada mais é que o reconhecimento e a máxima percepção de si em um curto período de tempo, algo que levaria uma duração maior para entender que é possível perceber, aprender e reconhecer em uma curta duração.

Como podemos perceber os sons e a frequência que eles são sintonizados agem profundamente em todo nosso sistema, desde o físico até na nossa mente. Conhecendo essa possibilidade de aumentar a sua frequência cerebral e elevá-la ao nível máximo de sua capacidade, deixo o convite para você estimular o seu cérebro e impulsionar a sua mente e seus talentos a uma velocidade intensa e ativa com essa ferramenta poderosa que é a frequência 432 Hz.

Vá além do que imagina ser, há muito que descobrir despertar dentro de você, ative as suas reservas, cocrie, descubra e assuma a imensidão infinita de possibilidades que você é. Permita-se ir além!

 

Por: José Roberto Marques – https://www.jrmcoaching.com.br/

 

Você nunca será criticado por alguém que esteja FAZENDO mais do que você…

apontar o dedo

Você já parou pra pensar e observar que quando se propõe a fazer algum projeto grande, inovador, diferente, e que quase ninguém acredita que uma pessoa consiga realizar, ao observarem o crescimento do projeto aumentam o numero de críticos que acham que você não tem capacidade para realizá-lo? O pior é e além de desacreditarem, começam uma “corrente” de torcedores do “contra”, e o proposito claro deles é que você DESISTA do seu projeto.

Na verdade, nesse mundo, existem dois tipos de pessoas: os que acreditam, colocando a mão na massa e fazem e, os que apenas olham os outros fazerem. Percebemos claramente que há dois sentimentos dos que criticam: Ciúmes e frustração, pois sua capacidade incomoda muito aqueles que NADA FAZEM.

Neste caso, você tem duas alternativas a seguir: Ouvir o que os outros fazem e parar com o projeto ou, ouvir a sua intuição se fazendo de surdo às criticas e ser um conquistador.
Pra não te desanimar, esses exemplos e perseguições sempre rondarão a vida de vencedores, olhe só o exemplo de Noé, Deus deu um grande projeto para ele EXECUTAR, construir um grande barco “arca” confiando assim esse projeto a ele. Deus ordenou que a arca medisse cerca de 150 m de comprimento, 25 m de largura e 15 m de altura, semelhante a um navio médio de carga atual.
Todos acharam que era uma loucura, e aqueles que nada faziam tentavam desmotivá-lo e fazer que desistisse.

A história bíblica mostra que ele seguiu firmemente no propósito, até que o improvável aconteceu, as águas das chuvas inauguraram seu projeto.

Acredito que ele não era um engenheiro naval, e não tinha conhecimentos para tão grande desafio, porém Deus acreditava nele, e achava que ele era CAPAZ de executar.
Portanto, se você tem sonhos a realizar, acredite em seu potencial, se o criador colocou um desejo em seu coração, é porque ele confia em suas capacidades.

Que voz você prefere escolher para seguir e influenciar suas decisões, a da sua intuição ou dos críticos de plantão? Percebemos aqui uma dura realidade: Você nunca será criticado por alguém que esteja fazendo Mais do que você. Você só será criticado por alguém que esteja fazendo MENOS.

Por: EQUIPE SENSÍVEL MENTE

QUARESMA: QUANDO ABREM OS PORTÕES DO UMBRAL

chacra 9

Ao contrário do que muitos pensam, a quaresma não é uma data importante apenas para a Igreja Católica. Outras comunidades Cristãs, como: Calvinistas, Luteranas, Anglicanas, Ortodoxas, também a adotam, conforme seus preceitos.

Curiosamente, não se trata apenas de um período de purgação espiritual simbolizado nos 40 dias em que Jesus passou no desertou ou Moisés no monte Sinai. Trata-se de um período com fortes implicações espirituais, cuja tradição remonta, pelo menos, 1600 anos.

Asseguram-nos os espíritos que, neste período, há uma profunda agitação na atmosfera Umbralina, o que faz com que muitos espíritos consigam vir à superfície da Terra com muita facilidade.

Embora existam espíritos responsáveis por vigiar os “canais de saída”, nesse período, a agitação é tão grande que, mesmo eles, não conseguem impedir a passagem dessas entidades. É quando uma imensa quantidade de espíritos sofredores e perturbadores ganham livre acesso ao mundo dos homens.

O que se passa, então, é um verdadeiro caos: cada um segue por conta do seu interesse. Alguns, viciados, correrão para saciarem-se; outros, perturbados, buscarão seus familiares; alguns, vingativos, o que tanto anseiam e por aí vai.

Com tantas entidades perturbadoras perambulando livremente, a chance de cairmos em sentimentos nocivos que nos farão mal é muito grande. Desavenças são acirradas. Vinganças são alimentadas. Ódios são cultivados. É preciso ter muita firmeza de cabeça.

Nesse período, mais do que qualquer outro do ano, temos que ter cuidado redobrado com nossos pensamentos e sentimentos, pois com imensa facilidade, poderemos ser alvo das investidas inferiores. Orai e Vigiai, em dobro… Em triplo!

É provável, contudo, que a maior parte das pessoas não perceba todo esse perigo. Entretanto, os médiuns percebem, com facilidade.

As próximas três quaresmas, até o ano de 2019, serão intensamente mais fortes que as anteriores. São os momentos finais, agônicos, de uma sociedade, encarnada e desencarnada, prestes a se renovar ou se atrasar, conforme as escolhas feitas.

Este é um período de intenso trabalho, de redobrada caridade e auxílio aos encarnados e desencarnados. Nenhuma casa Espírita  deve fechar as portas.

Vamos todos concentrar nossos esforços no bem, na caridade, no amor ao próximo. Refugiarmos na oração e na vigília constante de nossos pensamentos e atos e nada teremos a temer.

 

Fonte: Estudo Espiritualista.

Via: vinhas-de-luz.blogspot.com/2017/03/quaresma-quando-abrem-os-portoes-do.html

A História do Carnaval e suas Origens

carnaval_c1

A história do carnaval tem suas origens na Antiguidade, sendo uma festa tradicional e popular que chegou ao Brasil durante a colonização.

Carnaval é a festa popular mais celebrada no Brasil e que, ao longo do tempo, tornou-se elemento da cultura nacional. Porém, o carnaval não é uma invenção brasileira nem tampouco realizado apenas neste país. A História do Carnaval remonta à Antiguidade, tanto na Mesopotâmia quanto na Grécia e em Roma.

palavra carnaval é originária do latim, carnis levale, cujo significado é retirar a carne. O significado está relacionado com o jejum que deveria ser realizado durante a quaresma e também com o controle dos prazeres mundanos. Isso demonstra uma tentativa da Igreja Católica de enquadrar uma festa pagã.

Na antiga Babilônia, duas festas possivelmente originaram o que conhecemos como carnaval. As Saceias eram uma festa em que um prisioneiro assumia durante alguns dias a figura do rei, vestindo-se como ele, alimentando-se da mesma forma e dormindo com suas esposas. Ao final, o prisioneiro era chicoteado e depois enforcado ou empalado.

O outro rito era realizado pelo rei nos dias que antecediam o equinócio da primavera, período de comemoração do ano novo na região. O ritual ocorria no templo de Marduk, um dos primeiros deuses mesopotâmicos, onde o rei perdia seus emblemas de poder e era surrado na frente da estátua de Marduk. Essa humilhação servia para demonstrar a submissão do rei à divindade. Em seguida, ele novamente assumia o trono.

O que havia de comum nas duas festas e que está ligado ao carnaval era o caráter de subversão de papéis sociais: a transformação temporária do prisioneiro em rei e a humilhação do rei frente ao deus. Possivelmente a subversão de papeis sociais no carnaval, como os homens vestirem-se de mulheres e vice-versa, pode encontrar suas origens nessa tradição mesopotâmica.

As associações entre o carnaval e as orgias podem ainda se relacionar às festas de origem greco-romana, como os bacanais (festas dionisíacas, para os gregos). Seriam festas dedicadas ao deus do vinho, Baco (ou Dionísio, para os gregos), marcadas pela embriaguez e pela entrega aos prazeres da carne.

Havia ainda em Roma as Saturnálias e as Lupercálias. As primeiras ocorriam no solstício de inverno, em dezembro, e as segundas, em fevereiro, que seria o mês das divindades infernais, mas também das purificações. Tais festas duravam dias com comidas, bebidas e danças. Os papeis sociais também eram invertidos temporariamente, com os escravos colocando-se nos locais de seus senhores, e estes colocando-se no papel de escravos.

Mas tais festas eram pagãs. Com o fortalecimento de seu poder, a Igreja não via com bons olhos as festas. Nessa concepção do cristianismo, havia a crítica da inversão das posições sociais, pois, para a Igreja, ao inverter os papéis de cada um na sociedade, invertia-se também a relação entre Deus e o demônio.

A Igreja Católica buscou então enquadrar tais comemorações. A partir do século VIII, com a criação da quaresma, tais festas passaram a ser realizadas nos dias anteriores ao período religioso. A Igreja pretendia, dessa forma, manter uma data para as pessoas cometerem seus excessos, antes do período da severidade religiosa.

Durante os carnavais medievais por volta do século XI, no período fértil para a agricultura, homens jovens que se fantasiavam de mulheres saíam nas ruas e campos durante algumas noites. Diziam-se habitantes da fronteira do mundo dos vivos e dos mortos e invadiam os domicílios, com a aceitação dos que lá habitavam, fartando-se com comidas e bebidas, e também com os beijos das jovens das casas.

Durante o Renascimento, nas cidades italianas, surgia a commedia dell’arte, teatros improvisados cuja popularidade ocorreu até o século XVIII. Em Florença, canções foram criadas para acompanhar os desfiles, que contavam ainda com carros decorados, os trionfi. Em Roma e Veneza, os participantes usavam a bauta, uma capa com capuz negro que encobria ombros e cabeça, além de chapéus de três pontas e uma máscara branca.

A história do carnaval no Brasil iniciou-se no período colonial. Uma das primeiras manifestações carnavalescas foi o entrudo, uma festa de origem portuguesa que na colônia era praticada pelos escravos. Depois surgiram os cordões e ranchos, as festas de salão, os corsos e as escolas de samba. Afoxés, frevos e maracatus também passaram a fazer parte da tradição cultural carnavalesca brasileira. Marchinhas, sambas e outros gêneros musicais também foram incorporados à maior manifestação cultural do Brasil.

 

Referência Bibliográfica: PINTO, Tales dos Santos. “História do carnaval e suas origens”; Brasil Escola. Disponível em <https://brasilescola.uol.com.br/carnaval/historia-do-carnaval.htm